A povoação espanhola que tem nome Hoyos está geminada com uma outra povoação francesa que tem por nome Sainte Verge e visitam-se todos os anos, alternadamente.

José Manuel CamposNo passado ano de 2008 veio de Sainte Verge a Hoyos uma delegação com cerca de cinquenta pessoas.
A Presidente do da Associação de Hermanamientos de Hoyos, Ana Maria, convidou os Presidentes de Junta de Foios e Soito pelo facto de estas duas freguesias portuguesas estarem geminadas com Eljas (Espanha) e Porge (França), respectivamente. Esteve também presente o Francisco em representação do Ayuntamiento de Eljas.
Foi um convívio muito interessante tendo o Alcalde, Marcelo, feito uma visita guiada e pormenorizada já que Hoyos é uma vila tipicamente espanhola com um rico património.
Passado algum tempo foi a Junta de Freguesia do Soito que convidou uma delegação de Hoyos e de Foios aquando da visita dos amigos de Le Porge ao Soito.
Já no mês de Novembro foi a Junta de Freguesia de Foios que convidou os representantes das referidas povoações quando teve lugar o magusto com Eljas.
O efeito bola de neve tem acontecido. Cada vez nos vamos aproximando mais e as actividades vão surgindo.
Sábado, dia 23 de Maio, veio um autocarro de Hoyos com quarenta e cinco pessoas para fazerem uma visita aos castelos do concelho de Sabugal. O autocarro subiu a Sierra de Gata, passou por El Payo, Navasfrias e chegou a Aldeia do Bispo, já pela estrada nova, às oito horas. Aí estava o Presidente da Junta de Foios para receber o grupo. Visto que o Xalmas Bar, de Aldeia do Bispo, ainda se encontrava fechado o grupo tomou café no Quim, em Aldeia Velha.
Por volta das 9 horas chegava o grupo a Alfaiates. Nesta simpática localidade visitou-se o castelo, o espaço EMA, a biblioteca, a igreja e o largo onde se realiza a capeia e onde também se situa a Igreja da Misericórdia.
Juntou-se ao grupo o Matias, Presidente de Junta do Soito, tendo proposto passagem por essa simpática vila para também aí se poder visitar a Igreja Matriz. Após a visita o Matias fez questão de oferecer uma bebida no «Bar Azul» tendo alguns dos elementos provado, pela primeira vez, o vinho moscatel.
Hoyos e Saint VergeAo atravessar a vila o Matias teve o cuidado de chamar a atenção da comitiva para os aspectos mais importantes. Referiu os bombeiros, a Univest, o Centro de Negócios Transfronteiriço e, por fim, a praça de toiros e as fábricas de mármores e granitos.
Por volta das 11,30 horas o grupo chegava à cidade do Sabugal que atravessou, sem parar, em direcção à monumental vila de Sortelha. Aí esperava a delegação o Luís Paulo, Presidente de Junta. Depois de uma livre visita a delegação dirigiu-se às instalações da Junta tendo o Presidente oferecido um galhardete ao Alcalde de Hoyos, e um livro das aldeias históricas aos colegas de Foios e Soito.
Feitas as fotos da praxe o grupo regressou ao Sabugal onde os esperava o almoço na Albergaria Santa Isabel. Aqui tenho que realçar um mal entendido de nuestros hermanos. Quando lhes foi comunicado que havia as entradas, para se servirem, livremente, julgaram que fosse o primeiro e principal prato, tendo cada um e cada uma servido um prato deveras abundante a ponto dos empregados terem que trazer comida mais duas ou três vezes. De seguida veio a sopa e por fim vitela estufada com arroz e batatas fritas. Começaram a olhar uns para os outros quando nos disseram que se haviam equivocado con los platos visto que em Espanha os hábitos são diferentes. De seguida vieram as sobremesas que a todos agradaram. Finalmente foi servido o café, com leche, pelo menos para a maioria.
Uma palavra de agradecimento para a gerência e funcionários do hotel pela maneira simpática como trataram a delegação. No final os comentários eram unânimes. Comemos bem e barato. Viremos mais vezes.
Após o almoço o grupo deslocou-se, a pé, até ao castelo que todos eles admiraram pela imponência e pela maneira com está bem tratado. Visitou-se igualmente a casa da Talinha e o bar do Kim Tomé.
De seguida um saltinho ao museu e ao espaço de exposições da empresa Sabugal+. Depois das vistas adquiriram alguns artigos e produtos e registaram no livro de visitas algumas opiniões.
Desceu-se, a pé, a rua das tílias até ao autocarro que ficou estacionado no novo parque, em frente ao tribunal.
Fez-se, de seguida, a curta viagem até ao viveiro das trutas tendo, a maioria das pessoas, ficado deslumbradas já que era a primeira vez que visitavam o local. Alguns pescaram algumas e outros adquiriram alguns quilos no local de venda.
Depois de muitas fotos e algumas bebidas, no quiosque, fez-se a viagem até Foios. Entrou-se no auditório do Centro Cívico com a música «Viva España» que a todos surpreendeu. De imediato se iniciou o baile tendo a maioria das pessoas subido ao palco onde cantaram e dançaram à boa maneira espanhola.
Por fim o Presidente da Junta de Foios ofereceu também um galhardete ao Marcelo, alcalde de Hoyos, que agradeceu.
Ficou combinado que muito brevemente voltariam para completarem a rota dos castelos visto não ter havido tempo para visitarem o de Vilar Maior e de Vila do Toiro.
Alguns voltarão com a família, visto que ficaram deveras surpreendidos e satisfeitos com o passeio. Muitos diziam que já haviam estado nas cidades da costa portuguesa e em Fátima, Tomar, Porto e Lisboa e que desconheciam, por completo, um tesouro que tinham aqui tão perto.
Venham mais vezes.
«Nascente do Côa», opinião de José Manuel Campos

(Presidente da Junta de Freguesia dos Foios)

jmncampos@gmail.com

Anúncios