O mês de Novembro é época dos tradicionais magustos. Por muitos locais do nosso concelho se realizaram estes eventos. Uns com mais participantes, outros com menos; uns mais organizados, outros quase improvisados, o essencial é que estes encontros sirvam essencialmente para que as nossas terras continuem a manter as tradições culturais e, acima de tudo, o convívio entre os seus habitantes e, se possível, entre outros que as visitam.

Magusto na RebolosaTambém a Rebolosa vive este dia com entusiasmo. No dia 16 de Novembro, os Escuteiros do Soito visitaram a Rebolosa, trazendo, com eles, a natural boa disposição e alegria. De manhã, este grupo alegrou a Celebração da Palavra, dirigida pelo diácono Manuel, entoando cânticos acompanhados pelos instrumentos musicais. A manhã esteve muito fria e com um denso nevoeiro, mas também como reza a lenda de S. Martinho, em que Deus, satisfeito com o acto altruísta do soldado Martinho, ao rasgar a capa e dividi-la com um mendigo que enregelava, fez surgir no céu um sol de Verão, para que nem o pobre nem o soldado ficassem com frio, também nesta tarde, o sol apareceu e convidou toda a população a participar no tradicional magusto.
Nas lajes, onde antigamente se malhavam os cereais, na época em que este espaço estava associado ao trabalho, mas também ao alegre convívio e união entre todos, igualmente neste dia se juntou muita gente para uns momentos de convívio e para celebrar o S. Martinho com muitas castanhas, oferecidas pela Associação Social, Cultural e Desportiva e pela Junta de Freguesia, assadas na caruma, como manda a tradição, e com a jeropiga caseira que vários rebolosenses fizeram questão de partilhar.
E depois do S. Martinho, vamos festejar o dia de Santa Catarina, nossa padroeira. Fica aqui o convite para que nos visitem no próximo dia 25 de Novembro, onde não faltará a carne assada e o bom vinho da nossa terra e, onde terão a oportunidade de «tirar a licença» para a matança do porco.
Manuel Rei Esteves Barros