No ano de 1987, Paulo de Carvalho lançou o LP «Terras de Lua Cheia», no seguimento dos anteriores «Desculpem Qualquer Coisinha» e «Homem Português».

Joao Aristides DuarteConhecido como «A Voz» no meio musical português, ele próprio se assume como músico que toca um instrumento chamado voz.
Nesta época, Paulo de Carvalho já tinha quase 25 anos de carreira, uma vez que se iniciou nas lides musicais como baterista dos Sheiks, um dos pioneiros do yé yé português e uma espécie de Beatles portugueses.
Ficou muito famoso em 1974 por ter sido a sua canção «E Depois do Adeus» que foi a escolhida para senha da saída das tropas do movimento militar do 25 de Abril, que derrubou a ditadura. A canção «Grândola, Vila Morena», de Zeca Afonso, verdadeira senha, só surgiu quando a movimentação militar era já irreversível.
O espectáculo de Paulo de Carvalho, em Aldeia da Ponte, decorreu na Praça de Touros, onde foi montado um palco e teve lugar no dia 17 de Agosto de 1987.
Paulo de Carvalho e a sua banda deram um magnífico espectáculo. Ainda estava fresca a memória de temas como «Meninos do Huambo» ou «Fadinho do Bacalhau», que lhe valeram o primeiro disco de ouro da sua carreira.
Para além de temas mais recentes, como os referidos, o concerto de Paulo de Carvalho percorreu o reportório de quase toda a sua carreira e não faltaram temas como «E Depois do Adeus», «Maria, Vida Fria» ou «Nini dos Meus Quinze Anos».
Paulo de CarvalhoPaulo de Carvalho dirigiu-se ao público durante o seu espectáculo e uma das coisas que disse é que tinha ficado muito agradado com a recepção e com a refeição. Não se coibiu, mesmo, de referir que a comida desta região era muito saborosa.
Depois, no decorrer do seu espectáculo, foi pedagógico. Notou que uma parte do público, a mais jovem, não era muito apreciadora de fado (o mais recente tipo de música que resolveu interpretar).
Então, referiu que apreciava muito uma cantora chamada Sade (Adu), que tinha uma grande voz e que interpretava uma grande música (quem se lembra de «Smooth Operator»?).
À maioria dos «contestatários» do concerto nem sequer passava pela cabeça que o homem que viam em cima do palco estava farto de ouvir (e praticar) Rock. Quando eles andavam de cueiros já Paulo de Carvalho tinha abandonado o Rock (curiosamente os Sheiks regressaram em 2007- às vezes as saudades são tantas…).
Na segunda parte do concerto de Paulo de Carvalho actuou Jorge Fernando e a sua banda, que realizou um magnífico espectáculo, muito melhor do que aquele que fez na primeira parte de Carlos Paião, no Soito, e já motivo de crónica nestas páginas.
Este concerto de Paulo de Carvalho, o único de que tenho conhecimento no concelho de Sabugal, ficou-me na memória.
«Música, Músicas…», opinião de João Aristides Duarte

akapunkrural@gmail.com

Anúncios