A Pró-Raia, em conjunto com mais sete grupos associativos de acção local adquiriu em Lisboa um espaço de promoção e representação dos produtos turísticos das regiões parceiras no projecto.

Assinatura de compra da loja da Pró-Raia em LisboaUma delegação da Pró-Raia com a presidente Lurdes Saavedra, o vice-presidente António Robalo e o colaborador Paulo Marques esteve esta quarta-feira, 28 de Maio, em Lisboa para oficializar através da assinatura da escritura no notário a compra de um espaço de promoção e representação dos produtos turísticos das zonas parceiras do projecto «Animação e Comercialização de Produtos Turísticos em Meio Urbano».
O projecto resulta de uma parceria entre a Pró-Raia (Associação de Desenvolvimento Integrado da Raia Centro-Norte) e a chefe-de-fila ADIRN (Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte), Tagus (Associação para o Desenvolvimento do Ribatejo Interior), Beira Douro (Associação de Desenvolvimento do Vale do Douro), Leader Sor (Associação para o Desenvolvimento Rural Integrado do Sôr), a ADL (Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano), Raia Histórica (Trancoso) e Acaporama (Associação de Casas do Povo da Região Autónoma da Madeira).
As oito associações participantes são grupos de acção local gestores da subvenção comunitária «Leader+» enquandrando-se o projecto no «Vector 2» que fomenta a cooperação em rede entre parcerias nacionais e transnacionais.
Em declarações ao Capeia Arraiana a presidente da Pró-Raia e vereadora da Câmara Municipal da Guarda, Lurdes Saavedra, mostrou-se satisfeita com o projecto. «O investimento total, dividido em oito partes iguais, ronda os 400 mil euros e é financiado em cerca de 90 por cento com fundos comunitários. O espaço vai ser uma porta aberta em Lisboa para promover de uma forma organizada as oito regiões das associações co-proprietárias porque quem for à loja pode visitar os diferentes territórios nacionais», esclareceu Lurdes Saavedra acrescentando ainda que «a Pró-Raia vai disponibilizar o espaço para a divulgação do património construído, cultural e gastronómico no âmbito da Guarda e do Sabugal porque vamos trazer para Lisboa o que é nosso mostrando o que temos de melhor».
O investimento total da Pró-Raia atinge os 53.750 euros comparticipados pelo FEOGA com 30.825 euros e pelo MADRP (Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e das Pescas) com 16.597 euros e pela componente privada da própria associação com cerca de seis mil euros.
Como curiosidade refira-se que durante a leitura da escritura para posterior assinatura pelos representantes das oito associação gerou-se um momento de boa-disposição entre os intervenientes. O novíssimo cartão de cidadão do vice-presidente da Pró-Raia, António Robalo, emitido no Sabugal fez história no cartório porque foi o primeiro a aparecer para uma escritura e porque o notário não sabia como ler a respectiva data de emissão.
Após a assinatura da escritura de compra as delegações das oito associações deslocaram-se às futuras instalações da loja de promoção e representação regional. O espaço situa-se em Campo de Ourique, um bairro lisboeta no coração da cidade, onde o comércio tradicional se mistura com as lojas de marcas internacionais. A loja, situada muito perto da Casa Fernando Pessoa, servirá como estrutura de suporte técnico e logístico de apoio à animação e dinamização da comercialização de produtos turísticos em ambiente urbano, junto dos potenciais consumidores citadinos.
jcl