A Feira de Setembro do Sabugal revela-se hoje um mero mercado mensal, com pouca afluência de fregueses e feirantes, não havendo sequer rasto das melancias que antigamente também davam nome à feira..

Feira de Setembro no SabugalRealizou-se hoje, 4 de Setembro, a afamada Feira das Melancias do Sabugal. Quem ali se deslocou no intuito de ir a uma feira de ano, com a grandeza própria deste tipo de eventos, ficou desenganado: a feira de agora já não tem nada a ver com a feira de outros tempos.
Antigamente, a também apelidada Feira Nova era aguardada com ansiedade por toda a população. O seu sinal mais marcante consistia nas colossais melancias que se vendiam na ocasião. Camionetas, tractores e até carros de vacas, chegavam de véspera ao largo de S. Sebastião e ali estacionavam e expunham a produção de melancias. Na sua maior parte eram produtores particulares, vindos das terras do sul do concelho, como Casteleiro e Moita, a que se juntava gente do termo de Belmonte e de Penamacor.
Alguns compravam as melancias na véspera e outros guardavam-se para o dia da própria feira. Não havia quem não levasse uma melancia grande para casa. Dela comeria toda a família e dela se guardava a semente para o amanho do melancial na primavera chegante.
Era pitoresco o quadro das melancias em monte, no solo ou nas camionetas, e as pessoas de roda das maiores, exigindo ao feirante que fizesse a «capadura» à escolhida, a ver se estava madura. Muitas vezes era aos garotos que cabia transportar as melancias, o que era uma festa, já que o transporte era rebolando a peça colossal de fruta pelas ruas, a caminho de casa.
Hoje fomos à feira. Corremos as tendas e bancas e verificámos que não havia uma única camioneta vendendo melancias. Quem queria seguir a tradição, restava-lhe ir ao edifício da Praça Municipal e comprar uma pequena melancia nas bancas fixas dos vendedores de fruta.
No restante também a feira é muito fraca. Hoje certamente prejudicada pela chuva que caiu durante a manhã, mas a decadência deve-se sobretudo à mudança de tempos. Nos dias que correm a feira ambulante já não é o local eleito para as compras, preferindo-se os centros comerciais e os hipermercados, que a pouco e pouco vão invadindo todo o território.
Desde o tempo medieval que o Sabugal tem duas feiras de referência: a de S. Pedro, em 29 de Junho, e a Feira Nova, na primeira quinta-feira de Setembro. Ambas são hoje uma sombra daquilo que foram outrora. Outros tempos, outras vontades, outros hábitos!
«Contraponto», opinião de Paulo Leitão Batista

leitaobatista@gmail.com

Anúncios