A presidente da Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Soito, prof.ª Maria Benedita Rito Dias, entendeu dar conhecimento público das dúvidas levantadas sobre a legalidade da utilização pelos Bombeiros do Sabugal de uma carrinha de nove lugares com a indicação de pertencer à «ARS Guarda».

Maria Benedita Rito Dias (Tita)A informação pública da presidente da Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Soito, prof.ª Maria Benedita Rito Dias, foi publicada na última edição do semanário regional «Nova Guarda» e está disponível na página oficial da corporação na Internet.
A responsável afirma que «de facto, os Bombeiros do Sabugal, desde há cerca de 15 dias, têm feito serviços de transporte de doentes numa carrinha de nove lugares, com indicação de pertencer à ARS Guarda» e acrescenta que defendendo os interesses da sua associação escreveu à Federação Distrital dos Bombeiros a solicitar esclarecimentos sobre «qual a razão da sua hipotética existência».
No sentido de cumprir as deliberações que saíram da reunião de 24 de Novembro de 2007, realizada em Almeida e onde estiveram presentes todas as Associações de Bombeiros do Distrito da Guarda a presidente da direcção dos bombeiros soitenses explica que para cumprir o acordado tiveram necessidade de alugar uma carrinha que importou em 948,30 euros.
A questão que Maria Benedita Rito Dias pretende ver esclarecida com urgência tem a ver com «os termos do acordo que levou a esta actuação dos Bombeiros do Sabugal, exigindo tratamento igual para a Associação de Bombeiros do Soito e para todas as outras congéneres».

Informação publicada no «Nova Guarda» e na página oficial dos Bombeiros Voluntários do Soito. Cópia da Carta
jcl