A Zona Controlada das doenças das abelhas, era desde há muito desejada pelos apicultores mais conscientes dos problemas sanitários que a livre circulação de abelhas vinha fomentando.

Colmeias de António MouraA contaminação de apiários por deslocação de enxames infectados, nomeadamente de Espanha, onde a elevada concentração de colmeias propicia a que qualquer surto seja potencialmente explosivo, constitui um dos maiores problemas das abelhas na nossa região. Neste momento uma grave ameaça constituída por uma nova forma de Nosemose multirresistente circula em Espanha.
O controlo do movimento dos enxames, tal como era feito através do simples preenchimento de formulário Mod. 488/DGV, não vinha por si só resolver o problema das doenças das abelhas.
Os novos recursos humanos disponibilizados pela Meimoacoop e onde a DGV (por não os ter) delegou competências, vem trazer uma nova logística às relações entre os apicultores e a Direcção-Geral de Veterinária, uma maior proximidade e flexibilidade conduzirá a uma melhor e mais rápida resolução dos problemas, nomeadamente em termos de análises laboratoriais e consequentes procedimentos.
Os maiores êxitos para a Meimoacoop nos seus projectos apícolas.
Há muito tempo que a nossa apicultura necessitava de um organismo credível com uma vertente comercial.
Saúdo também a iniciativa dos produtos «Terras do Lince».
António Moura
(apicultor da Serra da Malcata)

Leia a excelente crónica de José Robalo sobre o apicultor António Moura aqui.
jcl

Anúncios