Maria de Fátima Diogo foi expulsa da Liga dos Servos de Jesus após 23 anos dedicados às actividades religiosas. Agora é notícia porque reclama no Tribunal da Guarda uma indemnização de 120 mil euros por trabalho que não foi remunerado.

Maria de Fátima Diogo (Foto «Correio da Manhã»)A ex-freira Maria de Fátima Diogo, nasceu há 53 anos na Quinta das Vinhas, Baraçal do Côa, concelho do Sabugal.
Agora é notícia porque reclama da Liga dos Servos de Jesus uma indemnização de 120 mil euros por 23 anos de trabalho sem remuneração no Colégio da Cerdeira.
Em declarações ao Correio da Manhã confessou que sente uma «imensa tristeza pela expulsão e que passou o maior sofrimento por ter perdido um ideal que sempre quis seguir».
A ex-irmã Maria Diogo afirma que «saiu por foi obrigada» e por isso recorreu ao apoio judiciário porque não tem rendimentos para pagar a um advogado.
«Fui expulsa por um desentendimento com a irmã superiora Guilhermina, já falecida, porque desejava prosseguir os estudos na Universidade de Coimbra e ela não me autorizou. Queria ser mais útil à minha instituição», explicou ainda ao matutino.

O problema agora deixou de ser de incompetência para se tornar num caso de competências. A Relação de Coimbra e o Supremo Tribunal de Justiça não se sentiram competentes para julgar o processo e remeteram-no para o Tribunal Eclesiástico que também não se sentiu iluminado para tanto. Finalmente o processo está, agora, a avançar no Tribunal da Guarda. Com fé…
jcl

Anúncios