Parabéns, Casa do Concelho do Sabugal!… Muitos anos de vida!

Esteves Carreirinha - Ecos da AldeiaA embaixada Sabugalense em Lisboa, faz anos.
Completam-se hoje, dia 13 de Fevereiro de 2009, 34 anos de vida, plenos de trabalhos, consumições e canseiras, dos que tornaram possível o seu nascimento, bem como de muitos outros, que ao longo destas quase três décadas e meia, muito deram à Casa, seja contribuindo com a sua quota, seja em todas as múltiplas realizações, que levou a efeito, muitas delas com relevo destacável, outras por lá perto, mas com a mesma vontade férrea, que caracteriza as gentes das terras frias.
Este é um dia especial para a Casa, como para cada um de nós o é, quando festejamos os anos. Para este vosso amigo, passou a ser ainda mais especial, pois também fazia anos a minha Mãe, a ti Delfina. Espero que me perdoem e não me levem a mal, ao reportar, em público, esta lembrança. É apenas uma coincidência feliz, este dia 13 de Fevereiro com duplo aniversário.
A caminhada da Casa tem vindo a ser recordada, ao longo destes últimos tempos, o melhor que nos é possível, de modo a relevar alguns dos eventos destes anos todos, que bem merecem todas estas citações.
Faço questão, de deixar neste espaço, hoje, porque é dia de grandes recordações e emoções, sem qualquer melindre, seja de quem for, uma justa e singela homenagem a todos os pioneiros desta empreitada, principalmente aos que já nos deixaram e, também a alguns outros, que ainda por aí continuam, bem vivos e de boa saúde, que a tornaram em realidade, transformando-se, nos dias de hoje, na Casa de todos os Sabugalenses e muitos outros, que já não dispensam uma visita, seja para encontrar amigos, cavaquear ou degustar os bons produtos de qualidade, que arribam do nosso Concelho, a toda a hora e que tão gostosos são, estimulando, cada vez mais, a tal saudade das nossas origens.
Fazemos parte de uma grande família, que é o nosso Concelho, com uma cultura apreciável, os recursos possíveis, várias tradições e tantos outros motivos de interesse, onde todos nunca são demais, para o tornar mais apetecível, seja através dos que lá habitam, como daqueles, que estão um pouco mais longe, não o esquecendo facilmente.
«Ecos da Aldeia», opinião de Esteves Carreirinha

estevescarreirinha@gmail.com

Anúncios