You are currently browsing the monthly archive for Agosto 2008.

Na altura das Capeias Arraianas do concelho do Sabugal, captar a emoção e a acção é o principal mote de partida.

Capeia Arraiana de Aldeia Velha 2008 – O fecho do calendário das Capeias Arraianas da zona da Raia foi em grande. Aldeia Velha foi pequena para tanta gente mas grande para levar ao rubro a paixão e folia deste entretenimento. Qualquer espaço, lugar, era ocupado instantaneamente como se pode verificar numa das fotos exibidas.
Cores quentes com os motivos mais tridimensionais fruto da luz do final do dia permitiram criar estas imagens. Com ajuda de uma ultra grande angular, permitiu-me criar perspectivas e enquadramentos diferentes e mais dinâmicos.
Fica um exemplo do que foi a Capeia da Aldeia Velha – Sabugal.
Todas estas fotos entre outras podem ser solicitadas para compra em vários formatos na página na Internet de Pedro Afonso.


(Clique nas imagens para ampliar.)

«A Objectiva de…», galeria fotográfica de Pedro Afonso
pmiguelafonso@gmail.com

Anúncios
GALERIA DE IMAGENS – 29-8-2008
Clique nas imagens para ampliar

Sexta-feira, 29 de Agosto de 2008, 15 horas. Data histórica para os de Aldeia de Santo António. As sensações e as emoções estavam à flor da pele. O sonho de alguns, liderados por Joaquim Ricardo, tornou-se realidade. Tinha chegado a hora de inaugurar as instalações do Lar da Liga dos Amigos de Aldeia de Santo António que acrescentará mais qualidade de vida à população idosa da freguesia.

Inauguração do Lar de Aldeia de Santo AntónioA inauguração do Lar da Liga dos Amigos de Aldeia de Santo António teve início com a cerimónia religiosa que contou com uma presente muito especial: o reverendo Padre Soita, antigo pároco de Aldeia de Santo António, que apesar de retirado para um merecido descanso no Colégio da Cerdeira não quis deixar de se associar a este momento histórico.
A cerimónia oficial contou com a presença do Secretário de Estado da Segurança Social, Pedro Marques, da Governadora Civil da Guarda, Maria do Carmo Borges, do Vereador António Robalo em representação do presidente da Câmara Municipal do Sabugal, e do representante da Direcção-Geral da Segurança Social da Guarda.
Após a recepção de boas-vindas, foram asteadas as bandeiras de Portugal, da Uniao Europeia, do Município do Sabugal e da Liga dos Amigos de Aldeia de Santo António.
Nos jardins envolventes do edifício uma pedra gravada fica a testemunhar e perpetuar o momento. O acto simbólico de descerramento, apadrinhado por Joaquim Ricardo, esteve a cargo do Secretário de Estado, Pedro Marques.
A sessão solene decorreu no auditório do Lar com discursos do Presidente da Liga, Joaquim Ricardo, do Vereador António Robalo e do Secretário de Estado, Pedro Marques.
No final, um lanche permitiu a todos os presentes conviverem em clima de orgulhosa satisfação.
O Lar da Liga dos Amigos de Santo António é, agora, uma realidade oficial com capacidade para 21 utentes em regime de internato, 15 no Centro de Dia e 30 com apoio domiciliário. Mas o mérito da iniciativa tem ainda mais um número muito importante: foram criados 20 postos de trabalho directos.
E terminamos com chave de ouro. Com o nome dos fundadores. Joaquim Fernando Ricardo, Alexandre Manuel Neca, José Soares Ricardo, António Vinhas Ricardo, José Joaquim Mota, José Jorge, Leonel Francisco, Alexandre Birra e José Pires Ricardo.

Leia o discurso de Joaquim Ricardo, Presidente da Direcção do Lar: aqui.

O Capeia Arraiana associa-se ao marcante momento felicitando em nome de todos os que tornaram o sonho em realidade e dos obreiros-fundadores do projecto o seu grande protagonista: Parabéns Joaquim Ricardo.
jcl

A Bertrand prevê abrir em meados de Novembro na cidade da Guarda no novo centro comercial Vivaci uma grande livraria que disponibilizará cerca de 25 mil títulos.

Livraria Bertrand«Vamos abrir em meados de Novembro no novo centro comercial Vivaci na cidade da Guarda uma livraria com 160 m2 e que irá disponibilizar cerca de 25 mil títulos», declarou à agência Lusa, Ernesto Damião, director comercial e de expansão da Bertrand.
«O investimento compreende alguns riscos mas apostámos numa cidade do Interior como a Guarda porque acreditamos nas potencialidades da região e porque temos como missão divulgar o gosto e o consumo pela leitura», acrescentou ainda o responsável da empresa livreira.
A nova livraria irá criar seis postos de trabalho directos e a empresa prevê vender mais de 50 mil livros no primeiro ano e aumentar esse valor nos anos seguintes.
Ainda segundo a agência Lusa o vereador da Cultura e da Educação da Câmara Municipal da Guarda, Virgílio Bento, considerou que «é importante passarmos a ter, finalmente, uma livraria como a qualidade da Bertrand porque o espaço vem colmatar uma falha que havia em termos culturais porque a Livraria Municipal está vocacionada para editar livros da autarquia e para promover os autores da Guarda ou ligados à Guarda ou relacionados com a história da região».
«As pequenas livrarias existentes na cidade da Guarda foram ao longo dos tempos desempenhando o seu importante papel na promoção dos livros mas agora, finalmente, a cidade vai poder ter uma livraria com a qualidade que tem a Bertrand», disse a concluir Virgílio Bento.
jcl

José Robalo – «Páginas Interiores»

A Raia esteve em festa! A Raia e todo o concelho estão de parabéns! As capeias foram um sucesso e são cada vez mais um fenómeno que em interesse e animação extravasa os limites geográficos do concelho.

No dia 25 estive em Aldeia Velha e tive o prazer de constatar que é cada vez mais difícil por falta de espaço assistir ao espectáculo que se desenvolve na arena. Testemunhei que a alegria transborda da praça para as suas cercanias onde a cerveja e a boa disposição são uma constante.
Os encerros e desencerros estão cada vez mais no epicentro da festa. Os jovens têm cada vez mais entusiasmo em pegar na galha identificando-se com este fenómeno que são as capeias com forcão.
A juventude vive a aldeia dos pais e dos avós e é vê-los cada vez com mais entusiasmo a fixar residência de férias por estas bandas contagiando os amigos por esta sua devoção pela raia. A Raia é um estado de espírito.
Durante o mês de Agosto, assisti por puro prazer a várias capeias e todas elas foram um sucesso na organização e na lide dos touros com forcão, engrandecendo a nossa terra. Em termos globais os touros foram de qualidade, dignificando o espectáculo. O Zé Nói, ganadeiro dos Forcalhos tem apresentado gado cada vez com mais qualidade, sendo importante apostar no que é nosso, gerando riqueza que fica no concelho. Este é um caminho que deveremos percorrer.
MarisecaEm Salamanca a Mariseca, já se encontra no ponto mais alto do Ayuntamiento na Plaza Mayor, informando que estamos em terra de touros e que as festas em honra da Virgen de La Vega e da feira taurina se aproximam.
Durante os 9 dias de festas taurinas, serão lidados touros oriundos exclusivamente de ganadarias de Salamanca: Adelaide Rodriguez, Garcigrande, La Campana, Vellosino, El Pilar e Valdefresno, entre outros. Estes festejos que têm o seu início no dia 11 de Setembro, receberão os mais consagrados matadores, tais como Enrique Ponce e José Maria Manzanares no dia 13, José Tomás no dia 16, El Fandi no dia 17 e El Juli no dia 18. Na minha perspectiva o dia 15 de reserva-nos o cartel com mais encanto nas praças espanholas esta temporada: Júlio Aparício, Morante de la Puebla e Miguel Angel Perera, com touros da ganadaria de Vellosino.
Em termos musicais e mais para a gente da minha geração, entre outros, no Domingo dia 7 poderá assistir a um concerto gratuito dos Jethro Tull, na Plaza Mayor.
Associado a todos estes eventos durante estes festejos podemos visitar uma das maiores feiras agrícolas da Europa, o que por si só merece a nossa presença, recordando-nos que nos encontramos numa região com grande potencial agrícola e ganadeiro.

:: :: PARA LER :: ::
«Dios, el diablo y la aventura, la historia de Pedro Páez el español que descubrió el Nilo Azul», de Javier Reverte.

:: :: PARA OUVIR :: ::
«Jethro Tull, Living With The Past» e «The best of Jethro Tull».

«Páginas Interiores» opinião de José Robalo
joserobaload@gmail.com

A «Imagem do dia» e a «Imagem da Semana» são dois destaques em imagens sobre acontecimentos, momentos ou recordações relevantes. Ficamos à espera que nos envie a sua memória fotográfica para a caixa de correio electrónico: capeiaarraiana@gmail.com

Data: 29 de Agosto de 2008.
Local: Lar da Liga dos Amigos de Aldeia de Santo António.

Legenda: Pintura mural (ou graffiti) no muro do espaço de recreio do Lar de Aldeia de Santo António

Autoria dos graffiti: Nomen e Vile.
Clique na imagem para ampliar

A «Casa do Castelo – Monumenta» e o Bar «O Bardo» promovem um concerto de música tradicional ao vivo na noite de sábado, 30 de Agosto, no Largo do Castelo do Sabugal.

Ventos da LiriaA noite de sábado promete ser de animação no Largo do Castelo do Sabugal. A «Casa do Castelo – Monumenta» e o bar «O Bardo» promovem um concerto de música tradicional ao vivo a partir das 21 horas do dia 30 de Agosto.
Os organizadores têm como objectivo «contribuir com o nosso empenho, esforço e investimento, para a requalificação e dinamização, daquela que consideramos ser a sala de visitas do Concelho do Sabugal. Assim promovemos este concerto de música tradicional para que se redescubra a zona mais histórica de toda a cidade».
E pedem a todos que «partilhem connosco o que de melhor se faz por cá em termos de música tradicional com os Ventos da Liria. Cá vos esperamos».
Página na Internet do Grupo Musical Ventos da Liria»: ver aqui.
Página na Internet do Bar «O Bardo: ver aqui.
Natália Bispo

O direito à cidadania pode ser exercido de muitas formas. O voto é, em democracia, uma das formas de exercer esse direito. E o acompanhamento do trabalho (remunerado) dos autarcas eleitos com os nossos votos também… Vamos resumir para todos os sabugalenses as actas n.º 15 (11 de Julho de 2008) e n.º 16 (25 de Julho de 2008) da Câmara Municipal do Sabugal.

Câmara Municipal do SabugalActa n.º 15/2008 da Câmara Municipal do Sabugal
Antes da Ordem do Dia:
– O vereador Rui Nunes (PS) tomou a palavra para «referir que relativamente à Limpeza de Bermas e Valetas os sapadores estavam a fazer um bom trabalho. Relativamente a este assunto foi ainda referido que ao longo da E.N. a Direcção de Estradas também estava a proceder à limpeza do mato e foi dito que esta Câmara tinha sido a primeira do distrito a solicitar a execução deste trabalho.»
– Relativamente aos Centros Educativos a construir no Concelho o vereador António Robalo (PSD) respondeu que «já tinha solicitado à arquitecta Sílvia Gaião para desenvolver os procedimentos necessários com vista à abertura dos respectivos concursos públicos».
– O vereador Luís Sanches (PS) quis saber porque «determinados projectos simples de recuperação estarem a demorar dois a três meses para terem uma decisão» tendo o vice-presidente respondido que na próxima reunião daria uma resposta concreta. (Sem qualquer observação da oposição a resposta não se concretizou na acta n.º 16).
– 2.250 euros – «Carta do Grupo Cultural e Desportivo de Fóios e Junta de Freguesia de Aldeia do Bispo» –Solicitar a atribuição de um subsídio para a realização do XXIII Festival «Ó Forcão Rapazes» a realizar no próximo dia 16 de Agosto de 2008 na Praça de Touros de Soito. Deliberado, por unanimidade, atribuir o subsídio.
– 80 mil euros + 20 mil euros – Deliberado, por unanimidade, transferir para a Coopcôa – Cooperativa Agrícola do Concelho do Sabugal a importância de 80 mil euros e para a Casa do Concelho do Sabugal de 20 mil euros conforme protocolo oportunamente celebrado.
Carta de Graficôa (jornal «Cinco Quinas») – Solicitar a concessão de um apoio financeiro consubstanciado no aumento do número de assinaturas de 150 para 200. Analisado o assunto foi deliberado, por unanimidade, renovar a assinatura nos moldes anteriores, devendo ser comunicado, pelo jornal, o facto aos beneficiários.
– 343,05 euros – Carta da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Soito a solicitar o pagamento das despesas relativas aos Sapadores Florestais referentes ao mês de Maio de 2008. Deliberado, por unanimidade.
– 91.000 euros (18 mil contos) – Informação do Serviço sobre a realização da «Festa da Europa –Associações em Festa» com a colaboração das ADES -Associação de Desenvolvimento do Sabugal, em que é feita a apresentação da programação para os dias 25/07 a 03/08, bem como a estimativa de custos no montante de 91 mil euros. Deliberado, por unanimidade, autorizar a realização do evento, bem como a respectiva despesa.
– 5.630 euros – Informação do Serviço sobre a realização do «X Festival de Acordeão e Tocadores de Realejo» e respectiva estimativa de custos no montante de 5.630 euros. Deliberado, por unanimidade, autorizar a realização do evento, bem como a respectiva despesa.
– 14.300 euros – «Execução de Calçadas na Freguesia de Aldeia Velha» – Protocolo de colaboração com fundamento na delegação de competências oportunamente formalizada, sendo da responsabilidade da Câmara o encargo financeiro, no montante de 14.300 euros acrescido de IVA à taxa legal em vigor, bem como a fiscalização dos trabalhos.
– 38.191 euros – «Obras na Avenida Dr. João Nabais em Aldeia do Bispo» – Protocolo de colaboraão com fundamento na delegação de competências oportunamente formalizada, sendo da responsabilidade da Câmara o encargo financeiro, no montante de 38.191 euros acrescido de IVA à taxa legal em vigor, bem como a fiscalização dos trabalhos.
– 7.633,97 euros – «Pavimentação de Arruamentos em Quadrazais» – Foi deliberado, por unanimidade, autorizar a substituição do reforço de garantia por garantia bancária à firma Socongo – Sociedade de Construções Gouveias, Ldª, no montante de 7.633,97 euros, com fundamento na informação prestada pelo respectivo serviço, acrescido dos juros entretanto vencidos.

– Deliberado, por unanimidade, adjudicar a execução dos seguintes Circuitos de Transportes Escolares:
– 331,50 Euros por Dia– Circuito nº 1-P (Casteleiro. Malcata – Amiais -Terreiro Bruxas, Moita, Alagoas e Santo Estêvão ) à firma Viúva Monteiro & Irmão Lda, pelo valor de 331.50 euros/dia, acrescido de IVA à taxa legal em vigor.
– 587 Euros por Dia – Circuito n.º 2-P ( Azenha, Aldª S. António, Dirão da Rua, Ozendo, Qtª Quintinhos, Ribeira da Nave, Sortelha,Torre, Qtª Stº António, Qtª Ribeira, Urgueira, Bendada) à firma Viúva Monteiro & Irmão Lda, pelo valor de 587,00 euros por dia acrescido de IVA à taxa legal em vigor.

Acta n.º 16/2008 da Câmara Municipal do Sabugal:
– 10 Euros – Carta do Grupo Cultural e Desportivo dos Fóios a solicitar apoio financeiro, consubstanciado na aquisição do livro «Frias Madrugadas» da autoria de Amélia Rei Dias. Deliberado, por unanimidade adquirir 50 exemplares ao preço de 10 euros cada.
– Carta de Zita Conceição Aleixo Fernandes Marques a solicitar isenção do pagamento dos tratamentos nas Termas do Cró, em virtude das dificuldades económicas sentidas. Analisado o assunto, foi deliberado, por unanimidade, indeferir o pedido.
– Carta da Empresa Águas do Zêzere e Côa sobre a repercussão no consumidor final da Taxa de Recursos Hídricos, nos termos do Dec.–Lei n.º 97/2008 de 11 de Junho. Analisado o assunto, foi deliberado, por unanimidade, deferir a repercussão da taxa.
– 54.984 euros – «Calcetamento de Ruas em Alfaiates» – Foi deliberado, por unanimidade, celebrar com a Junta de Freguesia de Alfaiates, um protocolo de colaboração para «Calcetamento de Ruas», com fundamento na delegação de competências oportunamente formalizada, sendo da responsabilidade da Câmara o encargo financeiro, no montante de 54.984 euros acrescido de IVA à taxa legal em vigor, bem como a fiscalização dos trabalhos.
– 15.593 euros – «Colocação de Calçada em Cubos de Granito na Sobreira» – Foi deliberado, por unanimidade, celebrar com a Junta de Freguesia de Pousafoles do Bispo, um protocolo de colaboração com fundamento na delegação de competências oportunamente formalizada, sendo da responsabilidade da Câmara o encargo financeiro, no montante de 15.593,00 euros acrescido de IVA à taxa legal em vigor, bem como a fiscalização dos trabalhos.
– 23.786 euros – «Execução de Pavimento em Tapete Betuminoso – da Rua que vai da Estrada Municipal até ao Centro de Dia de Aldeia de Santo António» – Foi deliberado, por unanimidade, celebrar com a Junta de Freguesia de Aldeia de Santo António, um protocolo de colaboração com fundamento na delegação de competências oportunamente formalizada, sendo da responsabilidade da Câmara o encargo financeiro, no montante de 23.786 euros acrescido de IVA à taxa legal em vigor, bem como a fiscalização dos trabalhos.
– 12.622,63 euros – «Apoio financeiro para conclusão da construção do pavilhão multiusos» na Freguesia da Lageosa da Raia, nomeadamente um gradeamento que impeça a queda de pessoas na alçada lateral esquerda e a execução de pavimento em cubos de granito. Deliberado, por maioria, com a abstenção do vereador Rui Nunes por não ter sido convidado para a inauguração do recinto, atribuir um subsídio no montante de 12.622,63 euros.
– 5.922,00 euros – «Muro de Suporte em Pousafoles do Bispo» – Ofício da Junta de Freguesia de Pousafoles do Bispo autorizado por unanimidade.
– «Cedência da Escola Primária» – Deliberado, por unanimidade, deferir o pedido de cedência da Escola Primária para criação de espaços destinados a multimédia, biblioteca e convívio para os mais jovens à Junta de Freguesia de Quadrazais.

e ainda…
– 189.165,90 euros – «Abastecimento de Água e Saneamento à Ruvina» – Deliberado, por unanimidade, adjudicar por ajuste directo a obra à firma António José Saraiva, S.A. pelo montante de 189.165,90 euros, acrescido de IVA à taxa legal em vigor.
– 41.670,21 euros – «Abastecimento de Água e Saneamento à Ruvina» – Informação do fiscal da obra sobre a necessidade de execução de trabalhos a mais, com fundamento no disposto no art. 26º do Dec. Lei n.º 59/99 de 2 de Março. Deliberado, por unanimidade, autorizar a execução destes trabalhos, como trabalhos a mais da empreitada, pelo montante de 41.670,21 euros acrescido de IVA à taxa legal em vigor e, a prorrogação do prazo proporcional ao valor dos trabalhos.
– 21.100 euros – Informação da Divisão de Obras Municipais sobre a execução de muro de suporte de um terreno propriedade da Câmara, contíguo à propriedade de Norberto Manso, sito na Rua Ismael Mota em Sabugal e cuja execução foi aprovada em reunião de 30/06/06. Analisado o assunto foi deliberado, por unanimidade autorizar a execução do muro, na modalidade proposta na informação nº 219-T/08 datada de 24/07/08, cujo encargo financeiro é de 21.100 euros.

As deliberações foram aprovados por unanimidade, ou seja, com os votos favoráveis de todos os vereadores do PSD e do PS. E ainda…

Na votação do apoio financeiro de 12,622,63 euros (cerca de 2500 contos) para a construção de uma grade exterior de protecção no pavilhão multiusos da Lageosa da Raia o vereador do Partido Socialista, Rui Nunes, absteve-se por não ter sido convidado para a inauguração do recinto.

E abstendo-nos de outros pormaiores interessantes… Será erro? Circuito n.º 2-P dos Transportes Escolares – 587 EUROS por Dia + IVA (cerca de 600 contos por semana) (?!?).

Fonte: Newsletter n.º 29 da Câmara Municipal do Sabugal

O Capeia Arraiana irá, sempre que lhe for possível, reproduzir as actas da Câmara Municipal do Sabugal.
jcl

O secretário de estado da Segurança Social, Pedro Marques, vai estar amanhã, dia 29 de Agosto, no concelho do Sabugal para inaugurar dois lares: o da Bismula e o de Aldeia de Santo António.

Lar de Terceira Idade em Aldeia de Santo AntónioAs duas obras, recentemente concluídas, e construídas apenas com o dinheiro do povo, sem quaisquer apoios das entidades oficiais vão agora ser inauguradas por um representante oficial do Estado, acompanhado por representantes do município sabugalense.
A roda de inaugurações começa na Bismula, pelo meio dia, hora a que será simbolicamente aberta a porta do Lar Nossa Senhora do Rosário, propriedade da Santa Casa da Misericórdia da Bismula.
Já de tarde, pelas 16 horas, será a vez de ser inaugurado o Lar de Aldeia de santo António, propriedade da Liga dos Amigos da freguesia.
Em cada um dos lares houve um investimento superior a dois milhões de euros, tendo-se obtido construções muito dignas, com boa capacidade e correspondendo a todas as exigências legais para o seu funcionamento. Na Bismula o lar terá capacidade para acolher 32 utentes, disponibilizando um serviço de acamados para dez pessoas. Já o lar da Liga dos Amigos de Aldeia de Santo António, tem uma capacidade para 21 utentes, tendo ainda a valência de centro de dia, com capacidade para 15 utentes, e Serviço de Apoio Domiciliário (SAD), actualmente a servir cerca 30 utentes.
Duas obras fundamentais para a melhoria do bem-estar dos idosos do concelho do Sabugal, o município com melhor cobertura de lares do país.
plb

Um incêndio florestal deflagrou hoje, 28 de Agosto, no Casteleiro, concelho do Sabugal, tendo sido combatido por cerca de 150 bombeiros de várias corporações. O fogo chegou a ter três frentes activas e só foi circunscrito no final do dia.

BombeirosO incêndio consumiu uma extensa área de mato, chegando mesmo a haver algumas casas em perigo, situadas fora do perímetro urbano da freguesia.
Os 150 soldados da paz foram apoiados por 37 viaturas, dois helicópteros e quatro aerotanques.
A ignição do fogo terá ocorrido cerca das 14 horas, tendo-se rapidamente propagado por três frentes, o que dificultou muito a tarefa dos bombeiros que apenas por volta das 20 horas o conseguiram circunscrever.
As operações foram comandadas no local pelo Comandante Operacional Distrital, que contou com o apoio de um Veículo de Planeamento Comando e Comunicações e com a presença do Grupo de Reforço a Incêndios Florestais da Coluna Nacional de Incêndios Florestais de Lisboa e de um Grupo da Força Especial de Bombeiros.
plb

Neste período estival é ainda tempo para mais uma parábola.

Ramiro Matos – «Sabugal Melhor»Há muitos, muitos anos havia um reino onde governava um rei bondoso, apoiado pelos seus conselheiros, nem sempre sábios, mas quase sempre muito sabidos.
Sendo um rei justo e amigo dos seus súbditos, e conhecendo a «sabidoria» dos membros do Conselho, reuniu um dia a sua corte e anunciou que a partir daquela data seria o Povo a escolher os seus conselheiros, marcando para o dia de Páscoa eleições, coisa rara e nunca vista nos reinos da Região, às quais se poderiam candidatar os súbditos que quisessem.
Caricatura de Rafael Bordalo PinheiroReuniram em segredo os conselheiros de longa data, e após demoradas e sábias discussões, perceberam que se nada fizessem sempre apareceria alguém para tentar tirar-lhes o lugar.
«Era preciso convencer os súbditos da conveniência em mantê-los nos lugares que tinham», disse o Conselheiro-Mór, e todos acenaram com a cabeça que sim.
E logo ali cozinharam uma estratégia que, acreditavam, daria os seus frutos.
E, quais enxames de abelhas em busca de pólen, no dia seguinte milhares de travessas de arroz doce, que muito agradava ao Povo, começaram a chegar a todos os lares do Reino, não esquecendo o pormenor fundamental de decorar a travessa com o nome do Conselheiro em quem votar, feito em canela da mais pura…
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

ramiro.matos@netcabo.pt

GALERIA DE IMAGENS – 14-8-2008
Fotos Capeia Arraiana – Clique nas imagens para ampliar

Entraram em vigor no dia 20 de Agosto de 2008, os novos prazos para as inspecções obrigatórias a veículos que passam a ter como data limite, não o mês da matrícula, mas o dia e o mês da matrícula inicial, conforme se encontra registado no respectivo livrete.

Esta alteração é válida tanto para a primeira inspecção anual como para as subsequentes e os veículos podem ser apresentados a inspecção durante os três meses (antes era dois meses) que antecedem o dia em que o automóvel foi matriculado pela primeira vez.
Os veículos sujeitos a inspecções semestrais devem ser apresentados a inspecção até ao dia correspondente ao da matricula inicial, no sexto mês após a correspondente inspecção anual.
Sempre que um veículo seja submetido a alterações das características técnicas que envolva uma periodicidade diferente da anterior, fica sem efeito a ficha de inspecção realizada anteriormente e deve ser submetido a inspecção periódica, segundo a nova periodicidade.

CALENDÁRIO GERAL DAS INSPECÇÕES PERIÓDICAS
VEÍCULOS PERIODICIDADE
Automóveis ligeiros
de passageiros
Quatro anos após a data da primeira matrícula, e em seguida, de dois em dois anos, até perfazerem oito anos. Depois anualmente
Automóveis ligeiros
de mercadorias
Dois anos após a data da primeira matrícula, e em seguida anualmente
Automóveis ligeiros licenciados para transporte público de passageiros e ambulâncias Um ano após a data da primeira matricula e, em seguida, anualmente até perfazerem sete anos. No oitavo ano e seguintes, semestralmente
Automóveis usados no transporte escolar e automóveis ligeiros licenciados para instrução Um ano após a data da primeira matricula e, em seguida, anualmente até perfazerem sete anos; no oitavo ano e seguintes, anualmente
Restantes automóveis ligeiros Dois anos após a data da primeira matrícula, e em seguida anualmente
Automóveis pesados
de passageiros
Um ano após a data da primeira matricula e, em seguida, anualmente até perfazerem sete anos. No oitavo ano e seguintes, semestralmente
Automóveis pesados
de mercadorias
Um ano após a data da primeira matricula e, em seguida, anualmente até perfazerem sete anos. No 8.º ano e seguintes, semestralmente
Reboques e semi-reboques com peso bruto superior a 3500 kg (excepto reboques agrícolas) Um ano após a data da primeira matricula e, em seguida, anualmente até perfazerem sete anos; no oitavo ano e seguintes, semestralmente
Automóveis pesados e reboques com peso bruto superior a 3500 kg utilizados por corporações de bombeiros e suas associações e outros que raramente utilizam a via pública, como os destinados ao transporte de material de circo ou de feira e reconhecidos pelo IMTT Um ano após a data da primeira matricula e depois anualmente

 

Legislação aplicável: Decreto-Lei n.º 554/99, de 16 de Dezembro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 136/2008, de 21 de Julho.
Paulo Saraiva

A presidente da Direcção da Associação dos Bombeiros Voluntários do Soito, Maria Benedita Rito Dias, emitiu um comunicado pedindo explicações para o facto de ter ficado à margem de uma reunião realizada no Centro de Saúde do Sabugal para definir a colocação pelo INEM de uma ambulância operacional de Suporte Imediato de Vida (SIV) visando melhorar os cuidados prestados em ambiente pré-hospitalar à população.

Maria Benedita Rito DiasO comunicado emitido pela presidente Maria Benedita Rito Dias denota insatisfação pela não convocatória de um representante dos Bombeiros do Soito para as reuniões realizadas no Sabugal e solicita uma resposta para a atitude discriminatória do INEM e da Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro.

«A Associação dos Bombeiros Voluntários do Soito, teve conhecimento que na semana passada houve uma reunião no Sabugal, no Centro de Saúde e nos Bombeiros do Sabugal, com representantes do INEM, da ARS do Centro, do Centro de Saúde e dos Bombeiros Voluntários do Sabugal.
Esta reunião serviu para transmitir a decisão de que, a partir de 15 de Setembro 2008, irá ser colocada uma Ambulância SIV no Centro do Saúde.
A Presidente dos Bombeiros Voluntários do Soito pediu uma justificação ao Sr. Presidente do INEM, com conhecimento de várias entidades entre elas a Sra. Ministra da Saúde, a Liga dos Bombeiros, a Autoridade Nacional e a Câmara Municipal do Sabugal do porquê desta nossa Corporação não ter sido convidada a assistir, mais que não fosse, à dita reunião.
Colocamos um prazo de 10 dias úteis para nos darem uma resposta.
Maria Benedita Rito Dias
Presidente da Direcção da Associação dos Bombeiros Voluntários do Soito»

No sentido de decifrar alguma da linguagem técnica da colocação das ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV) ficámos a saber junto de fonte do Ministério da Saúde que «as SIV estão a ser colocadas em diversas localidades de Portugal Continental, num processo faseado, iniciado em 2007 e que termina no início de 2009. Os locais exactos foram definidos na sequência de um processo em que intervieram o Ministério da Saúde, o INEM, as Administrações Regionais de Saúde (ARS) e os autarcas responsáveis pelos vários concelhos envolvidos».
Em algumas zonas do território, como o concelho do Sabugal, nas situações em que o tempo é um factor crucial e a distância a que se encontram os meios diferenciados de emergência médica dificulta o seu envio em tempo útil, é necessário recorrer a meios com uma capacidade para prestar cuidados limitada ao nível do Suporte Básico de Vida para transporte da vítima a uma Unidade de Saúde, porque estes são os meios disponíveis mais próximos.
O Projecto SIV, coordenado pelo INEM, resulta da necessidade de desenvolver continuamente o Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM), com o objectivo de melhorar cada vez mais os cuidados de Emergência Médica Pré-Hospitalar prestados à população.
A expressão SIV traduz um conceito, aceite pela comunidade científica médica, baseado na necessidade de garantir os cuidados de saúde capazes de resultar numa reanimação com sucesso até estar disponível uma equipa médica, dita de suporte avançado de vida.
Ambulância SIVAs SIV complementam as Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER) e diferem destas pela ausência de um médico e de equipamentos cujo manuseamento implica a presença de alguém com formação em medicina, mas continuam a dispor de meios para reanimar ou entubar um paciente, para o que foi dada formação ao técnico que incorpora a tripulação. As Ambulâncias SIV são tripuladas por um Enfermeiro e por um Técnico de Ambulância de Emergência (TAE).
Ainda segundo a fonte do Ministério da Saúde «estão já em funcionamento 16 ambulâncias de Suporte Imediato de Vida, nos seguintes locais: Moura, Odemira, Elvas, Estremoz, Gondomar, Amarante, Régua, Fafe, Cabeceiras de Basto, Montalegre, Mirandela, Vila Conde, Santo Tirso, Seia, Peniche e Mira/Cantanhede. Até ao início de 2009, altura em que se prevê a concretização da última fase do projecto, deverão ter entrado em funcionamento 41 unidades. Ou seja, no âmbito da reforma das urgências/emergência, vão ser implementadas 93 ambulâncias, oito Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação e três helicópteros.»
Vamos, agora, perceber melhor o que pensa a Presidente da Direcção dos Bombeiros do Soito, Maria Benedita Rito Dias. «Escrevi uma carta e dei um prazo de dez dias para que me explicassem porque ficámos de fora das reuniões que decorreram no Centro de Saúde e nos Bombeiros do Sabugal. O nosso concelho tem duas corporações de bombeiros e apenas esteve presente uma. Porquê? Em 2007 fizemos um investimento de cerca de 100 mil euros em duas ambulâncias equipadas com todos os equipamentos necessários. Os nossos bombeiros frequentam cursos de Tripulantes de Ambulância de Socorro (TAS) e dez deles estão habilitados com formação de 210 horas em Desfibrilhadores Automáticos Externos (DAE) idêntico ao Tripulante de Ambulância de Emergência (TAE). A nossa associação tem, ainda, um formador acreditado em DAE. Mas… ficámos de fora da reunião. Porquê?», disse-nos, inconformada a dirigente.
E a concluir: «Falei com o senhor presidente da Câmara Municipal do Sabugal que me garantiu que o município não teve conhecimento oficial, nem esteve representado nas referidas reuniões. Os Bombeiros Voluntários do Soito são um posto de reserva do INEM preparado para responder em caso de emergência pré-hospitalar e prometeram-nos que durante o presente ano seriamos integrados no INEM. Afinal o que se passa?»
O Capeia Arraiana está em condições de adiantar que a proposta que está a ser negociada prevê o estacionamento da ambulância SIV, com tripulação externa ao concelho, no Centro de Saúde do Sabugal, entre as 20 e as 8 horas da manhã do dia seguinte.
jcl

Uma exposição do artista Luís Athouguia denominada «Onirismos – outras aventuras surreais» estará patente ao público a partir de sábado, 30 de Agosto, na Tinturaria, o novo espaço cultural da cidade da Covilhã.

Luis AthouguiaA Câmara Municipal da Covilhã apresenta a exposição «Onirismos – outras aventuras surreais» de Luís Athouguia. São pinturas de forte impacto visual, representativas da linha de produção actual de Luís Athouguia. O artista é um criador que domina intensamente o rigor do espaço, considerando-o como um todo, onde o tempo não importa, onde as moléculas que formam a trama pictórica, as formas que são matéria, massa, densidade, são susceptíveis de transformação pela energia, e indo para além da realidade física, fazem com que se abram outras dimensões que se reflectem e ampliam na sua pintura.
A sua produção pictórica elege a sensualidade cromática, a íntima percepção da forma, o onirismo e transcendência como tema e conceito, viajando com a força da luz, desintegrando-se e voltando a integrar-se, impactando numa dimensão nova, sugestiva, plena de matizes e leituras infinitas, que se move num trajecto de genuína inovação.
Luís Athouguia é natural de Cascais, diplomado pelo IADE, Instituto Superior de Design, em Lisboa, participou em relevantes Exposições Internacionais, Bienais de Arte, encontros de Arte Postal e integrou diversos grupos multi-disciplinares e plurinacionais de Artistas. Desde 1983 realizou mais de duas centenas de exposições (59 individuais) em Portugal e Espanha. Está representado em museus, instituições e importantes colecções nacionais e estrangeiras e foi premiado em certames de Arte nacionais e internacionais.
A exposição «Onirismos – outras aventuras surreais» do artista Luís Athouguia estará aberta ao público na Tinturaria do Centro de Exposições da Covilhã, no Rossio do Rato, de 30 de Agosto a 21 de Setembro, de terça a sexta-feira das 10 às 20 horas e ao sábado das 14 às 20 horas.

Trata-se de um mostra que merece ser vista, descodificada e fruída com todo o empenho e sentido crítico.
jcl

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Cerva, Jorge Campos, foi identificado sexta-feira, durante um incêndio, por um graduado da Guarda Nacional Republicana, alegadamente devido à intenção de utilizar uma técnica de contra-fogo.

BombeiroO comandante Jorge Campos, dos Bombeiros Voluntários de Cerva, freguesia de Ribeira de Pena, distrito de Vila Real, afirmou, em declarações à agência Lusa, que o graduado da Guarda Nacional Republicana «não lhe deu voz de detenção», explicando que lhe pediram a identificação e admitindo ter efectuado fogo de supressão.
De acordo com a Guarda Nacional Republicana estão 32 pessoas habilitadas, pela Direcção Geral de Recursos Florestais, a efectuar fogo de supressão, sendo 14 pessoas inscritas como «com capacidade para uso de fogo de supressão» e 18 pessoas «com capacidade só quando inseridos no GAUF – Grupo de Análise e Uso de Fogo».
No caso do incêndio em Tinhela, Concelho de Valpaços, o graduado do Grupo de Intervenção Protecção e Socorro, da Guarda Nacional Republicana, solicitou a identificação ao comandante dos Voluntários de Cerva, ao que, e de acordo, com o relatório da GNR a que a agência Lusa acedeu, o nome do bombeiro «não se encontrava na lista das pessoas qualificadas», na utilização de contra-fogo.
O caso passou-se sexta-feira, quando o comandante Jorge Campos decidiu utilizar contra-fogo, facto confirmado pelo próprio à agência Lusa, apesar do nome daquele bombeiro não constar na lista da Direcção-Geral de Recursos Florestais.
De acordo com o relatório da GNR, a secção do Grupo de Intervenção Protecção e Socorro, informou o comandante dos Voluntários de Cerva que «iria ocorrer num crime» e que poderia ser detido, caso ateasse fogo, mesmo que fosse para combater o outro incêndio.
Fonte do comando daquela força de segurança explicou à agência Lusa que os militares e oficiais da Guarda têm de cumprir e fazer cumprir a lei, não lhes cabendo efectuar avaliações ou interpretações de uma determinada lei.

Não é, porque é caso sério, mas podia ser a anedota da semana ao jeito de «Portugal no seu melhor».
jcl

«A força, não a opinião, é a rainha do Mundo» (Pascal).

António EmidioSe olharmos para as Democracias ditas ocidentais notamos que cada vez mais há um abuso do poder por parte dos seus governantes, não só naqueles países com pouca tradição democrática como Portugal, mas também noutros com profunda tradição democrática como a França.
Sem dúvida que os governos são eleitos por sufrágio universal, mas depois tornam-se tanto ou mais autoritários como aqueles que o não foram. A chamada legitimidade democrática serve de pretexto para decretar leis e tomar medidas que os regimes autoritários não se atreveriam com receio de revoltas populares. Não podemos comparar estes políticos ocidentais com qualquer ditador que conquiste o poder pela violência, mas depois de eleitos deixam de respeitar a vontade do povo.
Esta Democracia de partidos é intrinsecamente «partidista», significa isto que governa para determinados sectores da sociedade (grandes lobbys económicos). É a esses sectores que os governos devem o poder, embora com toda a sua retórica barata digam que governam para todo o povo.
E porque é que alguns políticos tentam impor de qualquer maneira, às vezes até à força, a sua própria vontade ignorando por completo a vontade do povo? Esse tipo de governante sofre de um qualquer trauma psíquico ou de algum complexo de inferioridade… A esses, se não fosse a sua notória irresponsabilidade, incapacidade e enervante arrogância, podíamos dizer-lhe o seguinte: a grandeza de um homem de Estado consiste em governar não só para os que pensam como ele, mas também para os que pensam de outra maneira.
Só compreende isto, e o aplica, o verdadeiro estadista. A um simples funcionário de partido, isto passa-lhe ao largo.
«Passeio pelo Côa», opinião de António Emídio

ant.emidio@gmail.com

A decisão do povo de Vilar Maior aponta para a manutenção da Festa do senhor dos Aflitos no primeiro domingo de Setembro, em detrimento da sua realização no mês de Agosto.

Vilar MaiorA tradição continua a valer em Vilar Maior, antiga vila raiana que mantém na data antiga a sua festa principal. O povo da freguesia pronunciou-se ontem, 24 de Agosto, votando as várias propostas. Contrariando algumas opiniões que defendiam a realização da conhecida festa do Senhor dos Aflitos em Agosto, para assim poder contar com a presença dos emigrantes, o povo decidiu-se a favor da manutenção da festa no primeiro domingo de Setembro.
Chegou a pensar-se que a festa de 7 de Setembro de 2008 seria a derradeira, mas afinal tudo será igual nos próximos anos.
António Gata, antigo presidente da Junta de Freguesia, e que colocou uma proposta a votação, falou do assunto ao Capeia Arraiana. Defendeu uma espécie de solução de compromisso, com a festa a realizar-se em dois momentos distintos: um primeiro em Agosto, dedicado aos emigrantes, e um segundo em Setembro, cumprindo a tradição e satisfazendo os peregrinos que ainda vêm de muitas terras da Raia para assistir às cerimónias religiosas. A população rejeitou também a sua proposta, situação com que se conforma mas que de algum modo lamenta: «A minha ideia era contentar as várias partes. Propus uma solução idêntica ao que sucede na festa da Senhora da Graça na sede do concelho, que é uma festa móvel com dois momentos, primeiro em 15 de Agosto para os emigrantes e depois em Setembro na data tradicional, que corresponde precisamente ao mesmo dia da festa do Senhor dos Aflitos em Vilar Maior. Penso que as coisas assim, continuando como estão, e como de resto o povo decidiu, podem levar ao fim da festa, porque a aldeia tem cada vez menos gente, e a prazo pode ser insuficiente para manter os seus custos elevadíssimos.»
plb

A edição n.º 617 do semanário «Nova Guarda» (20 de Agosto de 2008) inclui um suplemento especial sobre as Terras do Forcão intitulado «Olá Raia! Viver a Tradição» com uma panorâmica abrangente e cuidada sobre as grandes festas taurinas do mês de Agosto no concelho do Sabugal com encerros, capeias e desencerros. «Terei que dizer que não a um segundo mandato por questões de saúde», é uma das afirmações do presidente Manuel Rito Alves na entrevista que concede ao jornal.

Nova GuardaIlustrado com imagens, muitas e bonitas imagens da maior tradição sabugalense o suplemento inclui uma interessante e bem estruturada entrevista da jornalista Eduarda Pereira a Manuel Rito Alves, presidente do município sabugalense, onde o carismático líder confirma que não se vai recandidatar a um segundo mandato por motivos de saúde.
A fechar pode ainda ler-se um artigo que nos lembra que as aldeias da Raia estão cada vez mais bonitas e com melhor qualidade de vida.
Mas o nosso destaque de hoje vai para o editorial do director do «Nova Guarda», António de Andrade Pissarra, intitulado «O despovoamento do Interior». Com a devida vénia aqui reproduzimos um trecho dos seus pensamentos escritos:
«Perante tantos migrantes e emigrantes que anualmente regressam às suas terras, somos levados a concluir que a partida não terá sido fácil e razões muito ponderosas estarão na base de tão difícil decisão, ainda que os portugueses tenham espírito aventureiro. Ora, a questão que se coloca prende-se com a falta de investimento para que não se criassem condições para tamanho êxodo. Será que com políticas mais eficazes seria preciso fechar tantas escolas, tantos serviços de saúde e outros? Talvez não e um correcto aproveitamento do território deveria ter tido outros critérios. Até o turismo de que tanto se fala não pode viver sem pessoas. A adesão à União Europeia e a abolição das fronteiras tornaram obsoletas determinadas actividades e serviços, sem que se verificassem contrapartidas. A consequência foi a partida de muitas, nomeadamente para a região da Grande Lisboa, empobrecendo o interior.»

Jornal arrumado, actual, com qualidade gráfica e jornalística. Nem tudo vai mal… na Imprensa da região beirã.
jcl

Segunda-feira é dia de publicar a «Imagem da Semana». Ficamos à espera que nos envie a sua escolha para a caixa de correio electrónico:
capeiaarraiana@gmail.com

Data: Junho de 2008.

Local: Centro Histórico do Sabugal.

Legenda: Ficamos sem saber se D. Duarte merece dar o nome a uma rua ou apenas a uma travessa.

Autoria: Capeia Arraiana.
Clique na imagem para ampliar

No dia 9 de Agosto, contrabandistas de três povos da Raia, Casilhas de Flores, Forcalhos e Lageosa da Raia marcaram encontro num ponto secreto junto à linha da fronteira (na Genestosa) por volta das 11 horas da noite.

Caminhada NocturnaMais de 70 forcalhenses aceitaram o desafio saindo dos Forcalhos às nove e meia da noite em ponto. Desta vez, ninguém transportava «carrego» (nem «talegos»… apenas histórias, recordações daqueles tempos, sonhos e uma boa carga de adrenalina que a aventura nocturna iria proporcionar.
O céu estrelado e um belo luar não eram propriamente ideais para o Contrabando (sendo a claridade inimiga para quem pretendesse passar despercebido).
Pelo caminho, ouviam-se histórias daqueles tempos narradas pelos mais velhos – os aventureiros noctívagos tinham idades compreendidas entre os 5 e os 78 anos – aos mais novos cujos olhos absorviam e filtravam o escuro da noite para ver melhor… não fosse aparecer de repente um carabineiro, um lobo ou até mesmo um touro bravo.
Ao chegar à Raia, percorridos quatro quilómetros, encontramo-nos com os espanhóis das Casilhas aos quais as gentes da Lageosa se juntaram mais tarde. Era indescritível o momento que reuniu mais de 200 pessoas, num lugar ermo desprovido de qualquer estrutura eléctrica… três povos encontravam-se numa alegria difícil de explicar. A mercadoria tinha sido entregue: boa disposição, alegria e paz… muita paz!
…E não é que apareceram mesmo os carabineiros que surpreenderam os contrabandistas em flagrante!
A ideia era reunirem-se todos numa quinta isolada da Raia – a Quinta do Legário – que cedeu as instalações para receber os contrabandistas. No local iluminado por holofotes, fez-se uma roda à volta de quem quisesse contar histórias ou pequenos episódios dos tempos do contrabando. Sem o auxílio de microfones e altifalantes, o silêncio era mais do que ouro para poder ouvir as histórias proferidas entusiasticamente pelos contadores (um de cada aldeia).
Estórias eram muitas… desde a forma como as mulheres escondiam a mercadoria; o cavalo de um contrabandista que tinha levado sete tiros dos carabineiros; famílias que escondiam os contrabandistas de maneira a não serem apanhados; o cão de uma quinta que só ladrava quando sentia a presença dos carabineiros…
Elementos da organização do evento (Ayuntamiento das Casilhas, Junta de Freguesia da Lageosa e Associação dos Forcalhos) falaram sobre a importância do contrabando para a economia das famílias carenciadas naqueles tempos difíceis e para a união dos povos comprometidos numa actividade considerada ilegal e de alto risco.
Neste convívio muitos reencontraram amigos e familiares que não viam há anos e, por coincidências do destino, esta noite de contrabando voltou a juntá-los.
O sucesso desta iniciativa singela que envolveu as três aldeias raianas poderá ser eventualmente a luz do fundo do túnel da interioridade que poderá unir esses povos e caminharem unidos em direcção a outros projectos mais ambiciosos…
No final da sessão, todos se despediram calorosamente e regressaram para as respectivas aldeias na esperança de que para o ano haja novamente noite de contrabando.
Filipe Carlos

A Fundação INATEL lançou um desafio aberto a todos os filiados para a escolha de um hino a ser musicado para banda filarmónica. O envio dos trabalhos para o Concurso de Composição Maestro Silva Dionísio deverá ser feito até 30 de Setembro.

Cuncurso de Música do INATELA Fundação INATEL lança um Concurso destinado aos filiados do INATEL com o propósito de fomentar e valorizar a escrita musical para Bandas Filarmónicas, o Concurso de Composição Maestro Silva Dionísio.
O concurso, que decorre até 30 de Setembro, engloba duas categorias de prémios, um Grande Prémio, no valor de 2.000 euros e o Prémio Especial para Jovens Compositores com idade até 30 anos, no valor de 1.000 euros.
A peça a concurso deverá consistir num Hino do INATEL e obedecer à instrumentação para Banda Filarmónica.
Os resultados serão divulgados até 2 de Dezembro de 2008.
Outros pormenores do Regulamento poderão ser obtidos nas Delegações Regionais do INATEL ou através da Divisão de Etnografia e Folclore do INATEL.
Joaquim Igreja

Mantendo a tradição realizou-se por iniciativa da Associação Cultural e Recreativa da Torre um churrasco para todos os associados, familiares e população da Torre. O convívio ocorreu no dia 10 de Agosto, antecedido de uma Assembleia Geral de apresentação de contas e debate de pontos de interesse associativos.

Associação da TorreO churrasco consistiu num porco assado no espeto, no momento, pela firma «Soares», de Castelo Branco. O bicho encontrava-se com um excelente tempero e boa assadura, e pouco sobrou, sendo inúmeras as pessoas presentes. A Associação providenciou ainda pão, bebida variada e fruta no final.
A festa realiza-se nesta data para permitir o convívio dos muitos emigrantes naturais da Torre, ou com raízes nesta, e que se deslocam em Agosto. Muito tem contribuído a Associação pelo são convívio da população da Torre, dada a inexistência de qualquer outro local onde as pessoas se possam encontrar, beber uns copos, falar das suas vivências ou alheias, jogar às cartas, snooker, matraquilhos ou ping-pong.
Tendo em vista prosseguir com os melhoramentos que a Associação tem levado a cabo, este ano, conseguiu, com o dinheiro angariado, construir um palco digno de concertos de envergadura.
A Associação agradece a todos os associados e amigos da Torre que muito têm contribuído para que se continue no bom caminho, em especial as pessoas que ao longo do ano mantêm a Associação viva.
Um grande obrigado e que forças e vontade haja para continuar.
Joaquim Marques (presidente da Direcção)

A GNR da Guarda registou numa semana um total de 72 ocorrências criminais, efectuou quatro detenções, acorreu a 28 acidentes de viação e efectuou ainda duas acções de sensibilização sobre incêndios florestais.

O Grupo Territorial da GNR da Guarda registou na semana transacta 72 ocorrências criminais, das quais se destacam: nove crimes por ofensas à integridade física, nove de dano, seis de furto em veiculo, cinco de violência doméstica, quatro de furto em residência, três de ameaças, três de condução sob influência do álcool, dois de condução sem habilitação legal, um de furto de veiculo, um de furto em estabelecimento comercial, um de burla e um de tráfico de estupefacientes. A estas situações juntam-se ainda 15 situações de suspeita de crime de incêndio florestal.
No mesmo período, de 18 a 24 de Agosto, efectuaram-se ainda quatro detenções, sendo duas por condução de veículo sem habilitação legal e outras duas por condução sob influência do álcool.
Registaram-se ainda 28 acidentes de viação. Desses, 19 resultaram de colisões, seis de despistes e três de atropelamentos, dos quais resultaram 13 feridos leves.
A GNR efectuou também neste período duas acções de sensibilização sobre incêndio florestais, nas freguesias de Alvôco da Serra e Paranhos da Beira, ambas pertencentes ao concelho de Seia onde estiveram presentes cerca de uma centena de populares.
plb

No passado dia 9 de Agosto comemoraram-se na Igreja da Torre, concelho do Sabugal, as bodas de ouro sacerdotais do Frei Dominicano João Domingos da Ordem dos Pregadores. As cerimónias coincidiram com a data de aniversário do homenageado que nasceu há 75 anos no dia de São Domingos.

Homenagem a Frei João DomingosA Eucaristia de Acção de Graças decorreu na Igreja da Torre, concelho do Sabugal, pelas 12 horas, presidida por D. Manuel Felício, Bispo da Guarda, e acompanhado pelo Provincial Frei José Nunes, frei Pedro Fernandes (irmão do frei João), frei Bernardo Domingues, frei Miguel dos Santos, padre Hélder, padre Souta (anterior pároco do Sabugal) e diácono António Lucas Fernandes.
A cerimónia foi seguida de um almoço-convívio organizado pela família que contou com a presença de cerca 170 pessoas entre familiares e amigos.
No final da refeição foram projectadas fotografias e o percurso de Frei Domingos e lido um texto baseado numa entrevista efectuada por uma aluna do ICRA ao homenageado.
A homenagem contou ainda com a presença do Cónego Pereira de Matos (Vigário Geral da Diocese da Guarda) e do Padre José Júlio.
Frei João Domingos fez nesse dia, precisamente, 75 anos, tendo nascido com o nome de Domingos Fernandes, numa aldeia chamada Torre, do concelho e paróquia do Sabugal, distrito da Guarda. O nome foi-lhe dado por ter nascido perto do dia de S. Domingos.
No seio de uma família da classe média, agricultores e pastores, cresceu com os valores do catolicismo. A ida à missa, à catequese e a oração do terço ao final do dia na igreja, faziam parte do seu quotidiano. Com os pais, cuja convivência era pacífica e fiel, aprendeu a verdade e honestidade, a franqueza e confiança.
O início do seu caminho pela vida religiosa começou a desenhar-se em 1946, após o exame da 4.ª classe, com a vinda de uns padres dominicanos da Ordem dos Pregadores que realizaram exames de admissão ao seminário. A Ordem tinha um Seminário Menor, perto de Fátima, onde ministrava o curso liceal. Fez o exame e foi aprovado. Recebeu o nome de João, na tomada de hábito em 1951, a 7 de Setembro, nome religioso que o ligava à Ordem dos Pregadores ou Dominicanos. A partir daí foi sempre chamado por Frei João Domingos.
Em Julho de 1955, o Superior, um padre dominicano canadiano, chamou-o e perguntou-lhe se estava disposto a ir para o Canadá estudar teologia durante 4 anos. Respondeu afirmativamente, fez os votos solenes (perpétuos) e partiu.
Durante esse período, para além do estudo, ajudou muitos emigrantes portugueses no Canadá, a maior parte deles vindos dos Açores, que tinham dificuldade com a língua. Ajudou-os na Emigração, no Ministério do Trabalho, com o preenchimento de papéis e mudança de contratos de trabalho.
Trabalhou, posteriormente, na América, três meses por ano, durante 23 anos, num Centro de Atendimento e Aconselhamento, aprendendo muito com as pessoas e, sobretudo, com os psicólogos e psiquiatras com quem trabalhava, para ajudar as pessoas a resolverem os seus problemas.
Em França, esteve no ano de 1968, ano do ressurgimento da juventude na Europa. Passou por Paris e outras cidades, mas foi em Estrasburgo que passou um ano escolar inteiro, onde vivia com os dominicanos e estudava na Faculdade de Teologia. Celebrava, também, missa numa Escola de Reeducação de Jovens e numa igreja onde se reuniam os emigrantes portugueses.
Em Portugal, trabalhou oito anos no Seminário dos Dominicanos em Aldeia Nova, sete dos quais como Director. Passados, esses 8 anos, foi Superior do Convento dos Dominicanos em Fátima onde ajudou a criar, um Centro do Estudos, aberto a seminaristas e jovens, rapazes e raparigas, novidade que, na altura, nem toda a gente aceitou bem. O centro conta hoje com mais de quatro mil estudantes.
Em 1975 voltou ao Canadá onde estudou durante um ano. Regressou em 1976 e foi viver em Lisboa na Casa dos Dominicanos em Benfica. Foi nomeado Director do ISTA (Instituto de Teologia São Tomás de Aquino) e começou a dar aulas de teologia na Universidade Católica de Lisboa. Nesse tempo, desempenhou, simultaneamente, outras funções, como: pregação e animação das pequenas comunidades religiosas de padres e irmãos operários, inseridas nos bairros de Lisboa e Porto e nas aldeias do Interior.
Em 1981 iniciou o seu percurso no país em que permanece até hoje, 2008, Angola. O projecto dos Dominicanos em África inclui o trabalho como missionários na pastoral, na educação, na promoção e no desenvolvimento do povo.
Em Agosto de 1988, respondendo ao pedido dos bispos da Igreja Católica, assumiu a reitoria do ICRA (Instituto de Ciências Religiosas de Angola) em Luanda. Assim, em Setembro desse ano assumiu o ICRA e a paróquia do Carmo, juntamente com outros dominicanos onde foi pároco durante quatro anos.
A partir de 1992, deixou de ser o pároco, mas continua sempre a trabalhar como colaborador, apenas ausente desde Setembro de 1992 a Agosto de 1993, ano sabático, em que esteve em Jerusalém, em estudos bíblicos.
O ICRA foi criado pelos bispos de Angola a 8 de Dezembro de 1984 e tem como objectivos a formação de quadros angolanos baseada em filosofias de altruísmo e honestidade.
As competências adquiridas de frei João Domingos incluem ainda: «Filosofia e Teologia» na Faculdade de Teologia Católica, em Strasbourg, França; «Mestrado em Teologia Dogmática», na Faculdade de Teologia, do Collegium Philosophiae et Theologiae Dominicanum, Ottawa, Canadá; Director e professor no Seminário Dominicano português, professor de «Filosofia» no Centro de Estudos de Fátima; professor de «Teologia» na Universidade Católica de Lisboa; reitor e professor de »Doutrina Social da Igreja» no Seminário Maior e no ICRA, em Luanda; professor de Deontologia no curso médio «Educadores Sociais e Doutrina Social da Igreja e Direitos Humanos», no Seminário Maior de Luanda e no curso de Educação Moral e Cívica; professor de «Teologia Pastoral» no Seminário Maior de Luanda; professor de «Deontologia» no Curso Médio de Educadores Sociais; e Professor do «Pensamento Social da Igreja» no curso superior de Assistentes Sociais no Instituto Superior João Paulo II onde foi também reitor e professor de «Direitos Humanos» no curso superior de Professores e Educação Moral e Cívica, no mesmo Instituto João Paulo II, em Luanda.
Foi agraciado em 1998 com a comenda Ordem Mérito do Estado Português.
Natália e Gabriela (primas do Frei João Domingos)

É já na próxima segunda-feira, dia 25 de Agosto, que o ciclo das touradas com forcão se fecha, com a derradeira capeia arraiana a acontecer em Aldeia Velha.

Capeia de 2004 em Aldeia VelhaJá constitui longa tradição ser Aldeia Velha a encerrar o ciclo das capeias, assim como o é a abertura, que por direito secular, pertence à Lageosa.
A tourada de Aldeia Velha é sempre muito concorrida, talvez precisamente por ser a última e assim oferecer uma espécie de despedida a uma actividade festiva que apenas para o ano regressará.
Este Verão de 2008 tem sido muito intenso em emoções, tendo-se realizado as touradas da praxe e ainda algumas outras, de terras que se querem afirmar melhor no ciclo da mais genuína tradição raiana. Ruivós, Vale das Éguas, Rebolosa, Nave e outras terras, não querem abandonar o comboio das tradições e seguem no encalço das terras mais chegadas a Espanha, onde as capeias têm raízes profundas.
Lageosa, Aldeia do Bispo, Soito, Aldeia da Ponte, Alfaiates, Fóios, Forcalhos, Vale de Espinho, Aldeia Velha, e até o Ozendo, seguem em firme caminhada, fazendo inteiro jus à nossa originalidade, pegando ao forcão com coragem e firmeza.
Há pois muito bons motivos para se acorrer a Aldeia Velha e apreciar a derradeira das capeias deste ano.
plb

Na altura das Capeias Arraianas do concelho do Sabugal, captar a emoção e a acção é o principal mote de partida.

Pedro AfonsoPorém nem sempre é fácil transmitir isso num fotograma. Aquele momento do embate do touro no forcão, a cavada perante o touro entre outros movimentos típicos das Capeias.
O fruto das imagens exibidas, resulta da tentativa de captar os gestos, reacções e movimentos não criando fotogramas estáticos possibilitando sentir por breves instantes o desenrolar da acção. De certa forma imaginar o resultado.

(Clique nas imagens para ampliar.)

«A Objectiva de…», galeria fotográfica de Pedro Afonso
pmiguelafonso@gmail.com

De há muito que os emigrantes de Vilar Maior protestam por a sua festa anual se realizar apenas em Setembro, e este ano relançou-se esse debate na freguesia, realizando-se mesmo um «referendo» que ditará o futuro.

Vilar Maior - fotografias de José RobaloCom o fenómeno da emigração, quase todas as freguesias do concelho do Sabugal transferiram as suas festas maiores para o mês de Agosto, que é quando os que estão longe vêm às terras de origem. Mas em Vilar Maior a tradição foi mais forte e a festa do Senhor dos Aflitos, em tempos uma das maiores da raia, permaneceu no primeiro domingo de Setembro.
Em Vilar Maior há muito que este assunto se discute, mas este ano a polémica foi relançada e os emigrantes voltaram a pedir a alteração da festa do Divino Senhor dos Aflitos para o mês de Agosto, em substituição da festa dedicada à Senhora de Fátima, ou festa do emigrante, como é conhecida na freguesia.
Os interessados reuniram na Junta de Freguesia no passado dia 17 de Agosto e decidiu-se que no domingo, dia 24, haverá uma votação, onde se decidirá o futuro das festividades.
A votos vão várias propostas:
A primeira, de Henrique Silva, é pura e simplesmente mudar a data da Festa do Senhor dos Aflitos para o mês de Agosto.
A segunda, de António Gata, propõe a realização da festa em dois momentos: Em Agosto, em data a acertar, e em Setembro, na data tradicional, com uma única comissão de festas.
A terceira proposta, formulada por Cláudia Marques, defende a realização de duas festas religiosas integralmente iguais, uma em Agosto e outra em Setembro.
A quarta é manter a Festa em Honra do Divino Senhor dos Aflitos no modelo e data actuais.
A quinta opção de voto é acabar com as festividades em Vilar Maior.
O povo da freguesia está apostado em acabar de vez com a polémica que surge todos os anos e que este Verão foi particularmente viva, já que os emigrantes que ainda «esticavam» as férias por uns dias para assistirem às festas estão este ano praticamente impossibilitados de o fazerem, atendendo a que a data tradicional da festa é apenas em 7 de Setembro.
plb

Dois amigos, António Pissara e Angel Hernández Gómez, um português e outro espanhol, escreveram e editaram um livro que retrata a realidade das terras do concelho do Sabugal, tendo por quadro de fundo a tourada com forcão ou capeia arraiana. Neste tempo em que o ciclo das capeias se aproxima do fim aconselha-se a sua leitura para melhor conhecimento desta tradição taurina.

«Terras do Forcão» é um livro escrito em quatro línguas (português, castelhano, francês e inglês), com uma imensa profusão de fotografias, de óptima qualidade gráfica, que pretende ser um meio de promoção e divulgação do concelho do Sabugal, em especial das suas terras da orla raiana. O livro evolui ao redor do imaginário da capeia arraiana, que «começa na infância com as brincadeiras na escola e nos tempos livres, nas expressões utilizadas, onde o grito “Eh, Boiii!!!” é referência».
Os autores são amigos de longa data. Angel Hernández Gómez é professor e é natural de Gata, aldeia espanhola da linha raiana. É um apaixonado pela fotografia e gosta especialmente das terras do concelho do Sabugal, que percorre abundantemente, sempre com a câmara fotográfica ao lado. António Pissara também é professor e é ainda director do semanário Nova Guarda, estando ligado a Aldeia Velha pelo casamento.
O livro foi editado em 2003 e assume-se sobretudo como uma obra de divulgação. Fala com abundância do concelho do Sabugal, muito para além das terras onde tradicionalmente se faz a capeia, mas centrando-se sobretudo nestas: Aldeia da Ponte, Aldeia do Bispo, Aldeia Velha, Alfaiates, Fóios, Forcalhos, Lageosa da Raia e Soito. Também descreve a raia espanhola, onde os touros pastam na devesa, guardados por exímios cavaleiros, que mantém uma ligação permanente com as terras portuguesas. Explica-se no que consiste o forcão, enquanto instrumento de desafio dos touros, cuja origem histórica se perde na noite dos tempos. Também se explicam os rituais ligados às touradas, como o pedido da praça e o passeio dos rapazes, abordando-se ainda o encerro. A páginas tantas aborda-se a tragédia que muitas vezes acontece nas capeias. O arrojo desmedido ou a simples distracção têm ocasionado dramas, que o povo sente com intensidade.
O livro vive sobretudo da imagem. Há muitas fotografias antigas, testemunhando as touradas e os encerros de outrora, quando a praça ainda era vedada apenas com carros de bois carregados de lenha. Há imagens do rio Côa, das nossas paisagens naturais, dos monumentos, do povo assistindo às touradas com expressões de alegria e de apreensão. Também se reproduzem colecções de cartazes de várias épocas, através dos quais se divulgam as capeias, aí pontuando as que se realizaram no Campo Pequeno em Lisboa, pela mão da Casa do Concelho do Sabugal.
O precioso livro pode adquirir-se na Câmara Municipal do Sabugal, que patrocinou a edição.
plb

José Robalo – «Páginas Interiores»

«É um dado incontroverso e incontrovertível que para poder subsistir o homem necessita de meios de subsistência, numa palavra, de bens. Bens que, sendo económicos (ou por momentânea impossibilidade de acesso ou pela sua definitiva escassez), são objecto de disputa entre os homens…» (Orlando de Carvalho)

Para ser grande, sê inteiro
Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive
Ricardo Reis

Era desta forma redonda, perfeita e absoluta que o professor catedrático de Coimbra, Orlando de Carvalho, iniciava as suas lições de Direitos Reais, ou Direito das Coisas.
Em Coimbra, o nome deste professor catedrático era sinónimo de terror para os alunos atendendo aos seus patamares de exigência e rigor. Este professor que aprendi a respeitar e admirar depois da reverência inicial, era antes de mais exigente e rigoroso com ele próprio. Para além da formação científica de que era portador e que gostava de transmitir aos alunos, quer nas aulas, quer através da escrita, era uma consciência cívica e cultural brilhante, que nunca abdicou dos princípios que defendia e de que a sua obra escrita para além do direito é testemunho.
Cruzei-me com ele a ultima vez num restaurante de leitão da Bairrada num 1.º de Maio e lá estava com lenço e gravata bem vermelhos, nunca perdendo o seu ar austero. Nestas férias judiciais tive disponibilidade para o prazer de reler a sua sebenta e concluir que na sua escrita nada está a mais. Tudo é perfeito, com significado e sentido!
Eram assim os homens de carácter e de princípios.
Nestes dias em conversa com um amigo artista plástico, quando lhe perguntei se tinha vendido bem na sua última exposição, respondeu-me que tinha vendido a série toda do trash.
Numa revista de língua inglesa constato com alguma naturalidade que nos EUA, o sucesso na música, na televisão, na literatura, no cinema e nos jornais, está no trash. Quanto mais lixo, mais sucesso. Afinal por aqui não inventámos nada com a música pimba e o telelixo, uma vez que como me dizia um colega de profissão, no final do dia saturado de processos e de julgamentos, «não tenho paciência para pensar. As telenovelas distraem-me e não me obrigam a pensar».
O trash domina este mundo globalizado, saltando para a cena política, só assim se compreendendo como Bush chega ao poder e encaramos com naturalidade ser governados por políticos que não conseguem explicar como obtiveram as suas licenciaturas. Deixámos de ser exigentes connosco e com os outros, demitindo-nos do exercício da cidadania, caro professor.
Como afirmava Orlando de Carvalho «os bens escassos são objecto de disputa que, gerando conflitos – conflitos de interesses – … temos que atender ao princípio do primum vivere, deinde philosophari, sempre fiéis à máxima maquiavélica de não olhar a meios para atingir fins.

:: :: PARA LER :: ::
«1998 – Orlando de Carvalho, Escritos. Páginas de intervenção I. Notas & nótulas de literatura e arte», Livraria Almedina.
«Sobre a noite e a vida, Poemas», Orlando de Carvalho.

:: :: PARA OUVIR :: ::
«The Young Maverick», Glenn Gould.

«Páginas Interiores» opinião de José Robalo
joserobaload@gmail.com

O sucesso da edição de 2007 do Iberfolk em Sortelha levou o festival a fixar-se nessa aldeia histórica, onde encontrou as condições perfeitas para se realizar. O programa já foi divulgado, embora os organizadores considerem que este festival está sempre em construção.

Sortelha recebe o Iberfolk 2008 de 5 a 7 de Setembro. A Associação Transcudânia, que organiza o festival, em conjunto com outras parcerias, espera que muitos jovens se desloquem nesse fim-de-semana à aldeia histórica, à sombra de cujas muralhas poderão aproveitar as inúmeras actividades que estão previstas.
Carlos Alexandre, um dos principais dinamizadores e entusiastas do Iberfolk, falou ao Capeia Arraiana sobre o programa do Iberfolk: «O programa está delineado e contém muitos motivos de interesse, mas neste festival nada é definitivo. Quem vem até nós tem plena liberdade para mostrar o que sabe fazer, desde que se insira no espírito do festival. Por isso afirmamos que o programa está sempre em construção».
Quanto a expectativas, Carlos Alexandre, não coloca a fasquia muito alta: «Será bom se conseguirmos igualar a aderência da edição anterior, em que acamparam em Sortelha cerca de 300 participantes, a que se juntaram muitas pessoas da terra e outros que ali foram de visita. No total terão passado pelo festival cerca de duas mil pessoas. Se este ano igualarmos esse número para nós já é um sucesso, porque não temos meios para fazer uma ampla divulgação».
O festival promove um conjunto de actividades artísticas e convida à reflexão e ao debate sobre temática importante, mas também procura dar ensinamentos básicos, como o da importância de reciclar, na luta contra o desperdício. Estará em prática uma ideia nova: a organização disponibilizará canecas de alumínio a um preço simbólico, para ser usada pelos participantes, em alternativa aos habituais copos de plástico. No final, quem quiser devolver a caneca recebe o dinheiro de volta.
Sendo um festival gratuito, construído com boas vontades, o voluntariado será essencial, pelo que a organização tem apelado aos interessados que se lhe juntem num projecto único de aprendizagem e concretização.
O sito da Transcudânia na Internet lança o desafio:
«Contamos com todos para tornar Sortelha o lugar da música e dança mágica, porque a magia do património já lá está. Contamos convosco para passarem palavra ao amigo, ao vizinho, ao cão, ao periquito, ao inimigo, ao médico».
Para além da música e da dança, passeios de burro, caminhadas, escala, workshops, observações e contos, farão parte da festa que durante três dias animará Sortelha.
No respeitante a actuações estão certas as Adufeiras do Paul, PortFolk, Arranca Telhados, Ishbarian Bagpipe, João Gentil e Luís Formiga, Rabies Nubis e No Mazurka Band.
plb

GALERIA DE IMAGENS – 14-8-2008
Fotos Capeia Arraiana – Clique nas imagens para ampliar

O Lar de Santo Antão, em Aldeia do Bispo, concelho do Sabugal, comemorou 25 anos ao serviço da população no dia 14 de Agosto. As comemorações das bodas de prata contaram com a presença de individualidades religiosas, políticas e cerca de três centenas de pessoas que se quiseram associar à data festiva.

25 Anos do Lar de Aldeia do BispoOs 25 anos do Lar de Santo Antão do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora dos Milagres foram comemorados com pompa e circunstância no pavilhão de festas da instituição.
As cerimónias iniciaram-se com uma missa solene presidida por D. Manuel Felício, Bispo da Diocese da Guarda, acompanhado por D. José Alves, Arcebispo de Évora, o Padre Américo Barroca, o padre Carlos Manso Fernandes, o padre João Manso Martins e mais sete sacerdotes.
Após a celebração eucarística o padre Américo Barroca iniciou a cerimónia de homenagem a diversos colaboradores do Lar dando as boas-vindas a todos e saudando especialmente os prelados da Guarda e de Évora, a Governadora Civil da Guarda, Maria do Carmo Borges, o vice-presidente da Câmara Municipal da Guarda, Manuel Corte e o provedor da Santa Casa da Misericórdia do Sabugal, José Diamantino dos Santos.
«A vivência dos grandes que fundamentam a nossa sociedade estão visíveis na palavra de Deus na Terra. Neste ano dedicado a São Paulo o Lar de Santo Antão uma instituição que apareceu para cumprir a caridade cristã comemora 25 anos de existência. Estamos aqui para nos congratularmos e, em especial, para homenagear o seu fundador, o doutor João Nabais. Muito cedo partiu para o Seminário de Évora onde se formou. Como pedagogo influenciou a renovação do ensino em Portugal mas, acima de tudo, contribuiu para a criação do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora dos Milagres e para esta maravilhosa obra: o Lar de Santo Antão. Agora a obra cresceu, atingiu a maioridade e vive da generosidade e apoio das gentes da nossa terra. Em primeiro lugar o povo de Aldeia do Bispo, em segundo, os nossos idosos, e por último os vários organismos que apoiam o Lar», começou por dizer o Padre Américo Barroca que deixou ainda um pensamento final: «Devemos ser dignos da obra de caridade dos que nos precederam.»
Tudo começou há cerca de 30 anos atrás quando um cortejo de oferendas foi arrematado para possibilitar o arranque das obras de uma Casa que iria acolher os idosos e que foi pioneira no concelho do Sabugal. Ideia arrojada que sofreu o desdém e o escárnio de alguns mas que o tempo veio provar ser fundamental e imprescindível.
O primeiro orador foi Justo Nabais, ilustre empresário do ramo das artes gráficas, proprietário da Tipografia Diana em Évora. «O sonho tornou-se realidade. Há 28 anos não havia condições de higiene e assistência médica na nossa terra mas este Lar foi, em boa hora, o percursor de muitos que se seguiram e vieram dar qualidade de vida aos nossos idosos. Recordo o dia da inauguração com a presença de Leonardo Ribeiro de Almeida, presidente da Assembleia da República e de Teresa Costa Macedo, secretária de Estado da Família. Começamos com 12 idosos e ao fim de três meses passámos para 30. O nosso segredo é que não temos fins lucrativos e por isso não negociamos com idosos ou doentes», enfatizou Justo Nabais.
A intervenção da Governadora Civil da Guarda, Maria do Carmo Borges, ficou marcada por alguma emoção recordando que «apesar de ser da Serra casei, há 30 anos, com um homem desta terra». As memórias do passado contemplaram ainda alguns segredos como aquele de «ter ido a Navasfrias buscar um garrafão de azeite para saber como era o contrabando». Mas a vida permitiu-lhe «constatar que esta terra tem homens que dão bons exemplos como este que comemoramos hoje e que resolveu o problema de uma aldeia marcada pela emigração e com muitos idosos a viver na solidão». A responsável pelo Governo Civil da Guarda deixou ainda mais uma ideia forte: «A gratidão devia andar cada vez mais no nosso vocabulário. Devemos substituir a palavra solidariedade por fraternidade até porque aqui, neste Lar, as pessoas são tratadas com fraternidade.»
O vice-presidente da Câmara Municipal do Sabugal, Manuel Corte, aproveitou para felicitar todos os que abraçaram a causa de servir os outros através do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora dos Milagres de Aldeia do Bispo. «Somos um concelho envelhecido e achamos que este bom exemplo de Aldeia do Bispo com instalações de óptima qualidade, quase modelares, deve servir para outras instituições particulares de solidariedade social com mais de 300 postos trabalho directos espalhados pelas freguesias», recordou o autarca.
O Bispo da Guarda, D. Manuel Felício, fechou os discursos com a força viva que as suas palavras ganham. «Não devemos só olhar para o passado. Devemos olhar para o futuro e acrescentar aos nossos gestos presentes a caridade. Devemos adaptar-nos às novas realidades e necessidades dos tempos modernos. Um centro social não é nada sem a caridade e devemos fazer o bem sem olhar a quem», alertou o prelado.
Seguiu-se a entrega de 14 medalhas às pessoas que contribuiram e contribuem para que o Lar de Santo Antão seja uma realidade com qualidade de vida para os idosos. A primeira, a título póstumo ao dr. João Nabais; a D. António dos Santos, então bispo da Guarda; ao Padre José dos Santos Baptista; a Amândio Antunes Henriques; à Irmã Emília que durante 23 anos supervisionou o Lar; a José Inácio Fernandes; a Diamantino Lourenço Amaro, homem discreto mas com grandes obras; a Helena Manso, actual directora do Lar; à Tipografia Diana, de Justo Nabais; ao Povo de Aldeia do Bispo que contribuiu com um dia de trabalho com a medalha a ser entregue à Junta de Freguesia; aos colaboradores do Lar; a título póstumo a todos os que contribuiram para o Lar; a três funcionárias com mais de 15 anos de Casa; e por fim para Isabel Maria Lourenço Sanches, a funcionária mais antiga do Lar.
Enquanto os colaboradores preparavam o pavilhão para um lanche-convívio os presentes foram convidados a visitar as funcionais instalações do Lar de Santo Antão do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora dos Milagres de Aldeia do Bispo.
Estiveram presentes na assistência ilustres lagarteiros como José Eduardo Lucas e esposa, mestre Alcínio e muitos outros. Aqui deixamos uma saudação muito especial e carinhosa para Ana Manso que assistiu acompanhada de sua filha Rita em fase de recuperação, felizmente, do grave acidente de viação de que foi vítima.
Parabéns a quem sonhou a obra e a quem a tem conduzido por bons caminhos em benefício da qualidade de vida dos idosos da raia sabugalense.
jcl

No Lifecooler escrevem sobre Portugal e para Portugal. Dão a conhecer centenas de sítios onde dormir e outros tantos locais onde comer bem. Até final de Agosto lançam um desafio: fotografar Portugal a partir dos melhores miradouros seleccionados pela colaboradores da redacção. E a torre de menagem que há só uma em Portugal e fica à beira do Rio Côa foi uma das escolhidas.

LifecoolerO Lifecooler é, provavelmente (há uma marca de cerveja que utiliza o termo «provavelmente» porque, segundo os seus responsáveis, ainda não conseguiram provar todas as outras), o melhor «portal-guia» português de turismo, lazer e viagens na Internet. Dormidas, comidas, bebidas, passeios, experiências, património, etc., encontram-se catalogados, descritos e ilustrados com mais de 50 mil registos.
E para quem tem dúvidas aqui fica o seu cartão de visita: «Tratamos da saúde aos portugueses. Aconselhamos passeios a pé, a experimentar shiatsu e a relaxar num spa. E como estamos atentos às novas tendências e espreitamos em todo o lado que nos soe a inovação, qualidade e aventura até à bruxa nós fomos. Mas… a nossa última palavra é pois, para si, caro leitor, que nos procura e incentiva a fazer cada vez mais e de forma mais exigente. Nesta lógica a sua participação tem um papel central. Bem-haja por participar.»
A Redacção do Lifecooler lança um desafio até 4 de Setembro. Subiram aos pontos mais altos de Portugal para revelar as melhores vistas e paisagens, seleccionaram os melhores miradouros do país entre cabos, faróis, colinas, montes, serras e castelos. E incluiram o nosso. O Castelo do Sabugal que tem, provavelmente, a melhor paisagem de Portugal e arredores.
E agora dedo no clique. Fotografem perspectivas radicais do Castelo do Sabugal e enviem-nas até ao dia 1 de Setembro para a Redacção do Lifecooler. As imagens mais interessantes serão publicadas numa foto-reportagem especial, identificando devidamente o nome do autor e do local.
Recepção das fotos pela caixa do correio: redaccao@lifecooler.pt
Veja a selecção final a partir de 4 de Setembro aqui: Lifecooler.

E tinha piada ser seleccionada uma foto tirada no Castelo do Sabugal.
jcl

O Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE) que privilegia as potencialidades naturais, património histórico e sabores tradicionais aprovou oito candidaturas da Região Centro. Para o distrito da Guarda foram seleccionadas cinco propostas que passam a ter condições privilegiadas de acesso a fundos comunitários.

Mais CentroO PROVERE seleccionou oito candidaturas da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) ao abrigo do Mais Centro-Programa Operacional Regional do Centro 2007-2013.
O programa comunitário tem como objectivo facilitar o acesso aos fundos comunitários em regiões de baixa densidade populacional através do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) e dos programas de Desenvolvimento Rural e das Pescas com o objectivo de criar emprego e promover projectos de desenvolvimento regional.
As candidaturas da Região Centro apostaram no património natural e cultural, nos recursos termais, nas áreas protegidas e classificadas, nas rotas do judaísmo, nas aldeias históricas, nas aldeias de xisto, na romanização e no Vale do Côa.
Os municípios do distrito da Guarda e da Cova da Beira viram aprovadas cinco candidaturas que permitirão promover actividades de turismo histórico e da natureza.
«Turismo e Património no Vale do Côa» – A Associação de Municípios do Vale do Côa com sede em Vila Nova de Foz Côa e de que fazem parte os municípios do Sabugal, Almeida, Figueira de Castelo Rodrigo, Freixo de Espada a Cinta, Meda, Pinhel, Torres de Moncorvo e Trancoso, candidatou-se com um projecto específico tendo em conta uma estratégia concreta de desenvolvimento. O projecto âncora deste plano é a dinamização do Museu do Côa (Vila Nova de Foz Côa) e redefinição do modelo de negócio do Parque Arqueológico do Vale do Côa igualmente localizado no concelho de Vila Nova de Foz Côa.
«Rede das Aldeias Históricas de Portugal» – A Associação de Desenvolvimento Turístico das Aldeias Históricas (que inclui Sortelha), presidida pelo município de Arganil e com sede em Figueira de Castelo Rodrigo, candidatou-se a um fundo para consolidação da Rede das Aldeias Históricas como produto com potencial relevante ao nível do turismo cultural, turismo de natureza e em espaço rural.
«BuY NATURE – Turismo Sustentável em Áreas Classificadas» – O programa «BuY Nature» da Agência de Desenvolvimento Gardunha 21 vai apostar no património natural das áreas classificadas de montanha da Região Centro mais concretamente a Serra da Malcata, a Serra da Estrela, a Serra da Gardunha e os parques do Douro Internacional e do Tejo Internacional.
«Valorização da Rede Património Judaico» – O projecto de valorização e promoção do vasto património judaico na Beira Interior potenciando o turismo religioso foi apresentado pela Câmara Municipal de Belmonte em parceria com entidades públicas e privadas dos concelhos de Manteigas, Penamacor, Trancoso, Covilhã e Guarda.
«Provere Serra da Estrela» – A candidatura das autarquias de Celorico da Beira, Covilhã, Gouveia, Guarda, Manteigas e Seia destina-se a reter e captar população através do investimento na valorização humana e nas actividades agrícolas e de turismo de natureza.
«Rede das Aldeias de Xisto» – Outro dos projectos que envolve 13 municípios (Góis, Lousã, Arganil, Miranda do Corvo, Pampilhosa da Serra, Penela, Proença-a-Nova, Sertã, Vila de Rei, Oleiros, Castelo Branco, Vila Velha de Rodão e Fundão), pretende promover a internacionalização turística da Rede das Aldeias de Xisto através de criação de uma agência de viagens e a recuperação das artes e ofícios regionais.
«Caminhos da Água» – A candidatura aposta no termalismo e identifica os recursos hídricos do Baixo Mondego para uma estratégia sustentada de desenvolvimento de toda a região de Dão-Lafões. O objectivo é posicionar a região em segmentos de mercado de elevado valor acrescentado e com procuras internacionais dinâmicas, como o turismo termal, de saúde e bem-estar respeitando os valores ambientais e promovendo a fixação da população e criação de emprego e riqueza.
«Romanização de Sicó» – Este programa tem como área de intervenção o território de Sicó (Alvaiázere, Ansião, Condeixa-a-Nova, Penela, Pombal e Soure) e o foco temático é a Romanização orientado para actividades geradoras de empregos e atractivas do ponto de vista residencial e turístico.

Página da CCDRC – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro actualizada no dia 13 de Agosto de 2008 com as candidaturas oficiais e identificando as Câmaras Municipais participantes: consulte aqui.

O concelho do Sabugal fica, estranhamente, à margem das candidaturas aprovadas para acesso a fundos comunitários de regiões de baixa densidade populacional sem nenhum projecto concreto e directo para a região raiana.
jcl

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3.151.764 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES

Anúncios