A Comissão Instaladora trabalhou, afincadamente, para a formação da primeira lista candidata aos Corpos Sociais, sujeita a eleições, vindo a ser eleita em Fevereiro de 1976, um ano após a oficialização da Casa, tomando posse de seguida e iniciando o mandato para que foi eleita.

Esteves Carreirinha - Ecos da AldeiaConvém ainda, recordar aqui, que alguns não acreditaram em todo este processo desde o seu início, no Instituto Superior Técnico, retirando-se pouco depois do seu início, só acreditando quando verificaram, que afinal, a Casa era uma realidade. Segundo consta, «pensaram que a Casa nunca fosse avante», ficando até surpreendidos.
Disponibilizados todos estes artigos, sobre o período inicial da Casa, vamos continuando a dissecar um pouco, esta fase da criação da Casa, considerada de fundamental importância, porventura ainda desconhecida da maioria, podendo acontecer uma ou outra falha, ninguém está livre, algumas coisas poderão não ter sido, exactamente, como as retrato, mas que não deverá andar muito longe do que venho apresentando, apesar de já irem longas estas considerações, sobre a Casa do Concelho de Sabugal em Lisboa.
Pensamos, que é necessário divulgar alguns factos que nos mereceram esta apreciação, independentemente de outros, que possam ser recordados, pois só assim se fica a conhecer a história da Associação, apesar de acontecerem, de certeza, mais momentos, que outros talvez possam recordar melhor e com mais alguns detalhes.
Ainda mais estão para vir, versando as principais actividades da Casa, ao longo destas mais de três décadas de vida, nomeadamente, os convívios, Torneios de Futebol Inter-Aldeias, as Capeias no Campo Pequeno e arredores de Lisboa, bem como algumas mais, que tentaremos trazer ao conhecimento de quem acompanha estes escritos.
Para esta parte dos artigos já disponibilizados, queria desde já formular os meus agradecimentos ao Paulo Leitão, pelas ajudas preciosas, que me proporcionou, ao Ramiro Matos pela lembrança de alguns nomes e a alguns outros que me incentivaram a prosseguir nestas considerações, contribuindo também para estes artigos, engrandecendo a história da embaixada sabugalense em Lisboa.
«Ecos da Aldeia», opinião de Esteves Carreirinha

estevescarreirinha@gmail.com

Anúncios