Em resultado dos contactos da Junta de Freguesia do Soito com a Administração dos CTT a estação de correios daquela freguesia vai manter-se aberta todo o dia, embora com redução de horário, até que um estudo permita tomar uma decisão definitiva.

Posto dos CTT do SoitoA estação de correios do Soito está aberta ao público de manhã entre as 9 e as 12:30 horas, reabrindo depois das 16 às 17 horas. Este foi o resultado mais visível das conversações mantidas entre o presidente da Junta de Freguesia local, José Matias, e a representante da administração da empresa, Manuela de Portugal. Isso significa uma redução do horário em duas horas diárias, mas com a garantia de que haverá uma análise do tráfico de correio e do uso dos demais serviços naquele posto de atendimento por parte os utentes. Em resultado dessa análise será decidido o horário definitivo, que pode voltar a ser o que antes servia a população.
Relembre-se que no passado dia 19 de Maio o sino do Soito tocou a rebate e a população acorreu em preso à estação de correios, protestando contra a decisão de encerrar o serviço na parte da tarde. Os populares impediram o funcionário de sair e elementos da Junta de Freguesia estabeleceram conversações com um representante da empresa, no sentido de evitar aquilo que para muitos pareceu ser o início de um procedimento que poderia levar o fecho definitivo do serviço. A população só arredou pé quando a empresa se comprometeu por escrito a rever a posição, definindo um período de conversações com os representantes locais.
O autarca soitense espera que tudo venha a correr pelo melhor. «As negociações correram bem, tendo sido muito importante o apoio que o povo deu com a exigência de manter o posto aberto», disse ao Capeia Arraiana o presidente da Junta, José Matias. «Agradeço muito à população a mobilização e a luta, assim como o apoio da Câmara Municipal, pois só assim houve condições para se fazer a negociação», acrescentou.
Capeia Arraiana falou também com João Nabais, membro da Assembleia de Freguesia, eleito pelo PS, que considerou nada estar garantido. «As negociações representam aquilo que a empresa quis, mas não há garantias mínimas de que o posto volte a reabrir no horário normal. A abertura à tarde por uma hora é apenas um isco para as negociações, porque nesse horário, embora de porta aberta, os serviços não estarão completos. Estará lá o carteiro, que atende para o serviço mais básico, mas se alguém quiser tratar de um certificado de aforro, tenho a certeza que o mandam regressar no fia seguinte», considerou o membro da Assembleia de Freguesia. «Tudo o que seja um horário mais reduzido e um serviço diferente do anterior é uma perda para o Soito», rematou João Nabais.
plb

Anúncios