Para quebrar o enguiço do pessimismo, achei por bem recorrer à inventiva alheia, transcrevendo um documento que, nos jornais do princípio do século passado, apareceu muitas vezes nas páginas de «Curiosidades» dos jornais.

Jesué Pinharanda – Carta DominicalDocumento esse que, segundo alguns, estaria na Torre do Tombo. De facto foi ele achado no arquivo da Confraria do Senhor Bom Jesus do Monte, em Braga, com data de 1882. É a factura, ou orçamento, de várias reparações feitas por um santeiro local. Trata-se de uma factura muito objectivamente descritiva, e sem lugar a dúvidas, mas o modo de dizer acaba por ter graça:
«– Por corrigir os dez mandamentos, embelezar Pôncio Pilatos e mudar-lhe as fitas… 1$70.
– Um rabo novo para o galo de S. Pedro e pintar-lhe a crista… $80.
– Dourar e pôr penas novas na asa esquerda do anjo da guarda… $23.
– Lavar o criado do Sumo Sacerdote e pintar-lhe as suíças… 1$00.
– Tirar as nódoas ao filho de Tobias… $20.
– Uns brincos novos para a mulher de Abraão… $98.
– Avivar as chamas do inferno, pôr rabo novo ao diabo e fazer vários consertos nos condenados… 2$40.
– Renovar o céu, arranjar as estrelas e pintar a luz… 1$40.
– Retocar o purgatório e pôr-lhe almas novas… 1$78.
– Compôr os fatos e a cabeleira de Herodes… 1$00.
– Meter uma pedra nova, da funda de David, engrossar a cabeça de Golias e alargar as pernas de Saul… 1$20.
– Adornar a arca de Noé, compôr a túnica do filho pródigo e limpar-lhe a orelha esquerda… $80.
– Soma… 14$0.»

Pela cópia.
«Carta Dominical», opinião de Pinharanda Gomes

pinharandagomes@gmail.com

Anúncios