A empresa Águas do Zêzere e Côa (AZC) aposta na produção de energia eléctrica através de painéis solares instalados nos seus imóveis, esperando depois comercializá-la. O mesmo se passa em relação a particulares da Beira Interior, que vêm neste processo uma importante fonte de receitas.

Painéis solares nos telhadosA AZC apresentou 53 dos 65 projectos de microprodução de energia, candidatados pela Agência Regional de Energia e Ambiente do Interior (EnerArea) e aprovados pela Direcção-Geral de Energia e Geologia. Os restantes são projectos de microprodução domésticos.
A forte rendibilidade dos projectos, com um retorno de investimento a ser possível ao fim do sexto ano de instalação, tem levado empresas e particulares a apresentar projectos neste âmbito. As candidaturas estão abertas a empresas, particulares (proprietários de casas) ou condomínios (no caso de imóveis de propriedade horizontal).
A EnerArea foi criada no âmbito da Associação de Municípios da Cova da Beira (AMCB) para gerir processos nas áreas das energias e ambiente. Na sua actividade tem verificado uma forte adesão à produção de energias renováveis, havendo cada vez mais pessoas interessadas.
Para os responsáveis pelo processo os benefícios ambientais e a rendibilidade do investimento são os principais atractivos. O investimento por instalação ronda os 22 mil e 500 euros. Por sua vez o custo da electricidade que consumimos é de 11 cêntimos por kWh, enquanto que a vendida à rede eléctrica é paga a 65 cêntimos, facto que explica a forte adesão ao processo. O acerto de contas, entre o deve e o haver, é feito na factura da electricidade e a diferença depositada na conta bancária do produtor/consumidor de energia.
plb

Anúncios