Já há algum tempo, que tinha em mente a abordagem à Casa do Concelho do Sabugal. Assim sendo, vou intercalando com o que tenho vindo a disponibilizar, alguns artigos que vão ter como tema, contributos sobre a embaixada sabugalense, assim considerada por muitos arraianos, cujo nascimento data do já longínquo ano de 1975 em Lisboa, dando a conhecer aos mais jovens, ou outros menos atentos, algumas actividades relevantes, que a Casa desenvolveu ao longo de mais de três décadas de existência.

Esteves Carreirinha - Ecos da AldeiaEm tempos, trouxe à estampa alguns jornais da época, onde tive a oportunidade de colaborar, bem como outros sabugalenses, norteando-nos a intenção de ajudar em algo que valorizasse o Concelho e toda a nossa região, numa altura cheia de alguma efervescência politica, fruto da Revolução dos Cravos, em 25 de Abril de 1974, com a instauração da democracia, a que tive a fortuna e o privilégio de acompanhar de perto, no dia fatal para o anterior regime.
Depois da tentativa das Caldas da Rainha, um pouco antes, sentia-se no ar, as conversas para aí incidiam amiúde, que não passaria muito tempo, a que de novo, outras investidas tomassem a dianteira e, bem depressa, que já tardava a chegar a liberdade, como viria a acontecer.
Antes de historiar um pouco da Casa do Concelho do Sabugal, deixo aqui o tributo, bem merecido, por sinal, a dois órgãos de informação, com ligação à Casa, que tiveram um papel primordial na sua implantação e divulgação, sendo certo, que foram veículos informativos fundamentais, difundindo factos e notícias que ao Concelho e à Casa diziam respeito, transportando mensagens, acabadas de nascer, entusiasmando outros tantos a colaborar, sem receios de espécie nenhuma.
É da mais elementar justiça, dar-lhes o devido realce e mérito, reconhecido por todo o pessoal da época e ainda hoje, que com estes factos lidou mais de perto.
Jornal da Casa do Concelho do Sabugal«O CONCELHO DO SABUGAL» em formato de revista, era propriedade do Dr. Antero de Seabra, um dos fundadores da Casa do Concelho do Sabugal e seu primeiro Presidente da Direcção, a que nos reportaremos aí mais para a frente, onde se abordaram diversificados assuntos, com uma grande parte dos escritos a serem dedicados às actividades da Casa. Apesar de não ser o órgão oficial, prestou toda a colaboração precisa, sem qualquer ónus, para as débeis finanças de uma associação, no dealbar dos seus primeiros passos.
«SABUGAL» jornal em formato A4, sob a superior direcção do saudoso amigo João Leitão, teve o seu início em Março/Abril de 1978, sendo o primeiro órgão oficial, noticiando todas as actividades da Casa, para o qual foi criado, abrindo com uma Saudação a todos os Sabugalenses, alargada às várias entidades e associações do Concelho, acrescido de um editorial, onde se explica as razões do seu nascimento.
Durante este ano de 1978, coabitaram estes dois órgãos, noticiando todas as actividades. «O Concelho do Sabugal» viria a terminar em finais deste mesmo ano, continuando o novel «Sabugal» a desempenhar a sua missão durante uns anos, sendo suspensa a sua publicação em Março de 1988, ao fim de 43 números, regressando em Fevereiro de 1993, prolongando-se até Maio de 2000, atingindo o seu número 127. Até aos nossos dias, o vazio manteve-se, em termos de comunicação escrita da Casa.
Sucintamente, aqui fica uma primeira introdução à história da Casa e a estes dois meios de comunicação, que me vão ser muito úteis nestes escritos, relembrando alguns factos relevantes, debaixo da alçada da embaixada Sabugalense em Lisboa.
«Ecos da Aldeia», opinião de Esteves Carreirinha

estevescarreirinha@gmail.com

Anúncios