A Câmara Municipal de Almeida pretende candidatar a vila histórica a Património da Humanidade, estando já a trabalhar no processo de candidatura, em conjunto com Valença e Elvas, também vilas de fronteira amuralhadas.

Almeida - Entrada da fortalezaFortaleza, baluartes, casamatas, casas apalaçadas, ruínas do antigo castelo, igrejas e capelas, são alguns exemplos do riquíssimo património da vila fronteiriça de Almeida, cujo município deseja ver classificado como Património da Humanidade. O processo está já a ser organizado, tendo sido constituído um grupo de trabalho, assessorado por um arquitecto, consultor da Fundação Calouste Gulbenkian.
Com Almeida também Elvas e Valença apostam em tornar-se Património da Humanidade, tratando-se de fortalezas raianas, onde impera a arquitectura abaluartada, cuja edificação se iniciou a seguir à Restauração. Em Almeida o traçado da fortaleza foi desenhado pelo engenheiro francês Antoine Deville e a sua construção foi dirigida pelo também francês Pedro Gilles. Foi com o recurso aos baluartes que a praça-forte enfrentou as incursões espanholas e tentou resistir às invasões napoleónicas.
O presidente da Câmara, Baptista Ribeiro está seguro que em dois anos a autarquia conseguirá concluir o processo e apresentar a candidatura.
Ainda dentro do esforço de afirmação de Almeida como fortaleza histórica a Câmara Municipal promove um conjunto de iniciativas de divulgação do seu património. Exemplo disso é a primeira visita guiada ao Património do Concelho de Almeida, no dia 24 de Abril, que para além da sede de concelho inclui ainda vistas a Malpartida, Vale de Coelha, Vale da Mula, Aldea del Obispo, S. Pedro do Rio Seco, Vilar Formoso, Naves e Junça.
plb