E pronto!… Lá vamos, novamente, ao Campo Pequeno.

Esteves Carreirinha - Ecos da AldeiaAí está, a grande e desejada Capeia Arraiana no Campo Pequeno, que tem vindo a ser propalada nestes últimos tempos, com vários artigos e comentários dos muitos que nos contactam, seja por telefone, mail ou pessoalmente.
Esta Capeia de Lisboa é de todo o Concelho, sendo programada e estudada o melhor possível, apesar de algum atraso, reflectindo-se no tempo desejado para se preparar convenientemente, embora tudo fosse feito a pensar em si, amigo conterrâneo do Sabugal.
Tem sido uma correria contra o tempo, com a adrenalina a subir, a cada dia que passa, para que tudo esteja operacional neste sábado, que se deseja uma grande jornada de convívio e emoção sabugalense, cá para estas bandas da Capital, nada que já não tivéssemos vivido desde o longínquo ano de 1978, conforme a grande reportagem fotográfica do nosso saudoso amigo João Leitão assim o atesta, neste Blogue.
Os conselhos são os mesmos de sempre, para os mais afoitos com os touros, toda a cautela é pouca, com o pé ligeiro sempre à mão de semear, não vá o diabo do touro fazer das suas. Apesar de tudo, temos de confessar a confiança nos nossos rapazes, ou não estivessem eles bem habituados a estas lides, lá para os nossos lados.
O que é mais importante, em todas as Capeias, para além da ousadia da rapaziada, é chegarmos ao fim do espectáculo, sem que tenhamos algo a lamentar, aliás, o aviso no Cartaz é bem explicito, mas como a nossa rapaziada é solidária, auguramos uma boa jornada, como não podia deixar de ser.
Com imensas Capeias vividas, acrescidas de responsabilidades directas, vive-se a 200 à hora, o coração palpita, para aí, o triplo, o desgaste é tremendo, esperando o final das ditas, respirando um alívio retemperador, como é bom senti-lo, ao encerrar o último touro. A confiança e a serenidade habituais servem de tónico especial, para que tudo decorra dentro da normalidade, assim o desejamos e, melhor, o esperamos.
A Casa do Concelho de Sabugal não regateará esforços, como sempre, para que tudo decorra dentro da bitola habitual a que nos habituámos nos últimos tempos, pedindo alguma compreensão e boa vontade a todo o pessoal, embora não descaracterizando nunca os hábitos da raia, antes servindo para os reavivar cada vez mais.
O desejo de todos será o nosso também, uma boa jornada de propaganda do cantinho de todos nós, que mexe com as nossas entranhas, quer lá estejamos, quer cirandemos por aqui e ali, mas que sempre lá regressamos, tantas vezes, quantas as desejamos, desfrutando do que melhor nos proporciona a nossa terra.
O Sabugal não é só Capeias, é bem verdade, antes é um misto de todo um manancial de usos, costumes, boa gastronomia, bons ares, boa gente e tudo o mais, que por lá existe, que não é tão pouco como isso, apesar dos pesares, bem entendido.
Quem lá vive, sabe melhor que ninguém, aos outros, à distância, resta-lhes suspirar! …
«Ecos da Aldeia», opinião de Esteves Carreirinha

estevescarreirinha@gmail.com

Anúncios