Ouvi, mas não acreditei! Será verdade que o Município do Sabugal não integra a Parceria que, no âmbito do PROVERE prepara uma Estratégia e um Programa de Acção, denominado «BuY Nature – Turismo Sustentável em Áreas Classificadas»?

(Clique nas imagens para ampliar.)

Ramiro Matos – «Sabugal Melhor»Aquando da elaboração de candidaturas ao PROVERE, o Município do Sabugal não integrou a Candidatura liderada pela Câmara Municipal da Guarda, com a participação de Celorico, Covilhã, Gouveia, Guarda, Manteigas e Seia, e denominada «PROVERE Serra da Estrela», nem a candidatura liderada pela Agência de Desenvolvimento Gardunha 21, denominada «BuY Nature – Turismo Sustentado em Áreas Classificadas», abrangendo a Serra da Estrela, o Parque Internacional do Douro Internacional, a Serra da Malcata, a Serra da Gardunha e o Tejo Internacional.
Na altura, o Município do Sabugal preferiu integrar uma candidatura liderada pela Associação dos Municípios do Vale do Côa, denominada «Turismo e Património do Vale do Côa».
As notícias que agora me chegam, deixam-me verdadeiramente preocupado.
Como já o venho afirmando há uns tempos, para mim essa «coisa» do Vale do Côa não serve o Concelho do Sabugal.
Se dúvidas houvesse, (e suspeitando que, a haver dinheiro, o mesmo se vai esgotar em Vila Nova de Foz Côa, Figueira de Castelo Rodrigo e Pinhel), bastava atender às notícias mais recentes, de publicação de um Roteiro «Vale do Côa, uma paisagem de liberdade – entre a pré-história e as vilas medievais», o qual se limita às aldeias daqueles três concelhos, como se o Sabugal não pertencesse ao Vale do Côa…
Mas, ainda mais elucidativa é a pretensão do Município de Pinhel que quer «assumir um ‘verdadeiro papel’, de ‘porta sul’, do Parque Arqueológico do Vale do Côa (PAVC)», não se percebendo qual o papel que fica para o Sabugal.
Mas há outra novidade que me deixa mais preocupado.
É que, liderados agora pelo Instituto para a Conservação da Natureza e da Biodiversidade (INCB), as duas candidaturas «PROVERE Serra da Estrela» e “«Buy Nature – Turismo Sustentado em Áreas Classificadas», se unificaram e estão a elaborar uma Estratégia e um Programa de Acção comuns para todas as Áreas Classificadas, denominado “Buy Nature – Turismo Sustentável em Áreas Classificadas», candidatando-se a um investimento público e privado que pode ascender aos 339 milhões de euros.
A Parceria constituída será liderada por aquele Instituto e terá a sua sede em Penamacor!
Esta é uma oportunidade que o Concelho do Sabugal não pode perder, e, a ser verdade a informação que recolhi, de que o Município do Sabugal não é um dos Parceiros Públicos, embora algumas empresas privadas sedeadas no Concelho o sejam, este é um mau momento para o presente e para o futuro das terras sabugalenses.
A Serra da Malcata não é só Penamacor, estes são os nossos parceiros naturais, e tem de se garantir que não ficamos de fora…

ps. A melhor notícia que o Executivo Municipal podia dar aos sabugalenses era o desmentido desta crónica…
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

rmlmatos@gmail.com

Anúncios