Quintas de São Bartolomeu – A freguesia está situada a cerca de quatro quilómetros a noroeste do Sabugal. Saindo do Sabugal pela estrada nacional que leva à Guarda, a seguir à ponte dos Sargaçais vira-se no cruzamento à direita no sentido Cerdeira. A principal festividade está marcada para o dia 24 de Agosto em honra de São Bartolomeu, elevado pela Igreja à condição de padroeiro dos padeiros, alfaiates, sapateiros e mercadores de Florença.

Joaquim Manuel Correia no seu livro «Terras de Ribacôa – Memórias Sobre o Concelho do Sabugal» faz a descrição da freguesia em 1905:
«É uma pitoresca aldeia formada de cinco Quintas ou pequenas povoações: Quinta do Santo, Barrocal, Curral, Redonda e do Meio. A Quinta do Santo é a principal e situada no ponto mais elevado. É esta freguesia abundante em águas potáveis e para irrigação, banhada como é por um ribeiro que fertiliza as suas mimosas hortas e lameiros. Tem muitas árvores frutíferas, especialmente castanheiros. Passa a pequena distância a estrada que partindo da estrada distrital, perto da ponte dos Sargaçais, se dirigia à estação da Cerdeira. Perto da povoação passa a caudalosa ribeira dos Sargaçais, que a pequena distância se une ao rio Côa. Nas margens dessa Ribeira, que nasce perto da Paã, há belíssimas veigas e lameiros. Junta-se-lhe o ribeiro das Quintas sobre o qual há uma ponte, a poucos metros da freguesia. A Igreja Paroquial é decente e de boas dimensões e tem altares regularmente ornados. No altar-mor vê-se São Bartolomeu, orago da freguesia. A Feira de São Bartolomeu que se realiza no dia deste santo é sempre muito concorrida pela gente do Sabugal. Em 1765 tinha 101 fogos e em 1889 tinha 150.»

Em Fevereiro de 2007 o Paulo Leitão Batista fez uma reportagem nas Quintas de São Bartolomeu sobre as obras adjudicadas pela Câmara Municipal do Sabugal e incluídas no programa de dotação da rede de saneamento básico em todas as localidades do concelho. Na ocasião o presidente da Junta de Freguesia, Joaquim Corte, deu conta da sua satisfação pela intervenção justificando a duração da mesma: «A dispersão do casario e a rede de ruas e caminhos que conduzem às habitações situadas fora do núcleo urbano, levaram a que os trabalhos fossem mais lentos.»
Aqui recordamos uma passagem da referida reportagem: «As Quintas de São Bartolomeu são formadas por três núcleos populacionais: a Quinta do Santo, a Redonda e o Barrocal. As casas esparrinham-se nas encostas de um pequeno vale, entremeadas com campos de cultivo pejados de arvoredo. Fora do núcleo urbano de antigamente construíram-se casas novas, por onde se chegava por caminhos esconsos, que com o decurso do tempo a Junta de Freguesia foi empedrando. As Quintas têm um dos maiores perímetros urbanos do concelho do Sabugal, e uma rede de passagens a servir as casas, que formam uma teia descomunal. Cada habitação ficou com o saneamento e a rede de água instalada à porta, e o empedrado, tendo sido levantado, foi de novo reposto, o que demorou o seu tempo.»

Quintas de São Bartolomeu

Mais recentemente visitámos novamente as Quintas de São Bartolomeu avaliando as intervenções em equipamentos sociais ao serviço da população. Há melhoramentos visíveis por intervenção da executivo da Junta por delegação de competências, transferência de verbas e apoio complementar do Município.
A sede da Junta de Freguesia está instalada num renovado edifício com salão polivalente no rés-do-chão que pode ser utilizado como auditório. Conservando as memórias do passado foi recuperado um forno comunitário mantendo a sua traça exterior em cantaria granítica típica da região.
A Associação das Quintas de São Bartolomeu foi igualmente «beneficiada» com um polidesportivo.
Do outro lado da estrada o recinto das festas com palco, instalações sanitárias de apoio e um amplo recinto para bailaricos está funcional e bem situado.

As ruas interiores estão muito bem cuidadas e com excelente piso. A arquitectura e os estores fechados da maioria das casas construídas há menos de 30 anos confirma a qualidade de emigrantes dos seus proprietários. É uma típica freguesia raiana, renovada e rejuvenescida nos seus equipamentos sociais, onde também só vão faltando as pessoas.
jcl