A rede Europeia de Turismo de Aldeia Rural é uma solução emergente no Alentejo onde aderiram 14 aldeias e há mais 36 interessadas. Aldeias-hotel, circuitos caminheiros e marcas com identidade regional estão na moda.

GenuinelandNasceu no Alentejo, integrado na Rede Europeia de Turismo de Aldeia, um projecto financiado pelo programa comunitário Interreg III C sob a forma de associação sem fins lucrativos gerida por privados.
A associação integra 41 empresas e sete organismos públicos e pretende evitar a desertificação promovendo turísticamente espaços rurais com fortes tradições culturais, históricas, etnográficas e patrimoniais.
O estudo elaborado pela Universidade de Aveiro privilegiou o desenvolvimento sustentável, a biodiversidade e a qualidade natural das regiões rurais.
Em declarações ao semanário Expresso a responsável pela associação, Apolónia Rodrigues, salientou a evolução do projecto quando este adoptou a gestão privada nas 14 aldeias alentejanas. A aldeia de São Gregório funciona como hotel e o aumento da taxa de ocupação tem sido significativo.
No Alentejo foram criados percursos pedestres aproveitando temas concretos das aldeias.
A marca Genuineland – rede europeia de aldeias turísticas – conta já com 50 povoações em sítios tão distantes como a Lapónia, a Toscânia ou o Alentejo. Denominador comum: uma forte identidade cultural.
Esta aposta tem trazido investimento à região até porque há a intenção de adesão à rede de mais 36 aldeias alentejanas.
As regiões transfronteiriças portuguesas e espanholas onde se inclui o Sabugal têm vindo a queixar-se da desertificação e da interioridade. Com razão. As tentativas para encontrar soluções vão-se multiplicando. Desistir não faz parte do nosso estado de alma e este exemplo da rede europeia de aldeias para promoção do intercâmbio turístico é um assunto que deve merecer mais atenção. Alguns pormenores. Os circuitos caminheiros são marcando para serem utilizados posteriormente em grupo ou individualmente. Aqui fica a sugestão para que a iniciativa das caminhadas mensais promovidas pela autarquia sabugalense passe a incluir a colocação de marcos e a criação do mapa turísticos dos trilhos concelhios tipo «dos contrabandistas, das fontes, etc.»
Aldeias-hotel com casas rurais recuperadas estão na moda!
E tal como já referiu o nosso opinador Ramiro Matos há aldeias raianas como Vale das Éguas, Ruivós, um Cró «adaptado» ou mesmo a Redondinha que se enquadram perfeitamente nestes perfis.
:: ::
Veja a página oficial da Genuineland aqui.
:: ::
«A Cidade e as Terras», opinião de José Carlos Lages

jcglages@gmail.com

Anúncios