O último álbum do grupo Go Graal Blues Band, intitulado «So Down Train», foi gravado em 1987 com produção de Paulo Gonzo e Tó Andrade. Na capa interior, além das letras, encontra-se um esquema listando todos os elementos e convidados que tocaram ao longo dos anos de vida deste grupo (fundado em 1975). Neste disco participam Mário Pereira (bateria), Tó Andrade (guitarra baixo), João Allain (guitarra), Leonel Cardoso (saxofone, flauta) e Paulo Gonzo (vocalista).

Joao Aristides DuarteA carreira da Go Graal Blues Band foi construída a pulso e, apesar de ser um grupo que cantou, sempre, em inglês; conseguia arrastar multidões por esse país fora, mesmo após ter surgido o «boom» do Rock português (no início dos anos 80), com a maioria das bandas a cantar na língua de Camões.
O concerto de Aldeia da Ponte, realizado no dia 25 de Julho de 1987 foi para apresentar este disco ao vivo. A organização, que julgo ter sido de uma Associação de jovens, deve ter ficado desiludida com a pouca adesão ao concerto. De tal maneira que a experiência de realizar este tipo de concertos perto do início do mês de Agosto não teve continuidade. Cá para mim, este tipo de concertos com entrada paga não funcionam nesta região, nem no mês de Agosto, mas isso é outra história. Realmente, não era muito o público presente neste concerto.
Para além do Go Graal Blues Band também integrou este concerto a banda Xutos & Pontapés, que só em Novembro desse ano lançaria o grande sucesso «A Minha Casinha», que tornaria famosa a banda de Zé Pedro em todo o país e lhe abriria outras portas.
go-graal-blues-band-1Portanto, o concerto dos Xutos & Pontapés, nessa noite, na Praça de Touros de Aldeia da Ponte, foi bastante banal. Apenas a destacar o facto de Kalu (o baterista dos Xutos) ter dito «Boa noite, Aldeia Nova!», em vez de «Boa noite Aldeia da Ponte!». De resto, o concerto dos Xutos foi bastante monótono e sem nada de especial a destacar, no aspecto musical.
A Go Graal Blues Band fez a primeira parte do concerto.
Refira-se que o baterista Mário Pereira é, nem mais nem menos que Márito, o antigo baterista dos Spartaks, o melhor grupo da cidade da Guarda, nos anos 70, que tanto Bailes de Finalistas animou.
Hoje, Márito sobrevive como músico na banda de Fernando Correia Marques (o do «Burrito»). Tó Andrade toca, actualmente, na banda que acompanha Emanuel. A última vez que estive com Tó Andrade (no concerto de Emanuel, no Sabugal, há 4 anos) este não se esqueceu de referir que já tinha tocado com a Go Graal, em Aldeia da Ponte.
go-graal-blues-bandPaulo Gonzo actuou com a sua banda em Alfaiates, em Agosto de 2006, mas a sua música actual nada tem a ver com a da Go Graal Blues Band.
Para além de ter tocado temas do novo álbum (como «Smell» ou «So Down Train»), em que o saxofone de Leonel Cardoso tem um papel destacado, a Go Graal apresentou no seu concerto o reportório habitual da sua longa carreira, com destaque para os temas «White Traffic», «Lonely», «Running For Long» ou «Lay Down». Um tema que a Go Graal tocava sempre nos seus espectáculos ao vivo era o original de J. J. Cale «Cocaine». Também em Aldeia da Ponte este tema foi cantado por Paulo Gonzo (que, pese o facto de ser fundador da banda, não tinha no início o papel de vocalista principal). João Allain, um dos melhores guitarristas da sua geração não deixou os seus créditos por mãos alheias e solou até à exaustão, neste tema.
Márito também teve direito ao seu «momento de glória» quando executou um solo de bateria, muito aplaudido pelo público.
Várias vezes assisti a concertos da Go Graal Blues Band, nomeadamente na cidade da Guarda, em Bailes de Finalistas. Sempre gostei muito da banda ao vivo. Também gostei deste concerto de Aldeia da Ponte, o qual guardo na memória.
«Música, Músicas…», opinião de João Aristides Duarte

akapunkrural@gmail.com

Anúncios