Tudo voltou ao normal nas ruas da Ruvina. Terminaram as obras de construção da estação elevatória e da colocação de saneamento básico na freguesia que obrigaram a algum desconforto da população durante cerca de ano e meio.

RuvinaAgora é outro luxo. As estradas municipais que atravessam a freguesia da Ruvina e fazem a ligação à Nave, à Rapoula do Côa e a Ruivós receberam um alcatifado tapete de alcatrão. Os arruamentos no interior da aldeia foram todos requalificados e calcetados com o granito próprio da nossa região.
As obras a cargo da empresa António José Saraiva decorreram durante cerca de ano e meio. A prazo alongado deveu-se às características graníticas do solo da Ruvina e que obrigaram a que cada vala demorasse mais tempo a ser aberta.
A intervenção contemplou a renovação integral da rede de fornecimento de água aos domicílios, o saneamento básico inexistente até aqui e a requalificação de todos os arruamentos da aldeia.
Nos terrenos junto ao campo da bola foi construído um novo depósito elevatório devido a problemas de pressão de água detectados nas zonas altas da Ruvina, Ruivós e Vale das Éguas.
A Ruvina com a cara lavada, recomenda-se e está finalmente apresentável para a chegada dos seus emigrantes no mês de Agosto.
jcl