Duas pedras trabalhadas em forma de pirâmide foram arrancadas durante a noite do muro do cemitério da Rebolosa, concelho do Sabugal, tendo sido dali transportadas para local incerto.

Um dos locais do furtoNa manhã do dia 2 de Maio um habitante da Rebolosa, ao passar a pé junto ao cemitério da aldeia apercebeu-se que tinham desaparecido duas pedras que encimavam os cantos do muro de vedação. Deu de imediato o alarme, tendo-se então concluído que alguém, durante a noite, roubara as pedras trabalhadas.
Sendo pedras de grande dimensão, acredita-se que tenham sido furtadas por mais de uma pessoa, recorrendo certamente a um veículo de transporte, numa operação que envolveu algum aparato. Contudo tudo se fez sem que nenhum habitante se tenha apercebido, beneficiando os criminosos do facto do local estar fora do perímetro urbano da aldeia.
Existiam na vedação do cemitério seis pedras na forma piramidal, quatro encimando cada canto e duas à entrada. As duas dos cantos frontais, junto à Estrada Municipal, foram as furtadas.
A Junta de Freguesia, enquanto proprietária do cemitério da Rebolosa, apresentou queixa contra desconhecidos no Posto da GNR do Soito.
Capeia Arraiana esteve à fala com o presidente da Junta de Freguesia, Manuel Rei, que se mostrou indignado com o acto de vandalismo e de furto das pedras do cemitério. «A surpresa foi grande pelo acto em si e pelos meios que seriam utilizados no furto, porque cada peça deverá pesar algumas centenas de quilos», disse.
Sobre a sua recuperação tem uma ténue esperança que tal possa acontecer: «Esperemos que apareçam e os responsáveis sejam punidos, porque este património, ali colocado há muitas dezenas de anos, tem dono: a Freguesia da Rebolosa».
plb