O projecto de construção da «Mesa dos Quatro Bispos» na serra das Mesas transformou-se numa candidatura transfronteiriça da Junta de Freguesia dos Fóios no lado português e dos ayuntamientos espanhóis de Navasfrias e Valverde del Fresno.

Raia passa pelo barroco cortado na Serra das Mesas, Fóios, SabugalA freguesia dos Fóios (Sabugal) e os ayuntamientos de Navasfrias (Salamanca) e Valverde del Fresno (Cáceres) vão dar as mãos e candidatar ao Quadro de Referência Estratégico Comum (QREN) a construção da lendária «Mesa dos Quatro Bispos» no alto da serra das Mesas, a barriga natural dos dois rios gémeos: Côa e Águeda.
Tal como referiu já o Capeia Arraiana (22 de Junho de 2007) no ponto mais alto da Serra das Mesas, a 1265 metros de altitude «existia uma grande mesa, na confluência dos distritos portugueses de Lamego e da Guarda e das províncias espanholas da Estremadura e de Castilla y Léon. Era nessa grande mesa que os quatro bispos se reuniam, analisavam e discutiam as questões de cada bispado, cada um sentado no seu território».
Em declarações à agência Lusa o presidente dos Fóios, José Manuel Campos, revelou que «as acessibilidades e a construção da Mesa dos Quatro Bispos deverão rondar os 30 mil euros e inclui uma mesa em pedra, com cerca de 50 metros quadrados e quatro cadeirões com as mitras talhadas, igualmente m em pedra, em cada um dos lados.
O autarca fojeiro lembrou que tanto D. Manuel Felício, bispo da diocese da Guarda, que já esteve no local, como o bispo de Ciudad Rodrigo, já garantiram a sua disponibilidade para estar presentes no dia da inauguração
O autarca fojeiro acredita que a «Mesa» irá servir para atrair mais pessoas à região raiana que, como todo o Interior, vive com o problema da desertificação. «Costumo dizer que nas nossas aldeias, morrem todos os anos entre 15 a 20 pessoas e nasce uma criança de longe em longe e já não temos mais nada a que nos agarrar a não ser ao turismo, assim saibamos nós ser imaginativos.»
E imaginação e força de vontade, sabemos nós, é coisa que não falta ao empreendedor professor José Manuel Campos.
jcl

Advertisement