«– Matam o Mestre! Matam o Mestre nos paços da rainha. Acorrei ao Mestre que matam! Acorramos ao Mestre amigos, acorramos ao Mestre, que o matam sem porquê!» É desta forma que Álvaro Pais e os seus aliados, apoiantes de Dom João, o primeiro, percorrem as ruas de Lisboa e conseguem um verdadeiro levantamento popular de apoio ao Mestre de Avis, futuro rei D. João I.

José Robalo – «Páginas Interiores»Temos acesso a toda esta informação através da Crónica de El-Rei D. João I de Boa Memória escrita de forma superior por esse génio da literatura que foi Fernão Lopes.
Este cronista deve com justiça ser considerado o primeiro historiador de língua portuguesa, bem como um refinado prosador. No prólogo da sua crónica Fernão Lopes promete descrever os factos a que teve acesso com verdade e probidade, pondo de parte a afeição. Assim com isenção, ficamos a saber como foi possível com coragem e determinação na crise de 1383-1385, mantermos a nossa independência. A crónica de Fernão Lopes é uma crónica de uma revolução que teve como protagonista e herói o povo. A revolução de 1383-85 foi uma revolução popular.
Vem tudo isto a propósito de um pedido que me foi formulado pelos administradores do blogue para no meu último trabalho, destacar um personagem, um sabugalense, que na minha opinião se tivesse destacado neste ano que está a terminar.
Devo dizer que poderia indicar dezenas de sabugalenses que pela sua actividade, inteligência, dinamismo e criatividade poderiam ser citados neste trabalho, correndo o risco de ser injusto com muitos outros, que ficariam na sombra e no esquecimento.
Como na crónica de Fernão Lopes, os heróis são todos os sabugalenses que aqui vivem e trabalham, que diariamente lutam contra a adversidade de residir no interior abandonado pelo poder central, que em PIDDAC nos dá para o ano de 2009, uns míseros 20.000 euros, ou seja, o investimento do governo central no Sabugal para este ano, é uma esmola!
Porque andam dias iguais perseguindo-se, viver, trabalhar e lutar diariamente no Sabugal, contra este abandono a que estamos votados é deveras um acto de heroicidade. A todos estes sabugalenses faço uma vénia, tiro o meu chapéu e faço votos de um Bom Ano de 2009.

:: :: PARA LER :: ::
«História de uma Revolução, Crónica de El-Rei D. João I de Boa Memória», de Fernão Lopes, edição dos Livros Europa América.
«As aventuras de Oliver Twist», Charles Dickens.

:: :: PARA VER E OUVIR :: ::
«De Gainsbourg à Gainsbarre», de Serge Gainsbourg, CD 848364-2 da Philips.
«O Concerto de Ano Novo, pela Orquestra Filarmónica de Viena», sendo maestro Daniel Barenboim, em directo de Viena, transmitido pela TVE1, no dia 1 de Janeiro, às 10.15 horas da manhã, hora portuguesa.

Vodpod videos no longer available.

«Páginas Interiores» opinião de José Robalo
joserobaload@gmail.com