You are currently browsing the daily archive for Sexta-feira, 2 Maio, 2008.

A doação da colecção de arte de António Piné a uma instituição sedeada em Lisboa, em detrimento de Pinhel, terra natal do coleccionador, diz bem do estado em que está o Interior em matéria de sensibilidade cultural.

Arte contemporâneaO pinhelense António Piné, coleccionador de arte contemporânea cujo espólio está avaliado em cinco milhões de euros, doou a sua colecção à Associação Nacional de Farmácias. O legado reúne 140 obras de arte, incluindo quadros de Vieira da Silva, Picasso, Joaquim Rodrigues, Arpad Szènes, Júlio Pomar, Cargaleiro e Batarda, bem como uma escultura de Rui Chafes.
Ao que consta foi com muita mágoa que o coleccionador, farmacêutico de profissão, anunciou a sua decisão. Isto porque esperou 12 anos para que a Câmara Municipal de Pinhel, a quem pretendia doar a colecção, encontrasse um local para sua instalação. Farto de esperar, cansado da falta de sensibilidade da edilidade para a questão, e talvez ciente da verdade do adágio de que ninguém é profeta na sua própria terra, António Piné decidiu oferecer a obra a quem a valorize e dela se orgulhe.
A indiferença do edil de Pinhel para com o espólio artístico de António Piné é o exemplo do laxismo militante que importa combater para que as nossas terras tenham melhor futuro.
Esta história de Pinhel, concelho próximo do Sabugal, revela bem a falta de sensibilidade dos nossos autarcas para com as questões da cultura. Um festival de realejo, uma garraiada, um concurso de tunas, uma festa de comes e bebes, enchem-lhes melhor as medidas. Foi assim que a Bienal de Artes do Sabugal, uma iniciativa única na região, que na década de 1990 se realizou em três edições, teve o seu ocaso. O certame foi substituído pela festa da concertina, que entretanto também se finou.
Será tempo de se olhar para os valores da nossa terra, procurando uma acção concertada e estruturada que garanta a realização de iniciativas culturais de prestígio, revelando sensibilidade para o que de bom se produz nesse domínio.
«Contraponto», opinião de Paulo Leitão Batista

leitaobatista@gmail.com

Anúncios

Seguindo uma velha tradição, a Junta de Freguesia do sabugal comemorou a revolução de 25 de Abril com iniciativas populares, onde se inclui uma caminhada, jogos tradicionais e uma sardinhada.

25 de AbrilO dia da Revolução dos Cravos é desde há muito comemorado pela Junta de Freguesia do Sabugal, com iniciativas que atraem uma forte adesão popular. As últimas comemorações têm sido caracterizadas pela organização de um passeio pedestre, o qual veio substituir as tradicionais provas de atletismo com que era assinalado o Dia da Liberdade. A crescente falta de jovens fez com que essas provas tivessem progressivamente menos adesões, pelo que se impunha um novo figurino nas comemorações, para se garantir a continuidade da participação popular.
O percurso pedestre veio para ficar e este ano, no dia da comemoração, a Junta de freguesia juntou 250 pessoas de variadas idades, dispostas a caminhar pela Liberdade. Todos juntos seguiram em redor da barragem da Senhora da Graça, para a Quinta das Teixedas e regresso, o que durou toda a manhã. No final da caminhada os participantes degustaram um merecido almoço no salão da Junta de Freguesia.
De tarde as comemorações passaram pela tradicional disputa de alguns jogos tradicionais junto ao Estádio Municipal. Depois houve a habitual sardinhada popular, que reuniu dezenas de convivas junto ao edifício do Tribunal.
Para além de tudo a Junta de Freguesia organizou ainda nesse dia uma jornada de desporto escolar, onde participaram alunos da escola básica da cidade.
plb

Há dias veio-me parar ás mãos um artigo de Augusto Moutinho Borges (historiador e conservador do Museu da Ordem Hospitaleira de S. João de Deus), cujo titulo é «As pontes e as barcas, os circuitos viários e os caminhos da raia medieval. De margem para margem, sobre a Ponte de Badamalos, suspensa sobre o rio Côa».

Ponte de Sequeiros na «Rota dos Castelos»Associar Ponte de Badamalos a Ponte de Sequeiros, não é muito difícil, já que da mesma ponte se trata, mas o que mais me estranha é que sabendo a mesma se situar em local ladeado por território pertencente a esta aldeia (Badamalos), se teima em chamar-se-lhe Ponte de Valongo, cuja povoação fica bastante mais afastada do que Badamalos. Sendo actualmente, ponte de passagem do concelho do Sabugal para o de Almeida, já que na outra margem da mesma, o território já pertence à freguesia da Miuzela do Côa (Almeida), então porque não chamar-lhe também Ponte da Miuzela?
Não querendo de maneira nenhuma entrar em litígios territoriais ou possessivos, por o objectivo não ser esse, lanço desde aqui o repto aos estudiosos para que averigúem a quem pertence a mesma (territorialmente falando) e qual o nome mais correcto; se Ponte de Valongo, Ponte de Badamalos, Ponte da Miuzela ou simplesmente Ponte de Sequeiros.
E para finalizar aqui deixo as ultimas palavras (escritas) do artigo de Augusto M. Borges, que passo a transcrever: «Este fim-de-semana reconheça um dos símbolos mais emblemáticos da fronteira medieval portuguesa, a enigmática ponte de Badamalos localizada em Riba Côa, a aproximar as duas margens e dois povos» ( Portugal e Castela ).
José do Bernardo

Na sequência do costume, que era o pagamento do vinho em Aldeia da Ponte, no ano já longínquo de 1923, aconteceu uma noite dramática, onde perderam a vida cinco jovens, abatidos com os tiros das autoridades, sedeadas mesmo atrás da Igreja, pois era aqui, que existia o antigo posto desta corporação na nossa Aldeia.

Esteves Carreirinha - Ecos da AldeiaAnimados com o pagamento do vinho de um abastado forasteiro, o Sr. Gata, que disponibilizou uma barrica deste néctar, muito apreciado pelos antigos, pois era a bebida dominante na época, lá foram os rapazes fazendo a Ronda pelas ruas habituais, com a algazarra própria de uma juventude, para quem estas manifestações eram uma tradição, durante a noite, nada de especial, apenas o barulho característico dos «aghigos», quiçá devido ao saboroso vinho, não sendo de descartar, por certo, algum grãozinho na asa.
Ao chegarem em frente do posto da Guarda Republicana, esta fez-lhes frente, não os deixando passar, intimidando-os a seguirem por outro caminho. Os rondeiros não arredaram dali, fazendo finca-pé às autoridades, o trajecto normal era aquele, não viam motivo para irem por outro, numa teimosia, que viria de facto a tornar-se uma tragédia.
Depois de algum diálogo, quiçá acalorado, entre o grupo da Ronda e a Guarda Republicana e, não conseguindo esta demovê-los a seguirem por outro caminho, ordenou o Comandante interino do posto, na altura, tiros para o ar, mas nem assim os rapazes desistiram de fazer o habitual caminho da ronda. Como não se intimidaram face a estes tiros, nova ordem, desta vez, em direcção ao grupo da ronda, caindo quatro rapazes, seguindo-se a debandada de todos os outros, em direcção às suas casas, com mais alguns feridos.
No Largo do Sagrado amontoaram-se os corpos dos atingidos, verificando-se que três deles tiveram morte imediata, com um quarto a ser transportado mais tarde, ainda com vida, para o Hospital da Guarda, vindo aqui a falecer.
Temendo a reacção do povo, as autoridades presentes, em número reduzido, tiveram que pedir reforços ao Soito e Sabugal. Chegados os primeiros reforços, toda a povoação foi vasculhada, no dizer de um dos rapazes, que relatou estes pormenores, procurando as autoridades, por tudo o que era sítio, palheiros, «paranhos» e até as «cortelhas» dos porcos foram vistoriadas, na tentativa de encontrar mais algum dos jovens da ronda.
Ainda o sol não raiava, quando um inofensivo pastor, que nada tinha a ver com a ronda, nem era natural de Aldeia, mas que por lá trabalhava, fazia-se ao caminho, em direcção ao gado, sendo confundido, lamentavelmente, com os resistentes à autoridade, foi barbaramente abatido, contabilizando-se assim, a quinta vitima mortal, sem que para nada tivesse contribuído, apenas seguia apressado, para o seu dia normal de trabalho no campo, junto ao rebanho.
Os que escaparam com vida foram chegando a suas casas amedrontados com este acontecimento, que deixou o povo consternado, temendo ser reconhecidos e receando sofrer ainda, alguma eventual represália.
Com a chegada de mais reforços, verificou-se um grande aparato de militares a pé e a cavalo, o caso não era para menos, não deixando ninguém aproximar-se dos corpos, prostrados no chão, mantendo o povo a uma distância considerável, que tinha acorrido em peso, ao local da tragédia, pelo nascer daquele dia fatídico.
Este longínquo episódio sangrento serve para aferir a importância das tradições na nossa Aldeia, para quem estes costumes eram demasiado caros, bem como a sua preservação, podendo levar a consequências extremas, como viria de facto a acontecer.
«Ecos da Aldeia», opinião de Esteves Carreirinha

estevescarreirinha@gmail.com

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3.151.108 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES

Anúncios