Ao iniciar esta crónica ocorrem-me ao espírito as conversas que enquanto adolescente mantinha com um velhote na Ruvina e os conselhos que me transmitia para ser feliz o resto dos meus dias.

Isto
Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.
Fernando Pessoa

José Robalo – «Páginas Interiores»

Entre outros, registei na memória quando me dizia que nunca me deveria arrepender das coisas que não conseguisse alcançar e que não deveria lutar pelas coisas que à partida fossem inacessíveis. Estes conselhos desresponsabilizavam-me enquanto adolescente de qualquer esforço. Devo dizer que por vezes utilizava com algum sucesso estes ensinamentos e pensamentos nos meus testes de Filosofia, uma vez que estamos quase na filosofia do nada, do vazio e do niilismo de Friedrich Nietzsche. Tudo se dissolve no vazio, no nada.
Hoje no mundo dos adultos não sou pessoa para me resignar. Quem me conhece sabe que não sou, nem nunca fui alguém para virar a cara à luta. Sou por natureza persistente, resistente e obstinadamente defensor das ideias e projectos em que acredito. Sou perseverante por natureza e formação e nunca desisto duma meta ou objectivo.
Tendo alguma formação na área da Educação Especial, no meu pensamento fervilha um projecto arrojado para o Sabugal, não só pelos desafios que nos coloca, como pela capacidade de inovação que o mesmo em si comporta.
Como conheço muito bem o concelho sobre o qual escrevo, penso que seria interessante a criação dum centro de recursos capaz de dar resposta às necessidades quer dos jovens em idade escolar, quer aos menos jovens que carecem de apoio ao nível da fisioterapia, terapia de fala, motricidade, consultas de desenvolvimento, linguagem gestual e serviço de psicologia, entre outros.
Abundam no concelho pessoas que diariamente são atendidas em concelhos limítrofes, carenciadas de apoio ao nível destes serviços. Por outro lado, daquilo que conheço do Sabugal, são cada vez mais os jovens com licenciaturas e formação com muita qualidade nestas áreas, capazes de dar resposta a este tipo de necessidades. Estão assim reunidas todas as condições, para protocolar com o Ministério da Saúde e da Segurança Social, o financiamento deste tipo de actividades.
O organismo a criar tem obrigatoriamente que envolver na sua génese o Município ou a Empresa Municipal através dos equipamentos de utilização colectiva, as escolas através dos respectivos órgãos de gestão, as Misericórdias e todas as pessoas de boa vontade.
Não tenho dúvidas que esta instituição a criar poderá dar resposta na prestação de serviços especializados às pessoas deles carenciados ao mesmo tempo que criamos postos de trabalho para jovens técnicos, multiplicando assim riqueza no e para o concelho, combatendo a desertificação fixando pessoas.

:: :: PARA LER :: ::
«O homem sem qualidades», de Robert Musil, D. Quixote.

:: :: PARA OUVIR :: ::
«Cat Power», Jukebox, Matador Records.
«Pedro Guerra», Tan cerca de mi, BMG.
No final de um dia de sol e de praia e já em casa após um duche retemperador para tirar o sal, antes do jantar com uma bebida fresca nas mãos, Chet Baker, nomeadamente The Best of Chet Baker sings, ou Chet Baker, complete 1952 fantasy& pacific jazz sessions. Boas músicas.

:: :: PARA VER :: ::
«Concerto ao vivo de Leonard Cohen», no passeio marítimo de Algés, dia 19 de Julho.

«Páginas Interiores» opinião de José Robalo
joserobaload@gmail.com