Os grandes derbys do futebol luso não são uma questão de vida ou de morte. São muito mais importantes que isso… e agora podem ser acompanhados na pantalha do «Bravos’Bar» com 50 por cento de desconto desportivo em todas as bebidas.

Há fotografias que deixam uma imensa saudade

O Sabugal tem muitas tertúlias, muitos grupos e muitos amigos que se juntam por defeito, por feitio, por afinidade ou por interesses nos cafés, tascas e vícios. O «Bravos’Bar» do Tó de Ruivós não foge à regra e tem, sempre, uma clientela muito especial. O dono orgulha-se de ter, provavelmente, a melhor Sagres Mini do Mundo sempre à temperatura ideal: gelada. É um bar sem publicidade exterior e por isso mesmo só para quem sabe. «Para os verdadeiros apreciadores da Mini. Aqui está sempre no ponto», costuma dizer um dos frequentadores habituais.
Mas passemos à linguagem do futebolês. Dizem os especialistas que o futebol é o desporto mais simples do Mundo: «quem tem a bola ataca; quem não tem defende.» E para chutar nada melhor do que usar o pé que estiver mais à mão porque o difícil, como todos sabemos, não é fácil.
Os jogadores de futebol demonstram sempre muita humildade quando ganham de forma categórica e aproveitam para utilizar chavões do género «ainda não ganhámos nada e sabemos que temos ainda muitos jogos pela frente».
E para quem quiser seguir a carreira de futebolista aqui deixamos algumas frases feitas para que possam ser usadas na ocasião mais propícia. «Esperamos fazer uma boa partida e sair daqui com um bom resultado» ou «agora é levantar a cabeça e pensar no próximo jogo» ou «respeitamos muito o nosso adversário mas temos consciência do nosso potencial» ou «todos sabemos que agora já não há jogos fáceis» ou…
Um dos melhores atacantes que vi jogar e passou pelo futebol português depois do Nené, do Manuel Fernandes e do Fernando Gomes foi o Jardel. Porquê? Porque sim! E aproveito para dizer que um dos melhor guarda-redes que pisou os relvados tugas dá pelo nome de Michel Preud’homme. Lembram-se. Um dos mais simpáticos e profissionais futebolistas que conheci até hoje.
E porque «clássico é clássico e… vice-versa» o próximo sábado é noite de estrelas. Jogam no derby dos derbys os grandes da capital: Benfica e Sporting. Sim! Claro que me lembro dos 7-1 a que assisti em Alvalade e claro que me lembro dos 6-3 que presenciei na Luz. Mas não é disso que quero falar. Nem daquele jogador que passou pelo futebol português mas que preferia o campeonato mexicano porque «lá a gente recebe semanalmente, de 15 em 15 dias». Ou aquele jovem brasileiro contratado pelo Belenenses que, deslumbrado, quando chegou ao aeroporto da Portela fez questão de ser simpático e declarar: «Tenho o maior orgulho de jogar na terra onde Cristo nasceu…» Pois…
Scolari com «e o burro sou eu» e os árbitros ficam, de propósito, de fora desta conversa.
E para o jogo do próximo sábado à noite no Estádio da Luz? Sem dúvida que prognósticos só no fim.
E terminamos como começámos. A partir de sábado e durante a transmissão de todos os jogos televisivos do Sporting, Benfica e FC Porto a contar para a SuperLiga Portuguesa de Futebol as bebidas no «Bravos’Bar» do Tó de Ruivós são a 50 por cento, ou seja, estão em promoção desportiva a metade do preço.

Apesar de ter prometido a mim mesmo tentar não falar de futebol aqui no Capeia Arraiana lá teve que ser. E já agora para sábado mesmo sabendo das tendências verde-brancas do Tó arrisco o resultado de 2-0 a favor do «glorioso». Se perder prometo que lhe pago uma mini a metade do preço!
«A Cidade e as Terras», opinião de José Carlos Lages

jcglages@gmail.com

Anúncios