A Casa do Concelho do Sabugal esteve representada na sede da Pró-Raia, na Guarda, para assistir à apresentação das linhas orientadoras das candidaturas ao QREN e para formalizar a sua candidatura a associada da associação de desenvolvimento integrado da Raia Centro.

Pró-RaiaO auditório da sede da Pró-Raia, na Guarda, encheu-se na passada terça-feira, 17 de Junho, com os representantes das instituições convidadas para tomarem conhecimento do planeamento dos objectivos e parcerias que a associação quer desenvolver nas candidaturas ao QREN – Quadro de Referência Estratégica Nacional.
A Pró-Raia seleccionou para a apresentação os parceiros mais representativos de cada sector de actividade nos territórios dos concelhos do Sabugal e da Guarda. A Casa do Concelho do Sabugal aproveitou para formalizar a sua inscrição como associada e tornar-se parceira privilegiada da associação.
Pelo concelho do Sabugal estiveram ainda presentes os representantes da Câmara Municipal, da «Sabugal+», da ADES, do Externato do Soito e dos Guardiões da Lua de Quarta-Feira.
A presidente da Pró-Raia, Lurdes Saavedra, abriu a sessão de esclarecimento que se destinava a identificar alguns actores locais para a estratégia futura defendendo a «dinamização e incentivo a parcerias mais activas através de três vectores essenciais que consistem no desenvolvimento rural, no ambiente e no turismo activo como pólo de desenvolvimento rural» tendo realçado que «o principal objectivo dos programas apoiados numa visão de sustentabilidade é a criação no território de postos de trabalho».
Paulo Marques, da Pró-Raia, encarregou-se de explicar os diferentes vectores do plano estratégico do PRODER «Sub-Programa 3 e Eixo 3» orientados para o GAL (Grupo de Acção Local) dos territórios dos concelhos do Sabugal e da Guarda.
As tabelas resumidas das medidas do Eixo 3 e e Eixo Leader para o período 2008-2013 são as seguintes:
– Diversificação da economia e criação de emprego – com acções nas actividades de exploração agrícola, na criação e desenvolvimento de micro-empresas e no desenvolvimento de actividades turísticas e de lazer.
– Melhoria da qualidade de vida – com acções na conservação e valorização do património rural, serviços básicos para a população rural e implementação de estratégias de desenvolvimento local.
– Cooperação Leader para o desenvolvimento social – com acções de cooperação interterritorial e transnacional.
– Funcionamento dos GAL (Grupos de Acção Local), aquisição de competências e animação – com acções de implementação de estratégias de desenvolvimento local.
Procurando sinergias e proactividades de todos os intervenientes, Paulo Marques, aproveitou para lançar uma reflexão com várias questões baseada em alguns pontos fortes e fracos identificados no território de intervenção da Pró-Raia.
A cultura ao serviço do desenvolvimento local através de iniciativas de recuperação e reabilitação de património com intervenção de apoios comunitários na preservação de valores culturais já é uma realidade no Grupo Cultural e Teatral Guardiões da Lua da Quarta-feira, no Museu de Vilar Maior, na Casa do Castelo no concelho do Sabugal, e no Museu de Tecelagem da Aldeia dos Meios, no Museu da Castanha de Aldeia do Bispo, na Casa Museu da Arrifana, no Centro de Artes e Ofício de Maçaínhas e na Casa Museu de São Pedro do Jarmelo no concelho da Guarda.
Encerrou a sessão de esclarecimento o vice-presidente da Pró-Raia, António Robalo, recordando as ideias-força das candidaturas nos três vectores: Social através do desenvolvimento rural, Turismo activo e Ambiente que é pilar e ao mesmo tempo é trave em virtude de ser transversal a todos os grupos.
jcl