Há cerca de dois meses fui contactado pelo João Carvalho – Jonito – do Soito dizendo-me que lhe parecia que na área geográfica de Foios deveria haver algum local onde se pudesse saltar e voar em parapente.

José Manuel CamposMesmo sendo eu leigo na matéria prontifiquei-me a dar com ele umas voltinhas pelos locais que me pareciam mais apropriados de acordo com as descrições que ele me ia fazendo. Deste gosto, aquele também não me parece mau mas vamos até lá mais à frente para melhor ficar a conhecer os hipotéticos locais que pretendo dar a conhecer ao Victor Baía, da Guarda, visto ser ele uma pessoa com larguíssimos conhecimentos na matéria.Passados alguns dias recebi um e-mail do Jonito dizendo-me que já tinha mostrado os locais ao Victor Baía e que, pelo menos dois, lhe pareceram interessantes. Depois de tudo isso recebi um e-mail através do qual o Fonseca se manifesta satisfeito com o local. Entretanto posso adiantar que têm vindo com frequência e dizem que o local promete. No passado dia 9 de Julho andaram, por lá, a voar.
Pretendo ainda dizer-vos que já tive conhecimento que um grupo almoçou no restaurante do viveiro e também já vi outro grupo na Ramitos. Aproveito para deixar a todos os praticantes da modalidade as dicas de C. Fonseca sobre o local:
Parapente nos Foios«Olá a todos,
Vocês lembram-se do Victor Baía vos ter dito uma vez aqui neste fórum «Azinha, fixem este nome…» Pois bem, agora fixem mais este: Fóios. O Vitor Baia descobriu mais um excelente local de voo, potente!
Para chegar a Fóios vai-se pelo Sabugal. E para chegar a descolagem, sobe-se por um estradão que começa antes do cemitério à entrada da aldeia. Lá em cima, há um marco geodésico, português, e a descolagem fica num corta-fogo à esquerda do marco abaixo de um promontório de pedra onde está um manga provisória.
A descolagem neste momento está muito radical, é sem mantinha e a asa estende-se por cima do mato e dos calhaus. Infla-se com muito cuidadinho para evitar prisões ou roturas dos suspentes e siga. Marrecar é missão quase impossivel com algum vento!
A orientação mais favoravél com vento é de SE – S – SW. Contudo, com vento fraco e com a brisa térmica de vale outros W´s podem funcionar bem.
A aterragem de recurso fica num corta-fogo à direita da descolagem. É largo e sem vegetação e está testado. Em alternativa o top landing no plateau também já foi testado e é fácil.
O voo é térmico ou dinâmico. O dinâmico funciona em toda a parede da descolagem incluindo a crista da Serra da Gata já testado pelo Vitor Baia. O térmico é subir e bazar para Espanha de aldeia em aldeia.
É local para se fazerem muitos quilómetros!
1) No Soito, aldeia que fica antes de Fóios, está o Jónito (João Carvalho) que é o piloto local e ex-aluno do Vitor. Ele pode dar todas as informações no local ou mesmo subir com a malta, se tiver disponibilidade. O bar-restaurante de que é proprietário, fica no centro da aldeia e chama-se «Cópus Bar» e como não podia deixar de ser toda a malta é bem recebida. A bifana que o Jónito serve é a maior que vi até hoje!
2) O Vitor já está em campo e conversações com as Juntas de Freguesia para se fazerem obras nas descolagens.
Bons voos para todos.»

Alguma coisa por cá fica.
«Nascente do Côa», opinião de José Manuel Campos

(Presidente da Junta de Freguesia dos Foios)

jmncampos@gmail.com