Aproxima-se o mês de Junho e, nas nossas paragens, as manifestações festivas são muitas e variadas, tal como acontece um pouco por todo o lado, dada a coincidência do calendário nos presentear com três simpáticos Santos.

Esteves Carreirinha - Ecos da AldeiaMas nem só lá em cima, por estes lados, embora um pouco fora deste contexto, mas não totalmente, para início deste mês, como é sabido, tem lugar a XXXI Capeia do Campo Pequeno, organizada pela Casa do Concelho de Sabugal em Lisboa, sábado dia 6 de Junho, que em tempos não muito distantes, integrou as Festas da Cidade de Lisboa, constando do extenso programa da Capital, facto que honrou os mentores desta iniciativa, contando também com uma vasta equipa da Casa, participante nos Jogos Tradicionais, juntamente com as diversas Casas Regionais, a que nos reportaremos, quando retomarmos os escritos sobre mais alguns factos da história da Casa.
Viajando para o Concelho, as festas em honra de Santo António em algumas localidades, com algum destaque para Aldeia da Ponte, onde a tradição desta festa sempre se manteve, apesar da passagem para Agosto, constando do programa a Capeia, que os Mordomos levam a efeito, embora não sendo obrigatória, mas ainda assim, com a sua realização, quase todos os anos.
Subindo mais um pouco no calendário, eis que chega o São João, com as suas características próprias, abrilhantadas com vários espectáculos proporcionados por artistas consagrados, concentrando imenso pessoal, vindo de todas as Aldeias, rumando em direcção à cidade do Sabugal, trazendo grande animação nas várias noites de folia efervescente.
Também noutras localidades se festeja o São João, porventura com menos exuberância, como é natural, cada uma faz como sabe, dentro das possibilidades, com a queima da «mona», artilhada com foguetes numa roda de bicicleta para girar, ou simplesmente, empoleirada lá no alto do pau de pinho, coberto de rosmaninho, «prantado» numa qualquer praça ou largo, como bem manda a «sapatilha».
A fechar o mês de Junho, na nossa Aldeia, a Capeia do São Pedro, organizada pelos Mordomos dedicada a este simpático Santo, com a característica especial de trazer à memória Capeias de outros tempos, efectuadas na antiga Praça, no centro do povo, palco de inúmeras histórias, emoções bem fortes e algumas tragédias vividas no antigamente.
Em todas as Aldeias, o sentimento é o mesmo, ou seja, reviver e recrear as tradições, ajudando a sair de uma rotina, talvez um pouco monótona, que estas ocasiões proporcionam.
Festa é festa, não haja dúvidas nenhumas e, sempre que elas surgem, há que desfrutá-las o melhor possível, pois são momentos aguardados pacientemente, ao longo do ano, servindo o mês de Junho como aperitivo, para o que vai acontecer em Agosto.
«Ecos da Aldeia», opinião de Esteves Carreirinha

estevescarreirinha@gmail.com

Anúncios