O concelho de Mêda foi o primeiro destino para Jorge Patrão, recém-eleito presidente da Turismo Serra da Estrela, que sucede à extinta Região de Turismo da Serra da Estrela. A visita contemplou um concelho que se transferiu da Região de Turismo Douro–Sul para a da Serra da Estrela.

Termas de LongroivaO presidente do Município da Mêda, João Mourato, recebeu Jorge Patrão acompanhado pelo vereador Paulo Amaral, sublinhando que «o Turismo é um sector importante para o desenvolvimento regional e potenciador do aproveitamento dos recursos locais e regionais».
Realçou que esta primeira visita do responsável da Turismo Serra da Estrela revestiu-se de «pragmatismo e de grande significado nas aspirações que o Município tem e deposita no Turismo como um vector gerador de riqueza, em todas as suas vertentes».
João Mourato, presidente do Município de Mêda, justificou a adesão à Turismo Serra da Estrela por considerar que «está intimamente ligado ao Douro a que nunca deixará de pertencer por razões culturais, sociais e económicas, se deve essencialmente a uma questão de pragmatismo até porque o Douro pode ser também considerada como uma porta importante de acesso à Serra da Estrela».
«Queremos potenciar aquilo que possuímos de bom, fomentar actividades, realizar iniciativas, divulgar as nossas riquezas patrimoniais e paisagísticas, mas também as manifestações populares e culturais, as festas e romarias, as feiras e exposições, os monumentos, as antigas Vilas Medievais de Longroiva, Marialva, Casteição, Ranhados e Aveloso, o artesanato e as gentes medenses», disse.
Por seu turno, Jorge Patrão afirmou que «o Douro, em que se integra parcialmente o concelho de Mêda, e a Serra da Estrela, são verdadeiras referencias turísticas, económicas e sociais e as duas grandes marcas turísticas do interior de Portugal que em muito podem contribuir para o desenvolvimento e criação de riqueza».
Jorge Patrão esteve em Longroiva onde visitou o complexo da Estância Termal daquela antiga vila medieval. Trata-se de um, edifício cuja construção foi apoiada pela Acção Integrada de Base Territorial do Vale do Côa (AIBT) onde foram investidos cerca de cinco milhões de euros e cuja inauguração está prevista a curto prazo, equipado com as diversas valências de tratamento termal.
O termalismo tem grandes potencialidades de desenvolvimento mas é necessário ser rentabilizado através da cativação de gente, onde a animação é também um dos factores a ter em conta.
O presidente da Turismo Serra da Estrela defendeu então que o aproveitamento dos recursos locais e patrimoniais na área do turismo «podem constitui um elemento importante de fixação das populações e fomentar o crescimento sócio-económico, de uma forma integrada apoiado em importantes núcleos históricos, designadamente Marialva, Meda, Casteição e Ranhados, antigas vilas medievais mas também sítios arqueológicos e a viticultura de qualidade que estão em desenvolvimento».
jcl