A definição de uma estratégia de desenvolvimento do Concelho é uma tarefa colectiva, para a qual todos temos o dever de contribuir.

Ramiro Matos – «Sabugal Melhor»Iniciei na última crónica a apresentação dos projectos que considero estruturantes para a Valorização do território concelhio.
Hoje apresentarei um segundo Programa no âmbito das acessibilidades concelhias.
Permito-me, no entanto prestar duas informações prévias:
(i) as redes viárias que atravessam o Concelho são classificadas como:
Estradas Regionais – as ER18-3 que vai da Moita (Terreiro das Bruxas) até Caria, e ER324 entre o Sabugal (cruzamento das Quintas de S. Bartolomeu até ao Alto do Leomil (A25);
Estradas Nacionais – as EN233 entre Penamacor, Sabugal e Guarda, EN233-3 entre o Sabugal e Aldeia da ponte e EN332 entre Aldeia da Ponte e Vilar Formoso;
Estradas Municipais – as restantes.
(ii) As responsabilidades da Empresa Estradas de Portugal contratualizadas com o Estado são referentes às Estradas Regionais e Nacionais, o que significa que quaisquer vias que não pertençam ao Plano Rodoviário Nacional acordado, só poderão ser assumidas por aquela Empresa se se verificar uma revisão do acordo firmado.
Dadas estas duas informações, apresento o Programa:
Programa «Desenvolver o sistema de mobilidade do Concelho», que, como venho afirmando há muito tempo, deve assentar em:
Elaborar o Plano Municipal de Mobilidade;
Construir o eixo rodoviário fundamental, constituído por uma estrela que, com centro na vila do Sabugal, possui três raios principais – EN233 – Sabugal – Barracão, ligando à A23 e à PLIE; ER324 – Sabugal – Alto do Leomil, ligando à A25; e EN233-3/EN332 Sabugal – Soito – Vilar Formoso, ligando a Espanha;
Modernizar a linha da Beira Baixa, de Castelo Branco à Guarda, passando pela Estação Ferroviária do Sabugal (Barracão);
Retomar a actividade da Estação da Cerdeira na Linha da Beira Alta;
Criar um sistema de acessibilidades internas, criando eixos secundários que, partindo do eixo principal, permitam a ligação ao mesmo de todas as freguesias do concelho, com especial incidência nos centros urbanos principais;
Criar um sistema de acessibilidades inter-aldeias fronteiriças, que aprofundem o intercâmbio sócio-económico entre as populações vizinhas.
A criação de um sistema de mobilidade do Concelho é uma prioridade de qualquer política de desenvolvimento sustentável.
Nas próximas crónicas continuarei a apresentação dos Projectos que considero estruturantes para a valorização do território concelhio.
«Sabugal Melhor», opinião de Ramiro Matos

ramiro.matos@netcabo.pt