Uma das especialidades da gastronomia arraiana dá pelo nome de «Canja de Cornos». Nasceu no Soito, há mais de 30 anos, inventada por José Manuel Fogeiro mais conhecido por Zé Nabeiro.

Restaurante Zé Nabeiro no SoitoA tradição ainda é o que era mas, por vezes, sofre actualizações. Há pratos da gastronomia arraiana cuja origem e autoria se perderam na lenha do tempo e há outros mais recentes que acrescentam qualidade mantendo os sabores tradicionais.
A «Canja de Cornos» criada há mais de 30 anos é uma especialidade que sem ser tradicional já é uma tradição.
A genuína, a verdadeira «Canja de Cornos» ainda hoje é confeccionada no Soito por quem a inventou. José Manuel Fogeiro, mais conhecido por Zé Nabeiro, conta que tudo começou, na década de 70, sempre que era necessário matar uma vitela para vender no seu próprio talho.
Nesse tempo em que ainda eram permitidos os matadouros particulares chamava os amigos para o ajudarem e no final faziam uma borga. O petisco, cozinhado num caldeiro suspenso sobre as brasas, recebeu o nome de «Canja de Cornos».
O nome despertou a curiosidade das pessoas, a fama cresceu e, vá-se lá saber porquê, é actualmente um dos pratos gastronómicos mais apreciados na Raia.
Quando questionado sobre a confecção deste original prato o seu criador cioso do seu «segredo» limita-se a levantar a ponta do véu dizendo «cornos e temperos da horta». E mais não desvenda.
A iguaria pode ser saboreada nas novas instalações do Restaurante Zé Nabeiro, no Soito, às quartas-feiras e aos sábados ao almoço. Aproveite, também, para descobrir as outras especialidades.
jcl