Aqui há uns anos atrás, Aldeia da Ponte não tinha um espaço, digno deste nome, para a realização de algumas actividades, sejam culturais, festivas ou outras, de modo a poder corresponder aos anseios de toda uma população, sendo que a criação de um grande salão amplo, permitiria uma resposta condigna ao desenvolvimento de todos estes eventos.

Esteves Carreirinha - Ecos da AldeiaDevido à existência da Igreja do Colégio, ainda que privada, por força da arrematação, seria, porventura, este o sitio ideal para a concretização deste anseio da população, alicerçado na sua grandiosidade, aproveitando-se, ao mesmo tempo, para revitalizar este templo, que foi querido, há muitos anos, para a nossa Aldeia.
Em tempos, relativamente recentes, foram feitas algumas abordagens, no sentido apenas da recuperação da Igreja do Colégio, pela anterior Junta de Freguesia.
Segundo consta, a Igreja do Colégio é pertença de três famílias, tendo duas destas, manifestado a intenção de doar a sua parte à Junta de Freguesia. Com a restante família, ainda não houve oportunidade de se chegar a um acordo, apesar de alguns contactos, bem como de um grupo de pessoas da nossa Aldeia, que manteve uma reunião com um dos representantes da família, propondo este, no ano de 2000, a venda dos bens do Colégio, onde se inclui a casa, bem como a sua parte na Igreja, por um valor de 125.000 euros, o equivalente a 25.000 contos na moeda antiga, considerando a Junta de Freguesia, este valor incomportável para as suas possibilidades.
Segundo informações recolhidas, de referir ainda, que dos cinco membros da família, apenas um deles, terá já manifestado a sua vontade, em doar a sua parte na Igreja à Junta de Freguesia, tal como as duas famílias, acima mencionadas.
Colégio de Aldeia da PonteO ideal seria conseguir-se um acordo semelhante com os restantes quatro membros desta família, apelando à sua boa vontade, no sentido de se poder recuperar e preservar este monumento histórico da Igreja do Colégio, que aos antigos, encheu de orgulho, há mais de um século, muito contribuindo para isso também, todo o povo, com a ajuda e entusiasmo, despendidos na sua construção, naquela época, conforme referimos num escrito anterior.
Seria um gesto nobre e gratificante, que honraria, seguramente, os detentores da Igreja e os nossos antepassados, orgulhosos da grandiosa obra, permitindo a recuperação deste belo e altivo monumento, contribuindo para o enriquecimento da historia de Aldeia da Ponte.
Para a Junta de Freguesia, seja ela qual for, face às suas parcas receitas, será uma dificuldade acrescida, conseguir o financiamento para a compra, restando ainda toda a recuperação, que atingirá, por certo, valores bem altos e difíceis, face à sua capacidade financeira, a qual só será possível, mediante uma candidatura a fundos oficiais, através da Câmara Municipal, ou outros Organismos, que à partida, poderá não se afigurar fácil, de todo.
De salientar, que desde a sua arrematação por particulares em 1922, foram as casas do Colégio habitadas por várias famílias, que para o efeito, as foram adquirindo, mantendo-se hoje, em estado de ser habitadas, depois de alguns melhoramentos efectuados pelas mesmas, com a excepção da casa acima referida, que a família detentora propôs vender, mantendo-se há largos anos desabitada.
«Ecos da Aldeia», opinião de Esteves Carreirinha

estevescarreirinha@gmail.com

Anúncios