Vamos iniciar uma série de artigos sobre a saúde nos dias de hoje. O progresso não trouxe apenas evolução material também trouxe evolução no campo da saúde da prevenção e mais propriamente no campo das doenças.

DiabetesHoje quase que é possível sobreviver às mais variadas doenças se «forem detectadas a tempo». Logo é necessário que os seus sintomas sejam conhecidos e que a ida ao médico passe a ser regular, acompanhada das análises necessárias. Ora se nós não nos esquecemos das idas ao mecânico, das inspecções regulares, das substituições de peças, porque podemos correr o risco de o carro parar então devemos fazer o mesmo connosco.
Boa alimentação, exercício, idas periódicas ao médico e reconhecer alguns sintomas de alarme podem ser úteis para que uma doença seja detectada e tratada.

DIABETES – É uma «doença crónica silenciosa» que facilmente passa despercebida. Devidamente tratada é uma doença que não impede uma vida normal e autónoma. Mas cabe ao próprio doente o papel mais importante, pois é ele que fará um controlo e uma autovigilância da sua doença e das suas necessidades específicas. Esta é uma das doenças não tem cura mas se o doente e o técnico de saúde estiverem sempre coordenados a qualidade de vida poderá ser mantida.
A Diabetes consiste no aumento dos níveis de açúcar no sangue e na incapacidade do organismo transformar esse açúcar proveniente dos alimentos. Aos níveis da quantidade de açúcar no sangue chama-se glicemia.
Esta é, sem dúvida, uma doença em crescimento pois atinge cada vez mais pessoas. Na verdade o nosso nível de vida é muito parado e a nossa alimentação é má e carente . Passamos o nosso tempo sentados a uma secretária ou no carro ou no café e comemos cada vez pior. Já não há tempo para fazer uma refeição.
Grupos de risco:
– Pessoas com familiares directos com diabetes;
– Homens e mulheres obesos;
– Homens e mulheres com tensão arterial alta ou níveis elevados de colesterol no sangue;
– Mulheres que contraíram a diabetes gestacional na gravidez;
– Crianças com peso igual ou superior a quatro quilogramas à nascença;
– Doentes com problemas no pâncreas ou com doenças endócrinas.
Quais são os sintomas típicos da diabetes?
Nos adultos a Diabetes é, geralmente, do tipo 2 e manifesta-se através dos seguintes sintomas:
– Urinar em grande quantidade e muitas mais vezes, especialmente durante a noite;
– Sede constante e intensa;
– Fome constante e difícil de saciar;
– Fadiga;
– Comichão (prurido) no corpo, designadamente nos órgãos genitais;
– Visão turva.
Nas crianças e jovens a Diabetes é quase sempre do tipo 1 e aparece de maneira súbita, sendo os sintomas muito nítidos. Entre eles encontram-se:
– Urinar muito, podendo voltar a urinar na cama;
– Ter muita sede;
– Emagrecer rapidamente;
– Grande fadiga, associada a dores musculares intensas;
– Comer muito sem nada aproveitar;
– Dores de cabeça, náuseas e vómitos.
Como prevenir a Diabetes?
Controlo rigoroso da glicemia, da tensão arterial e dos lípidos; vigilância dos órgãos mais sensíveis, como a retina, rim, coração e nervos periféricos, entre outros; bons hábitos alimentares; prática de exercício físico; não fumar; e cuidar da higiene e vigilância dos pés.
Na verdade uma ida ao médico anualmente acompanhada das respectivas análises pode evitar muitas complicações futuras.
O exercício físico uma alimentação saudável são um passaporte para esta doença passar por si e não parar. Mas se isso não aconteceu não desespere o tratamento é regular e se for seguido com rigor o doente não terá complicações.
Pode ainda consultar:
– Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal.
– Publicações da Direcção-Geral da Saúde: «Como viver com Diabetes – Guia para as pessoas idosas» e «Guia do Diabético».

O Capeia Arraiana inicia esta quinta-feira uma série de crónicas sobre saúde.
Vera Vilanova

Anúncios