Decorre em Elvas a tradicional festa de São Mateus, uma das maiores do Alentejo, na qual estão incluídas diversas actividades lúdicas e recreativas, a par com o cerimonial religioso. Quem ali vai de visita não pode deixar de ir admirar a curiosa exposição de ex-votos, patente na Igreja do Senhor Jesus da Piedade de Elvas.

No meio dos pavilhões da imponente feira, as tentas do comércio ambulante e os carrosséis, quase passa despercebida a curiosíssima exposição de ex-votos. Estão ali acumuladas peças desde o século XVIII, testemunhando a religiosidade do povo de várias épocas, que em momentos de aflição rogava ao Senhor uma bênção.
Os ex-votos são porções de cera representando partes do corpo, mas também assumem a forma de pinturas em telas e em tábuas, algumas executadas por verdadeiros artistas. Outras surgem em fotografias emolduradas, ou em painéis elaborados com colagens. As mensagens são imensas, predominando as de rogo e as de agradecimento pela graça recebida.
Os ex-votos, que ocupam as salas de apoio da velha igreja, forram completamente as paredes, parecendo não haver já espaço para quaisquer outros. E há ali ex-votos curiosíssimos, como aquele que consiste numa fotografia de uma vara de porcos bem cevados, sob o olhar feliz dos proprietários, e com a curiosa legenda: «Oferecido por Cabral Costa, de Borba ao Senhor Jesus da Piedade pela graça concedida por livrar o gado da peste denominada febre africana. Borba, 04/07/1961».
No referente às pinturas, pudemos apreciar de tudo: desde quadros singelos e toscos, até quadros sublimes, de verdadeiros artistas plásticos. Mas tudo é obra do povo, que acredita na intercepção divina quando algo não corre a direito. Daí as preces, complementadas com ofertas e com promessas, na esperança de que o mal fique remediado ou, pelo menos, minorado. As mensagens que transmitem são porém muito diversas. No respeitante à fotografia, há muitos rostos imberbes de militares, cuja maior parte pediam protecção quando partia para a guerra, ou agradeciam a graça de terem voltado sãos e escorreitos. Já no que toca á pintura, prevalecem as cenas campestres, representando actividades de lavoura, onde abundava a ansiedade por boas colheitas, o medo dos temporais e das pestes.
Os quadros mais antigos têm uma particularidade: quase todos apresentam o recorte da imagem do Senhor Jesus da Piedade. Esse recorte foi acção dos soldados de Napoleão no decurso das invasões francesas, há duzentos anos. Antevendo que assim obteriam a protecção divina, os soldados levavam essas imagens recortadas em bolsinhas que colocavam ao pescoço.
Será sempre bem empregue o tempo do viandante que, deambulando pelo Alentejo, aporte em Elvas e ali procure este expressivo museu de ex-votos.
plb