Vindos de Pareces de Coura, onde fecharam a noite de Sábado, perante 20 mil espectadores, os Wraygunn deixaram boa impressão na última noite da Festa da Europa, no Sabugal.

Joao Aristides DuarteOs Wraygunn têm alguns anos de existência e muito «calo», conquistado pelos músicos da banda em inúmeros concertos por esse país fora e no estrangeiro (sobretudo em França, onde são um fenómeno com repercussão na imprensa especializada).
O concerto do Sabugal, bem diferente do da noite anterior em Paredes de Coura, não desiludiu o público presente, onde predominava a juventude.
Paulo Furtado, o líder da banda é um verdadeiro «animal de palco» (fazendo «gemer» a sua guitarra, pulando ou colocando-se de joelhos).
Do alinhamento do concerto da terra das «cinco quinas» fizeram parte temas como «Ain’t It Nice», «Love Letters From A Motherfucker», «Keep On Praying» e «She’s A Go Go Dancer».
JWraygunnO público aplaudiu a prestação dos Wraygunn, embora não o fizesse com bastantes manifestações ruidosas.
Furtado interagiu com o público, logo no segundo tema, quando desceu do palco para afastar, ele próprio, as grades que circundavam o palco; solicitando ao público para se aproximar. Mais tarde, Paulo Furtado, voltou a descer do palco e dirigiu-se ao público, interpelando-o com o microfone na mão, tendo andado uns bons vinte metros no interior do recinto.
As duas vocalistas (Raquel Ralha e Selma Uamusse) dão um colorido próprio à banda. De destacar a grande voz de Selma, num tema com contornos muito «soul».
Os restantes membros do grupo cumpriram o seu papel. Sérgio, o baixista, um homem já com 44 anos, foi membro de uma mítica banda de Coimbra, os Mas Foice.
No público, desta vez mais específico para este tipo de concertos, vislumbrámos pessoas da Covilhã e da Guarda, que se deslocaram propositadamente ao Sabugal e que estavam bastante animadas.
Até o Presidente da Câmara (Manuel Rito) vibrou com o concerto, segundo nos confidenciou.
A única falha foi o facto de não ter havido «encore», já que o público não «puxou» como devia pela banda. Programado estava o tema «You Really Got Me», dos Kinks, na versão dos Wraygunn, mas não chegou a acontecer.
Os membros da banda, mesmo assim, apreciaram o concerto e mostraram-se encantados com a recepção, tendo no final ficado pelas «tasquinhas» a conviver com o público, não tendo tiques de vedetismo.
«Música, Músicas…», opinião de João Aristides Duarte

akapunkrural@gmail.com

Anúncios