Tendo já sido terra de castanheiros, pinhal e mato o sítio da Dragoa na Ruvina prepara-se para receber o futuro aeródromo do Sabugal. As obras de terraplanagem para a construção de uma pista com 700 metros de comprimento e 25 metros de largura já estão na sua fase de conclusão, junto à estrada municipal que liga as freguesias da Ruvina e Nave.

José Robalo – «Páginas Interiores»Tudo parte da paixão de António Fernandes pela aeronáutica, da sua capacidade e dinamismo para transmitir confiança e contagiar um grupo de amigos que estão dispostos arriscar as suas poupanças, num projecto pioneiro para a região e que pode vir a ser a locomotiva para o desenvolvimento. Com alguma dose de loucura e risco estes sabugalenses apostam num projecto que vai criar postos de trabalho e colocar o concelho do Sabugal no mapa.
Nenhum dos promotores é candidato a lugares autárquicos, nem pretende beneficiar das sinecuras do poder. Têm em comum o amor à terra e com total desprendimento apostam num projecto arriscado, com a consciência de que o sucesso do empreendimento estará em primeira linha, associado ao sucesso do concelho do Sabugal.
Com a construção da pista estão criadas as condições para o início de um sonho. Diz António Fernandes: «Para além do gozo pessoal que o projecto nos dá, como amantes destas coisas do espaço aéreo, já adquirimos dois autogiros e vamos preparar-nos para a curto prazo podermos dar baptismos de voo, visitas aéreas ao concelho com autogiros e ultra leves; vamos dar formação a dois jovens para que possamos criar uma escola e conceder brevets
Sendo um projecto pioneiro, os seus promotores estão preocupados com a vertente ecológica e protecção da natureza, criando condições para aterragem e reabastecimento de aviões no combate a incêndios.
Joaquim Brázia, gerente da firma Robinil do Sabugal e associado neste empreendimento, refere «a excelência do local, por se encontrar situado num planalto onde a pista é bem visível e a abordagem é facilitada pelas condições ímpares do local». Acrescenta ainda que este projecto «para além de necessitar da aprovação e homologação do INAC, só será viável se as autoridades locais ganharem consciência do mesmo e se encostarem o ombro». «Naturalmente que está a ser preparada uma candidatura com caderno de encargos meticuloso, para candidatar a fundos comunitários, uma vez que esta obra é dificilmente realizável sem esses apoios», conclui António Fernandes.
O sonho destes sabugalenses é ver um dia esta pista e aeródromo receber voos com aeronaves de outras dimensões e com passageiros, criando assim outro dinamismo e postos de trabalho.
Como escreveu o nosso Nobel: «Era uma vez um rei que fez promessa de levantar um convento em Mafra. Era uma vez a gente que construiu esse convento. Era uma vez um soldado maneta e uma mulher que tinha poderes. Era uma vez um padre que queria voar. Era uma vez.» (Memorial do Convento).

:: :: PARA LER :: ::
«Memorial do Convento», de José Saramago.

:: :: PARA OUVIR :: ::
«Todos os amores de Tom Jobim, ou António Carlos Jobim».
«Por el mar de mi mano, Poemas y canciones», de Luís Pastor.

«Páginas Interiores» opinião de José Robalo
joserobaload@gmail.com

Anúncios