A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) desenvolveu um sistema de pastoreio com base nas novas tecnologias, fazendo com que o pastor do rebanho possa seja substituído por câmaras de vídeovigilância.

Pastor vigiando o rebanhoA freguesia de Paços, no concelho de Sabrosa, vai testar o projecto, recebendo câmaras de vigilância e sensores para monitorizar rebanhos e pastos. Os mentores da ideia, avaliarão assim no terreno a aplicabilidade do sistema, que esperam ver um dia ser efectivamente usado.
Desenvolvido por uma equipa de seis investigadores da UTAD, o sistema vai integrar os equipamentos na paisagem natural para que não sejam facilmente detectáveis nem intrusivos na vida natural onde crescem os pastos e os animais comem.
O grande objectivo da iniciativa é contribuir para que se encontre um sistema tecnológico que possa ajudar os pastores a monitorizarem qual é a melhor área de pasto numa determinada época do ano, sem terem de percorrer quilómetros com o gado para descobrir os melhores pastos.
Numa primeira fase o sistema vai servir para vigiar o crescimento da vegetação e prevê-se que numa fase posterior seja instalada numa zona de passagem uma balança integrada, através da qual os pastores podem saber o peso dos animais e se estes já podem ser abatidos.
A experiência avança dentro de dois meses em Paços, Sabrosa, tendo a autarquia local manifestado disponibilidade para colaborar, na perspectiva do concelho vir um dia a beneficiar do projecto para melhorar a criação pecuária.
Será esta a solução futura para a crescente falta de rebanhos, em parte devido à carência de mão-de-obra para os apascentar? E poderão um dia os nossos campos receber em massa as câmaras de vigilância, que tudo observam e monitorizam?
plb