Dos vários projectos aprovados, no âmbito do Programa LEADER+, a recuperação e aproveitamento de um espaço edificado, mas em ruínas, sito no Largo de Santa Maria do Castelo n.º 8, junto à entrada do castelo de cinco quinas do Sabugal, para além da vertente puramente comercial, com a venda direccionada para os produtos da região, como o artesanato, compota, doces tradicionais, bolos, mel, queijo de Malcata, cozinha tradicional, com pratos da região e venda de livros de autores sabugalenses, é também um espaço com uma missão mais nobre de divulgação e promoção da cultura do Riba Côa.

José MorgadoÉ um projecto privado, que engloba uma área museológica, a par de outros de algumas freguesias como o do Soito, Vila Boa e Fóios.
A Casa do Castelo tem a particularidade de, enquanto decorriam as obras de demolição e recuperação da casa se ter descoberto uma ara romana. Este achado que se encontra exposto é uma das atracções existentes.
Segundo o arqueólogo Marcos Osório, esta invulgar ara votiva da época romana, decorada em baixo relevo, com um touro e diversos objectos rituais, instrumentos de sacrifício, não está datada, exibe um campo epigráfico com a inscrição «CRISPIN”/VS CRIS» e apenas permite identificar o nome de quem terá erigido a ara e de acordo com o esquema tradicional de filiação nesta região, o seu provável patronímico (o nome do pai) incompleto… o touro apresenta-se também incompleto, disposto na vertical, virado para cima e com a cabeça representada numa perspectiva distorcida em relação ao corpo, admitindo que a presença do animal, pode não ter uma relação directa com o carácter da divindade invocada na ara.
Poderá figurar apenas como vítima, pois era considerado a oferenda por excelência dos sacrifícios na religião romana. Dado que a ara não regista a divindade a quem foi dedicada, põe-se a hipótese de ter sido erigida em honra de Júpiter, dado que na Península Ibérica se conhecem algumas aras, com touros esculpidos dedicadas a Júpiter
No local também foi descoberto um altar judaico, o que indica que a casa terá pertencido a cristãos novos.
Os actuais proprietários e mentores do projecto da Casa do Castelo, são o casal Romeu e Natália Bispo, sabugalenses de gema e como diz o José Robalo, a «viver no Sabugal (a praticar) um acto heróico».
«Terras entre Côa e Raia», opinião de José Morgado

morgadio46@gmail.com

Anúncios