You are currently browsing the monthly archive for Dezembro 2007.

Segundo notícia do jornal Diário XXI, o Ministério da Saúde regulamentou o funcionamento da cirurgia para obesos, o que faz com que o Hospital Sousa Martins, na Guarda, aposte neste tipo de cirurgia, duplicando o número de intervenções.

CirurgiaSegundo as novas regras, a totalidade das despesas com a cirurgia passa a ser comparticipada, tendo sido também alterados os critérios de funcionamento das unidades hospitalares de cirurgia bariátrica, o que cria condições para aumentar a capacidade destas intervenções. O Hospital da Guarda vai assim proceder a um substancial aumento neste tipo de cirurgia, aguardando apenas pela instalação de equipamento adequado para que as novas regras sejam cumpridas na totalidade.
Ao Diário XXI o director do serviço de Cirurgia, Augusto Lourenço, garantiu que tudo está em andamento. «Já iniciámos esta actividade há algum tempo e desde o início criámos condições para ter uma actividade estruturada», explica. Em falta estão apenas «limitações materiais», mas que «já estão acauteladas e em breve poderemos contar com o equipamento que nos faz falta». É o caso de equipamento para receber doentes com cerca de 300 quilos, pois apenas se têm operado doentes entre os 150 a 160 quilos.
Ainda segundo Augusto Lourenço o hospital alargará as técnicas de cirurgia para obesos, dedicando-se a outras além da colocação de banda gástrica. Existe a vontade da introdução de novas técnicas no princípio do próximo ano, nomeadamente o bypass gástrico (redução do estômago e desvio do intestino), o balão intragástrico e possivelmente o gastric sleeve (redução da capacidade do estômago).
plb

Chegou ao fim o ano de 2007. Longos dias percorridos pelo relógio do tempo que divide de forma desigual a vida de cada um. Dias felizes e dias trágicos, dias de glória e dias de terror. Aqui fica um selecção de figuras e acontecimentos que marcaram o pulsar das rotações da Terra em redor de si mesma. Nos destaques dos destaques destacamos o «nosso» Procurador-Geral da República: Fernando Pinto Monteiro.

Pinto Monteiro, Procurador-geral da RepúblicaPersonalidade Nacional do Ano
Fernando Pinto Monteiro
(Procurador-Geral da República)

Nasceu em Porto de Ovelha mas foi viver ainda criança para o Sabugal. Que nos perdoe a ousadia mas é com orgulho que o consideramos um dos nossos, um verdadeiro raiano com sotaque, amigos e referências à sua juventude à sombra das cinco quinas do nosso castelo. E é, sem cunhas, subornos ou influências políticas, que elegemos com toda a justiça o beirão sabugalense Fernando Pinto Monteiro a Figura Nacional do Ano. «Vou dar prioridade à violência nos hospitais, vou pedir às juntas de freguesia que denunciem crimes contra idosos e na violência escolar vou ter tolerância zero», «Nem eu sei se estou a ser escutado porque por vezes o meu telemóvel faz barulhinhos esquisitos», «Houve três ou quatro comentadores que não gostaram das minhas afirmações porque queriam que o procurador falasse em latim e eu também sei falar em latim, mas como defendo uma justiça que o cidadão comum entenda, resolvi falar em português» e «Não aceitarei ser um procurador-geral dependente do poder político» são algumas das suas afirmações lapidares.

Personalidade Internacional do Ano
Al Gore (ex-vice-presidente dos Estados Unidos da América)
O prémio Nobel da Paz 2007, Al Gore, perdeu as eleições presidenciais dos Estados Unidos para George W. Bush mas o seu resultados tivesse sido outro o Mundo seria também outro agora. O mensageiro de uma verdade inconveniente organiza caminhadas pelo Ambiente que merecem todo o nosso apoio e reconhecimento.

Acontecimento Nacional do Ano
Presidência Portuguesa da União Europeia
O Tratado de Lisboa nasceu às 12 horas e 50 minutos do dia 13 de Dezembro. Após intensas negociações os 27 estados-membros assinaram com pompa e circunstância no claustro do Mosteiro dos Jerónimos o futuro da nova Europa. Era o culminar de uma bem sucedida presidência portuguesa da União Europeia no segundo semestre de 2007. José Sócrates era, com justiça, um homem feliz.

Acontecimento Internacional do Ano
O desaparecimento de Maddie McCann
É verdade que todos os dias desaparecem crianças em todo o Mundo. Houve, contudo, uma que se transformou num caso mediático nunca visto à escala planetária: Madeleine McCann, uma menina de quatro anos que passava férias com os pais e dois irmãos no aldeamento de luxo OceanClub na Praia da Luz, perto de Lagos, no Algarve desapareceu sem deixar rasto. Já tive oportunidade de escrever que estamos perante um caso trágico, qualquer que seja a sua conclusão. Há duas hipóteses: os pais ou são culpados ou são inocentes. Se um dia se concluir pela sua culpa estamos perante a maior encenação e embuste de todos os tempos que até o Papa enganou. Se são inocentes estão a ser vítimas de uma das mais odiosas acusações que se podem fazer a quem acaba de perder um filho. Duplamente trágico e terrível qualquer que seja a conclusâo.

Frases Lapidares do Ano
– «Não sou profeta mas Portugal acabará por integrar-se na Espanha» – Opinião do prémio Nobel da Literatura, José Saramago, ao defender que Portugal e a Espanha deviam dar lugar a um país a que chamou Ibéria.
– «Não é num deserto como a margem sul que se vai construir um aeroporto» – Fica para a História como uma das mais espantosas afirmações de um governante português. O ministro Mário Lino referia-se à hipótese Alcochete para a construção do novo aeroporto de Lisboa. Eu já escolhi e defendo Alcochete. O meu prognóstico é que o ministro está na calha numa próxima remodelação governativa.
– «Por qué no te callas?» – Durante a cimeira ibero-americana o polémico presidente da Venezuela, Hugo Chávez, chamou fascista ao antigo primeiro-ministro espanhol José Maria Aznar. O rei de Espanha, Juan Carlos, sentado a seu lado e numa atitude inédita, interveio e mandou calar Chávez proferindo uma frase que se tornou mundialmente célebre.

Momentos Marcantes do Ano
Há casos que preencheram o ano que agora finda e vão transitar por resolver para 2008. Complexos e morosos são vítimas e reflexo das incapacidades, defeitos e misérias dos diferentes sistemas portugueses.
– «Caso Esmeralda» – A criança anda perdida entre alíneas e artigos dos códigos e das leis que irão decidir entre pais adoptivos e pais biológicos.
– «Partos em ambulâncias e em Espanha» – Os bebés portugueses tem agora mais opções para nascer: a bordo de uma ambulância ou do lado de lá da fronteira. «Central. Estamos parados ao quilómetro 13. Acabámos de ajudar a um parto!» ou «Mira! Es um chico!» são as primeiras palavras que agora ouvem quando nascem. Na sequência da cooperação transfronteiriça continuamos a aguardar que Espanha nos peça para que os seus bebés nasçam por cá. O ministro da saúde, Correia de Campos, é uma das minhas três escolhas para a próxima remodelação ministerial.
– «Crise no Millennium-BCP» – A procissão ainda agora vai no aidro mas a situação é muito preocupante para a economia nacional. Os administradores do maior banco privado português está indiciados de ilegalidades graves. Estão também em causa o prestígio e o rigor de supervisão do Banco de Portugal.
– «Portugal the west coast of Europe» – A campanha promocional do Estado português pretende dar uma nova imagem de Portugal. Como já tive oportunidade de referir o regime de antigamente promovia os três éfes: Fado (Amália), Futebol (Eusébio) e Fátima (o milagre do Sol). Em tons de azul-clarinho e renegando o verde-vermelho o novo posicionamento de Portugal na costa Oeste da Europa (não sabemos se há costa Leste) tem a Mariza (fado), o Cristiano Ronaldo (futebol) e a maior central fotovoltaíca do Mundo (o milagre do Sol)… Quanto a ser a costa Oeste poderá em breve ser adaptada para Faroeste em homenagem aos gangs da cidade do Porto.
– «Lince ibérico vai procriar em cativeiro no Algarve» – Falar de ministro do Ambiente, Nunes Correia, é lembrar o seu discurso na visita às obras da barragem de Odelouca no Algarve: «Aqui, numa área de 150 hectares, vai nascer o primeiro centro português de reprodução do lince ibérico em cativeiro com animais vindos de Espanha. Vamos investir 10 milhões de euros» esclareceu Nunes Correia. A reserva da Malcata foi, pura e simplemente, esquecida. Imperdoável. É o terceiro dos meus ministros remodeláveis.
Bom ano 2008!
«A Cidade e as Terras», opinião de José Carlos Lages

jcglages@gmail.com

Rui Meirinho Monteiro, presidente da Junta de Freguesia do Soito, eleito pelo PSD, apresentou a demissão do cargo na Assembleia de Freguesia realizada no passado dia 27, quinta-feira, alegando razões de saúde e outros motivos pessoais.

Rui Meirinho MonteiroA reunião da Assembleia de Freguesia destinava-se, entre outros assuntos, a aprovar as grandes opções do plano e o orçamento para o ano 2008, mas a mesma ficou marcada pelo inesperado pedido de demissão do Presidente da Junta de Freguesia, facto que terá deixado perplexos todos os presentes.
Capeia Arraiana contactou um elemento da Assembleia, que confirmou a informação. Segundo o mesmo, a Junta de Freguesia enviou muito tardiamente aos elementos que compõem a Assembleia os documentos a debater na reunião, e alguns receberam-nos somente à entrada para a mesma. Esse facto causou desagrado e forte contestação, por se considerar ser impossível votar documentos sem que tivesse havido tempo para os analisar. A discussão e aprovação do orçamento saíram mesmo da ordem de trabalhos, facto que desagradou ao autarca.
No seguimento da reunião um vogal eleito pelo PS confrontou o presidente com alguns assuntos, colocando-lhe questões. A meio de uma resposta Rui Monteiro terá afirmado que se demitia do cargo de presidente da Junta de Freguesia, alegando contudo que o fazia por questões pessoais, dizendo não querer «estragar a saúde» nem desenvolver inimizades com ninguém. Adiantou mesmo que o orçamento e as grandes opções do plano para o ano 2008, já seriam tratados pelo novo executivo. Após mais algumas questões dos vogais o Presidente da Junta recusou-se a responder e abandonou a reunião.
plb

Findo o ano, é tempo de fazer o balanço daquilo foi este período. Reportando-nos aqui ao que de mais relevante ocorreu no concelho do Sabugal, atrevemo-nos a destacar dois acontecimentos, um pela positiva e outro pela negativa: a conclusão da primeira fase de construção do parque termal do Cró e a suspensão das obras da estrada de ligação do concelho à A23.

Termas do CróComeçando pelo que de melhor sucedeu em 2007, destaco as obras da primeira fase de recuperação do parque termal do Cró. Finalmente, ao cabo de 12 anos, esta câmara fez o que deveria ter realizado logo no início do processo: a dotação do local com as infra-estruturas básicas. Lá estão agora os acessos ampliados e melhorados, assim como o saneamento básico instalado, criando condições reais para que as termas do Cró venham a ser de facto recuperadas e exploradas.
Só assim é que poderá aparecer algum investidor interessado na exploração das termas, juntando aos tratamentos aquosos as valências de desporto e de lazer, que poderão catapultar o local para um destino privilegiado na região. Falta agora avançar com a elaboração e aprovação do plano de pormenor do local, para que se fixem as regras de ocupação do solo.
Pela negativa destaco a suspensão dos trabalhos de construção da estrada de ligação do Sabugal à A23, em consequência da ida para o Líbano dos militares do Regimento de Engenharia de Espinho. A câmara apostou na construção dessa via fundamental para o concelho, avançando por decisão própria e por próprio risco, dada a demissão do poder central em assumir o empreendimento. Afinal meteu-se numa aventura para a qual não encontra saída. Tinha que existir um plano alternativo, uma opção diferente, a ser usada no caso de acontecer o que afinal sucedeu. Faltando isso as obras lá estão, suspensas, esperando o regresso dos militares, para, a passo de caracol, se irem realizando.
Para o ano 2008 fica a esperança de que o concelho avance seguro na via do progresso.
«Contraponto», opinião de Paulo Leitão Batista

leitaobatista@gmail.com

Segunda-feira é dia de publicar a «Imagem da Semana». Ficamos à espera que nos envie a sua escolha para a caixa de correio electrónico: capeiaarraiana@gmail.com

Rio Côa – Imagem da Semana (31-12-2007)Data: 13 de Dezembro de 2007
Local: Rio Côa

Legenda: Terminamos o ano de 2007 com uma belíssima fotografia do nosso rio Côa.

Autoria: Joaquim Tomé (Kim)
Endereço web: http://www.tutatux.com

Clique na imagem para ampliar

A Câmara Municipal do Sabugal demora menos de um mês e meio a pagar as empreitadas, facto que a coloca entre as sete autarquias do país melhor cumpridoras.

Câmara Municipal do SabugalSegundo o último inquérito semestral realizado pela Federação Portuguesa dos Industriais de Construção Civil e Obras Públicas (FEPICOP), são pouquíssimas as empresas que pagam as empreitadas dentro do prazo legal estabelecido. A Câmara do Sabugal, está entre as que pagam em menos de um e meio, juntamente com as de Castelo de Vide, Pampilhosa da Serra, Alcácer do Sal, Albufeira, Lagoa e Lagos.
A esmagadora maioria dos municípios demora cerca de sete meses a liquidar as dívidas, sendo que o prazo legal para o efeito é de apenas dois meses. Contudo, segundo a FEPICOP os últimos dados apontam para uma ligeira melhoria nos pagamentos que progressivamente vêm demorando menos tempo.
Ainda segundo o mesmo estudo as seis autarquias mais incumpridoras são Cabeceiras de Basto, Castelo de Paiva, Figueira da Foz, Lisboa, Santa Maria da Feira e São Pedro do Sul, que demoram em média mais de 15 meses a fechar as contas com as empresas de construção.
plb

Reunida no dia 28 de Dezembro, no Auditório, a última Assembleia Municipal do Sabugal deste ano, aprovou por expressiva maioria o plano e o orçamento da autarquia para o ano 2008.

Auditório MunicipalOs deputados municipais aprovaram as propostas do executivo para o plano de actividades da Câmara para o próximo ano e o respectivo orçamento, no qual se prevê a realização de um conjunto de obras, algumas das quais também integradas no plano estratégico da Comunidade Urbana das Beiras (Comurbeiras).
A Assembleia Municipal aprovou ainda uma proposta de alteração dos estatutos da empresa municipal Sabugal +, a qual vê assim alargadas as suas competências. Essa alteração é entendida pelo executivo camarário como fundamental para se conseguirem construir a breve trecho alguns equipamentos fundamentais para o concelho, com especial relevo para o parque de campismo. O mesmo, segundo a intenção do executivo, será construído a partir de uma parceria a estabelecer entre a empresa municipal e algumas entidades privadas que se mostrem interessadas.
Nos próximos dias o Capeia Arraiana informará com pormenor o que consta no orçamento da Câmara Municipal do Sabugal para 2008.
plb

O nosso compatrício, ainda actual bispo de Portalegre, D. José Alves, desafiou há semanas atrás, o Governo a tratar como deve a população do Interior, apoiando a renovação das gerações e que nasça mais gente. Neste particular, parece haver alguma dialéctica entre o pensamento do Governo e o pensamento da Igreja.

Jesué Pinharanda – Carta DominicalFace aos números oficiais de abortos praticados na legalidade, os defensores do «Não» acham demais, enquanto os defensores do «Sim» quase só lhes falta dizer que são muito menos do que os previstos. Como se, impedir uma criatura de nascer, fosse coisa de nula monta.
Entretanto, visitando a Guarda, o Senhor Presidente da República perguntava o que era necessário fazer para que nascessem mais crianças. Pergunta que causa alguma perplexidade, sabendo-se que a Lei do Aborto foi por ele aprovada.
No dia 25 de Novembro, Paulo Portas fez umas sugestões quanto a apoios de carácter sócio-económico. E todos ficámos na expectativa. Enquanto isso, D. José Alves avançava com uma obra, com factos e não com meras palavras: a diocese de Portalegre criou o Centro de Apoio à Vida, a funcionar já desde o dia 8 de Novembro, destinado a apoiar e a reintegrar na sociedade jovens adolescentes grávidas, ou mães solteiras. Assim se pratica a lei evangélica.
Natal significa nascimento. Que nasçam todos quantos a Natureza potenciar.
Votos de Bom Ano!
«Carta Dominical» de Pinharanda Gomes

pinharandagomes@gmail.com

A Livraria Cervantes, uma das mais conhecidas e conceituadas livrarias de língua espanhola está a distribuir aos seus clientes um calendário de bolso para 2008 com um curioso título: «Por la Raya de Portugal de Lumbrales a Sortelha».

José Robalo – «Páginas Interiores»Qué descansada vida
la del que huye del mundanal ruïdo,
y sigue la escondida
senda, por donde han ido
los pocos sabios que en el mundo han sido.
Fray Luis de Léon

Salamanca é a grande capital, de um espaço económico, linguístico e cultural, que historicamente ficou conhecido como o reino de Leão. Esta capital cultural, foi desde sempre uma cidade cosmopolita, que com a sua Universidade ganhou prestígio e se afirmou como centro de saber e conhecimento por excelência, nas mais variadas áreas, nomeadamente do Direito e da Medicina.
Salamanca foi uma cidade de notáveis que desde o fundador da Universidade o rei Afonso X o Sábio, passando por S. Juan de La Cruz, Luís de Gongora, Calderon de La Barca, Miguel de Unamuno e Fray Luis de Léon, lhe deram prestígio ao longo dos tempos. Associados a Salamanca estão os nomes de Cristóvão Colombo, Cervantes e do nosso Pedro Nunes.
«Por la Raya de Portugal de Lumbrales a Sortelha», da Livraria CervantesFray Luis de Léon, tendo vivido no final do século XVI, foi vítima da Inquisição e da estultícia dos homens, tendo estado preso durante vários anos e é tido em Salamanca como a encarnação do espírito da liberdade, com uma estátua em lugar de destaque nos pátios da Universidade. De regresso à sua cátedra após a sua libertação, sem nunca ter sabido o motivo da sua prisão, Fray Luis tornou famosa a frase «Decíamos ayer…» que denotava o triunfo da sua liberdade interior contra a maldade e perseguição dos seus inimigos.
Estas são razões mais do que suficientes para que a sua Universidade seja das mais procuradas e concorridas quer por espanhóis, quer por estudantes estrangeiros, que pretendem aprender ou aperfeiçoar o castelhano. No centro de todo este fulgor pelo conhecimento encontra-se a livraria Cervantes, a mais conhecida e prestigiada em Espanha e nos países de língua espanhola.
Esta livraria localizada não muito longe das Universidades e da Praça Mayor, está a distribuir pelos seus clientes um calendário de bolso de 2008 que tem por título «Por la Raya de Portugal, de Lumbrales a Sortelha», reprodução da capa de um livro de Ángel Blanco Hernandéz, conforme melhor se documenta na foto que se anexa.
Como sabugalense e amigo de Sortelha, fiquei surpreendido e honrado por ver a minha terra, divulgada desta forma por uma instituição – a livraria Cervantes – tão concorrida e conceituada.
Não será esta uma oportunidade para quem manda, numa operação de charme e promoção do concelho junto da livraria e dos seus leitores, oferecer um ou vários fins–de-semana em Sortelha, a sortear por todos os clientes?
«Páginas Interiores» opinião de José Robalo

joserobaload@gmail.com

A Governadora Civil da Guarda, Maria do Carmo Borges, apelou hoje aos autarcas do distrito que aproveitem o Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) para dinamizarem projectos de cooperação distrital e transfronteiriça.

Maria do Carmo Borges - Governadora Civil da GuardaNa tradicional mensagem de Ano Novo a Governadora Civil alertou para a importância do desenvolvimento de projectos comuns com as comunidades vizinhas. «Não posso deixar de apelar aos nossos autarcas para que, no âmbito do novo QREN, desenvolvam projectos que assentem não só na cooperação territorial no âmbito das NUT’s (unidades territoriais) que integram o nosso distrito, mas também projectos de cooperação transfronteiriça», declarou.
O desafio tem em conta os laços de vizinhança que é necessário aprofundar, de forma a que se possam «produzir estádios de desenvolvimento e de crescimento no contexto de um território onde as linhas da fronteira Ibérica se apagam e onde se querem reconhecer, cada vez mais, as premissas de pertença a uma mesma Europa».
Maria do Carmo Borges também desafiou cidadãos, empresas e instituições públicas e privadas a empenharem-se, em 2008, «na construção de um território em que queremos que cada mulher e cada homem valham sempre mais, pela sua capacidade de gerar e fazer gerar correntes de solidariedade que nos permitam poder ter a esperança de alcançar um maior equilíbrio social».
«Evidentemente, que a construção do futuro do distrito da Guarda depende, em grande parte, do empenho dos nossos autarcas e da sua capacidade de dinamizar cada um dos nossos catorze concelhos de cuja soma das suas trajectórias de crescimento e desenvolvimento resultará, necessariamente, o ponto de partida para a concretização de uma nova dimensão estrutural e social do nosso território», admitiu.
Para a representante do Governo na Guarda «importa que, em 2008, saibamos encarar o Douro e a Estrela como importantes pólos geradores de novas e promissoras dinâmicas de desenvolvimento».
Destacou ainda para o próximo ano o início das obras do IP2 e a aplicação de «importantes incentivos fiscais para as empresas que venham a localizar-se nas regiões do Interior».
plb

Segundo notícia do semanário O Interior, o presidente do Município da Meda, João Mourato, rejeita a integração do seu concelho na nova Região de Turismo da Serra da Estrela (RTSE), afirmando que «A Meda tem poucas afinidades com a Serra da Estrela».

Vila da MedaA recente integração do concelho da Meda na RTSE que resultou da reforma das regiões de turismo, não agradou ao autarca, que se mostra totalmente discordante dessa decisão governamental. Considera antes que o município a que preside deveria pertencer à Região de Turismo do Douro: «O Douro é a região que mais nos seduz e além disso, em termos geográficos, estamos mais perto e temos mais afinidades», sublinha João Mourato.
Antevê-se um braço de ferro entre a autarquia medense e a RTSE, com a primeira a recusar integrar-se na estrutura de promoção do turismo na serra mais alta de Portugal.
Recorde-se que a RTSE irá ganhar quatro concelhos, Meda, Figueira de Castelo Rodrigo, Fundão e Sabugal, perdendo, contudo, o de Oliveira do Hospital. A nova legislação junta na mesma estrutura a totalidade das NUT III da Beira Interior Norte, Serra da Estrela e Cova da Beira. Criam-se cinco pólos de desenvolvimento turístico autónomos, para além das regiões administrativas, Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve. A Serra da Estrela é um desses pólos, sendo os restantes o Alqueva, Litoral Alentejano, Região Oeste e Douro.
Para a sua pretensão Meda terá que aprender com o município do Sabugal que também recusou sempre integrar a RTSE, desconhecendo-se contudo agora qual será a sua posição face à nova legislação que expressamente o coloca nessa estrutura.
plb

Nas imediações da revolução, por alturas de 1975, um grupo de Sabugalenses, com as melhores intenções e, no sentido de informar e esclarecer, criou um jornal regional para o Concelho de Sabugal que se denominou de «A Luta».

Esteves Carreirinha - Ecos da AldeiaEsta iniciativa simbolizava uma luta contra o esquecimento do nosso concelho e um melhor esclarecimento das nossas gentes, para um certo número de problemas que estavam na ordem do dia, em pleno período revolucionário, nascido a 25 de Abril de 1974, com a implantação do regime democrático, derivado do golpe dos Capitães de Abril.
Nesta fase do quotidiano lisboeta, sucediam-se as sessões de esclarecimento e muitos outros programas culturais, relacionados com a revolução. Tudo era revolucionário na altura, com uma aprendizagem rápida de uns tantos valores, que o golpe militar deu azo a que se implementassem, não sem que acontecessem muitos exageros, mas isso é outra conversa. De repente, Lisboa encheu-se de revolucionários em cada esquina, os que já eram, os que não eram, os que regressaram do exílio e os que não sendo, nem uma coisa nem outra, depressa foram contagiados e aderiram a esta causa.
Assim, este primeiro título de «A Luta» apenas saiu com dois números, devido ao aparecimento de um outro diário com o mesmo nome, criado por Raul Rego, na sequência do caso do diário «República» que foi ocupado e deixou de se publicar, uns tempos mais tarde.
Este grupo de Sabugalenses decidiu, então, modificar o nome do jornal regional para «Terra Fria», nome mais consentâneo com a nossa região, tendo início em 1975, perdurando este jornal apenas durante um ano, com periodicidade mensal, num total de 12 números, com um número especial pelo meio.
Jornais «A Luta» e «Terra Fria»O «Terra Fria» foi um veículo de informação do nosso concelho, abordando inúmeros temas, escritos com alguma paixão exacerbada, própria de uma juventude com sangue na guelra, utilizando a terminologia da época, em defesa do direito das pessoas do concelho, principalmente na área da saúde, bem como divulgando todo o tipo de notícias, principalmente das comissões de moradores das aldeias, entretanto criadas, que nos chegava do concelho de Sabugal, nada que não fosse razoável trazer à estampa, antes pelo contrário, depois de longos anos em que muitas matérias estavam proibidas discutir na praça pública.
Apesar de tudo, achamos que valeu bem a pena todo o esforço despendido por esta altura, colhendo-se ainda, alguns ensinamentos importantes sobre assuntos variados, que não conhecíamos, aprendendo-se algo e evoluindo-se um pouco mais.
Tal como muitos outros órgãos de informação, foi curta a sua duração, pois o trabalho recaía sempre para os mesmos, quando esses mesmos se saturaram, acabou o jornal, como acontece em muitas outras áreas, em que há quem fale muito mas produza pouco e, quando a hora da verdade chega, quem vem atrás que feche a porta. Falar é muito lindo, principalmente com palavras caras e bonitas, mas quando toca a trabalho, em vez do palavreado, aqui é que a porca torce e retorce o rabo e lá vai tudo por água abaixo, pois como se diz na gíria, trabalhar faz calos, não estamos para isso, trabalhem os outros.
As reuniões para a feitura e discussão dos artigos efectuavam-se na Casa do Concelho de Sabugal em Lisboa, também em fase de fundação. Nasceria em 13 de Fevereiro de 1975.
«Ecos da Aldeia», opinião de Esteves Carreirinha

estevescarreirinha@gmail.com

Um rapaz de haveres, que caça na serra, encontra por entre as urzes uma bela rapariga, por quem se apaixona imediatamente. Mas a galfarra diz-lhe ser filha do Montejo e o moço estremece, apavorado de ouvir o nome do sanguinário bandido que assola as terras da raia sabugalense.

O Livro de António José de CarvalhoObra ultra-romântica, «Rosa da Montanha» foi escrita por António José de Carvalho, natural do Sabugal, filho de um médico da vila, que no entanto optou por se radicar em Lisboa por largo tempo da sua vida. O romance tem por enquadramento o Sabugal, Quadrazais e a Serra onde se acoitava a quadrilha do temível Montejo.
Eugénio, assim se chama o jovem estudante e caçador, encanta-se com a jovem que diz ser filha do bandido, ficando profundamente apaixonado pela cândida criatura que encontrou na serra. Mas o destino conduziu-o esse mesmo dia a uma outra paixão: a de uma jovem contrabandista quadrazenha chamada Florinda.
De resto o livro é a história de um jovem ultra-apaixonado, dividido entre dois amores, sob a permanente atenção e protecção de uma mãe extremosa. Em todo o tempo o livro moraliza, tratando da valoração do bem e do amor e da rejeição absoluta do mal, do crime e da vilania.
Malgrado o exagero próprio de um romance sentimental, Rosa da Montanha tem a virtude de levar o leitor até à sociedade raiana de meados do século XIX, dando-lhe um quadro bem real dos modos de vida do povo. Também o conduz a alguma da realidade histórica, marcada pelas malfeitorias praticadas pelo bando do Montejo, que de facto existiu naquele tempo.
Como seria de esperar, o romance acaba em bem: os vilãos são mortos ou aprisionados, os cativos libertados das garras dos bandidos e Eugénio e Rosa casam felizes, prometendo amor eterno.
O livro foi originalmente publicado em 1871. A Casa do Concelho do Sabugal reeditou-o em 2002, com adaptação do texto às normas ortográficas actuais. Pinharanda Gomes escreveu um elucidário e colocou-lhe algumas notas, pelo que a edição ficou enriquecida, podendo agora ser adquirida na Casa do concelho do Sabugal em Lisboa ou na Câmara Municipal do Sabugal.
plb

Se a percentagem de idosos atinge hoje 40 por centro da população concelhia, os mesmos devem merecer uma atenção especial, devendo adoptar-se estratégias que conduzam a um aumento da qualidade de vida dos nossos «mais velhos».

Ramiro Matos – «Sabugal Melhor»Na semana passada apresentei a proposta de criação de uma Unidade Móvel de Saúde que permitisse o acesso aos serviços médicos dos idosos residindo em freguesias não servidas quer pelo Centro de Saúde, quer pelas diversas Extensões, sem necessidade de deslocação ao Sabugal.
Referi igualmente que o Concelho apenas possui 4 farmácias – Sabugal, Soito e Cerdeira do Côa –, com extensões em Aldeia do Bispo, Aldeia da Ponte, Alfaiates, Aldeia Velha e Vale de Espinho.
Tal impõe que, mesmo com a Unidade Móvel, os idosos continuarão a ter que se deslocar à sede do concelho ou àquelas freguesias para adquirir os medicamentos de que necessitam.
Ora, a legislação em vigor não permite a abertura sistemática de extensões farmacêuticas, nem tal se justificaria na maior parte das nossas freguesias, dado o número reduzido de habitantes.
Unidade Móvel de SaúdeAssim, coloca-se a questão de como ultrapassar a necessidade de deslocação dos idosos às farmácias, o que passa, naturalmente, por criar um instrumento que, sem ferir a legislação em vigor, disponibilize os medicamentos no local de residência do doente.
No meu entender, tal terá de passar por uma aposta conjunta da Câmara Municipal, das Juntas de Freguesia e das Farmácias, com os seguintes contornos:
– O doente entrega a sua receita na Junta de Freguesia, indicando a farmácia de preferência;
– A Junta de Freguesia envia de imediato, via fax ou Internet, para a farmácia seleccionada, uma cópia da receita;
– A Câmara Municipal disponibiliza uma viatura que, com a periodicidade e os itinerários definidos, e com a presença de um técnico farmacêutico disponibilizado pelas Farmácias, recolhe os medicamentos e os entrega aos doentes, que para o efeito se deslocarão à Junta de Freguesia respectiva, para recepção dos medicamentos e seu pagamento.
Parece complicado e obriga a acordos entre as partes, nem sempre fáceis. Mas termino com a mesma pergunta da semana passada:
Não merecerão os nossos «mais velhos» um acesso mais fácil aos cuidados de saúde?
«Sabugal Melhor»
opinião de Ramiro Matos

ramiro.matos@netcabo.pt

A Câmara Municipal de Belmonte abriu concurso público para construção do Estádio Municipal, optando por um relvado sintético, cujas obras começarão em meados do ano 2008.

BelmonteConsiderado um equipamento desportivo da máxima importância para a formação dos jovens de Belmonte, o estádio será construído fora da vila, junto à variante. Será um estádio moderno, com diversas valências desportivas, com todas as componentes de apoio e dispondo de uma rede estruturada e circuito de televisão.
O relvado será sintético, para assim permitir a utilização contínua do mesmo, quer para treinos, quer para competições oficiais.
As propostas deverão ser abertas durante o próximo mês de Fevereiro, prevendo-se que as obras se iniciem em meados do ano, para uma execução que não poderá ultrapassar um ano.
O custo da infra-estrutura, será próximo dos dois milhões de euros.
plb

A Assembleia Municipal de Manteigas aprovou por unanimidade, uma moção que defende a construção de túneis na Serra da Estrela como a solução que melhor serve a região em termos de acessibilidades.

ManteigasA moção defende que só os túneis podem desenvolver o concelho e a região envolvente, tratando-se de uma solução fiável, credível e de menor risco. A travessia da serra por túnel entre a Covilhã, Gouveia e Seia, com passagem por Manteigas, consegue ligar em rede três distritos (Castelo Branco, Guarda e Viseu). Com isso, defende a moção, junta-se massa crítica e ganha-se escala espacial e territorial, o que promoverá o desenvolvimento.
A posição do órgão máximo da autarquia surge numa altura em que o Ministério das Obras Públicas lançou o estudo da viabilidade dos eixos viários que irão atravessar o maciço central da Serra da Estrela, o que a torna, na opinião dos seus promotores, oportuna e capaz de contribuir para uma boa decisão. Segundo pode ler-se na moção, «Os nossos argumentos são irrebatíveis. Ainda assim, o maior argumento é que Manteigas sem a existência de túneis perderá a última oportunidade de integrar o futuro, apesar de ser o Coração da Serra da Estrela e as suas potencialidades de nada lhe valerão e em nada contribuirão para o desenvolvimento em rede que todos defendemos afincadamente».
A moção vai ser remetida ao Presidente da República, Primeiro-ministro, ministro das Obras Públicas e Transportes e presidentes da Assembleia da República, entre outras entidades.
plb

Os formandos do curso «Internet e Outlook para Jovens com mais de 55 anos» receberam na passada sexta-feira os certificados de frequência no Salão Nobre da Câmara Municipal do Sabugal.

Internet para todos«Internet e Outlook para Jovens com mais de 55 anos» era o lema do curso organizado em parceria entre a Câmara Municipal do Sabugal e o Centro de Formação Assistência e Desenvolvimento (CFAD) destinado à população «menos jovem» do concelho.
Os certificados de frequência foram entregues na sexta-feira, 21 de Dezembro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho pelo vereador António Robalo em representação da Câmara Municipal do Sabugal e pelo presidente do CFAD, Virgílio Mendes Ardérius.
A formação é inserida no âmbito do Programa Operacional da Sociedade do Conhecimento «Certificar Competências em Tecnologias da Informação e da Comunicação» e permitiu a alguns dos formandos tomaram contacto pela primeira vez com um computador e a Internet. O formando «menos jovem» acusava no bilhete de identidade a provecta idade de 86 anos e estava acompanhado por alguns companheiros já na casa dos 80. Alguns fizeram questão de afirmar que «já sabem fazer pesquisas em motores de busca na Internet, já consultam o sítio da sua conta bancária e visitam os portais da Segurança Social e das Finanças».
Sensibilizar a população mais idosa para a utilização das tecnologias de informação, proporcionar o acesso a meios adicionais de comunicação, potenciadores da melhoria da qualidade de vida e bem-estar na sociedade actual são os principais objectivos do programa.
jcl

O bispo da Guarda, D. Manuel Felício, defendeu na tradicional mensagem de Natal a necessidade de assumir corajosamente a promoção da discriminação positiva para as regiões mais pobres como a Beira Interior de forma a combater o drama da desertificação humana.

D. Manuel Felicio, Bispo da Guarda, junto à imagem de São Paulo na paróquia de RuivósNa sua mensagem natalícia o bispo da Diocese da Guarda, D. Manuel Felício, mostrou-se muito preocupado com o «drama da desertificação humana que afecta toda a região da Beira Interior e que está já a colocar em risco a sobrevivência de muitas aldeias beirãs». «Estamos perante um drama de proporções alarmantes que todo o País precisa de sentir como seu pois sem o desenvolvimento das potencialidades da nossa região todos ficamos mais pobres e a qualidade de vida irremediavelmente prejudicada», afirmou o prelado.
D. Manuel Felício lembrou que «é necessário assumir a coragem de promover a discriminação positiva das regiões mais pobres, como a Beira Interior, e saber aproveitar a oportunidade única constituída pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) que irá vigorar nos próximos seis anos e conta com 21,5 mil milhões de euros para aplicar em Portugal destinam-se 60 por cento para os seus três principais programas – competitividade, valorização do território e formação do potencial humano».
O bispo da Guarda diz compreender o facto de o Presidente da República ter «ficado sem palavras para responder, de imediato, com as medidas adequadas a esta situação preocupante» mas desafiou «os políticos e outros responsáveis pela vida pública para que assumam a coragem de construir um futuro equilibrado para todo o Portugal de tal maneira que sejamos um País e uma nação onde todos têm vez e voz».
jcl

O Capeia Arraiana deseja a todos os amigos e naturais do Sabugal um Feliz Natal. O nosso presente é o «Silent Night» cantado pela voz de Olivia Newton-John.

Capeia Arraiana

Segunda-feira é dia de publicar a «Imagem da Semana». Ficamos à espera que nos envie a sua escolha para a caixa de correio electrónico: capeiaarraiana@gmail.com

Pruibida a entrada? – Imagem da Semana (24-12-2007)Data: Dezembro de 2007

Local: Quinta na Bendada

Legenda: «Pruibida a entrada?» – Qual é a dúvida na «pruibição»?

Autoria: Ana Carreira

Clique na imagem para ampliar

Acção, Lugar e Tempo. Trilogia, muito conhecida na arte do teatro, serve para esta evocativa memória do Natal da minha infância em Quadrazais. (continuação).

Jesué Pinharanda – Carta DominicalPor outros caminhos, a mocidade (quer dizer, os solteiros, vintões) já identificado o trono ou madeiro, e o lugar onde se iria buscar, tratava do madeiro, da fogueira de Natal, que arderia toda a noite, até o fogo se extinguir durante o dia seguinte. O madeiro afastava alguma mocidade da missa do galo, mas a generalidade do povo participava (ao tempo dizia-se: assistia) na missa de vigília. Rezada, pois era em latim, sendo poucos os cânticos de ilustração vernácula da liturgia. Rompiam estes, como o «Entrai, Pastores, Entrai», ou o «Concebido no ventre / nove meses / no ventre da Virgem Mãe», e outros, quando o pároco, tomando o berço e o Menino, percorria a igreja, levando-o ao ósculo de todos e de cada um. Ninguém saia do lugar. Era o menino que vinha ao encontro dos fiéis.
Para ele, se os mais velhos ofereciam um óbolo (naquele tempo o óbolo mais modesto era o de meio-tostão, que dava, todavia, para comprar meia-dúzia de rebuçados com retratos dos jogadores de futebol) as crianças levavam laranjas, e figos secos, e castanhas piladas e, sobretudo, as rosquinhas, uma espécie de donut, mas de maior perímetro, que levávamos enfiadas no pulso e destinadas ao Menino. Crianças, acreditávamos que Maria, José e o Menino comeriam aquelas coisas boas porque, na missa solene do dia 25, já todas as ofertas haviam sido retiradas.
NatalA propósito dos cânticos, entoavam-se principalmente durante a cerimónia do beijo, os cânticos tradicionais, mas, com o aparecimento de grupos da Juventude Agrária, que recebiam formação e informação, começaram eles a introduzir melodias mais concordes com a liturgia. Foi o tempo, lá na aldeia, da introdução do cântico «Gloria in excelesis». Introdução que levou algum tempo a fixar porque, no início a assembleia dividia-se. Uns cantavam uma coisa, enquanto outros cantavam a nova, em geral desconcerto. Ceava-se antes da meia-noite, e antes para que, no dia seguinte, e dadas as normas do jejum eucarístico ao tempo, se pudésse comungar. Por isso, a missa do galo celebrava-se por volta das 11 horas da noite e quem não fosse comungar no dia seguinte, podia estender a ceia por mais tempo. Feitas as filhós e as rosquinhas, por vezes também o caldudo (uma sopa de castanhas piladas e cozidas em leite) era o ensejo para os garotos serem mandados pelas mães a levar duas ou três filhós a casa de alguma viúva, homem só, ou indigente. Pouco, mas partilhado.
No dia da festa quem primeiro começava a trabalhar era o pároco, pois tinha de celebrar missa na localidade anexa do Ozendo. Ia de mula, por caminhos sendeiros, e regressava a tempo da missa paroquial. Com esta, em boa verdade, se concluía a festa de Natal propriamente dito, na expectativa de novos dias santos: o primeiro do ano e, na época, o dia 6 de Janeiro, feriado e Dia dos Reis Magos, com novas doçarias. Na aridez inverniça, um tempo de alegria e de comunhão. De boa vontade e, sobretudo de paz campestre ao som do correr dos sinos.
«Carta Dominical» de Pinharanda Gomes

pinharandagomes@gmail.com

Sendo um homem de compromissos e habituado a cumprir prazos, por defeito de profissão, o prazo é sempre cumprido no último dia. E o Natal em família na Ruvina não deixa tempo para uma escrita interessante para o leitor.

José Robalo – «Páginas Interiores»Acontece no entanto que por vezes, o excesso de trabalho e de compromissos nos tolhem o pensamento e nos impedem com alguma lucidez engendrar uma história, um conto que possa ter respeito e interesse pelo leitor.
Encontrando-me na Ruvina, a azáfama do madeiro de natal, os preparativos da Consoada e da missa do galo, as prendas do menino Jesus, que hoje designamos por Pai Natal, têm usurpado esse tempo para a reflexão e para a escrita. É nestes momentos que nos acode ao espírito o pensamento do poeta, quando escrevia:

Capela da Senhora das Preces«Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.»

É assim desta forma desidiosa, que na Ruvina desfruto do Natal, a época mais bonita para se viver em família numa aldeia do Sabugal, longe da indiferença e do anonimato das grandes cidades.
Proponho-lhe caro leitor amigo, nesta época preguiçosa por excelência que procure na sua estante, biblioteca ou livraria um livro precioso: «Os Novos Contos da Montanha», de Miguel Torga e à lareira aos seus filhos, netos ou para si próprio leia a história de Natal mais bonita que conheço. Um conto que perpetua a nossa memória do Natal e que no livro tem esse nome.
A história degusta-se à lareira em cinco minutos, mas se pretender ter o prazer de a ouvir pela voz do seu autor também existe em CD. Boas leituras.
Para todos um Santo e Feliz Natal.
«Páginas Interiores» opinião de José Robalo

joserobaload@gmail.com

Uma campanha da CP e da Liga para a Protecção da Natureza, designada «Percursos – Comboio e Natureza», está a promover a realização de percursos de comboio seguidos de passeios na serra algarvia, sendo o lince uma das imagens de marca apresentadas.

Lince Ibérico«A Serra do Caldeirão é um local de ocorrência histórica do lince-ibérico, o felino em maior risco de extinção a nível mundial», diz o folheto de divulgação da campanha, que sugere uma viagem de comboio até Loulé, seguida de uma pedalada de bicicleta até à aldeia da Feiteira, a partir de onde se propõem diferentes percursos pedestres.
Fala-se nas paisagens, na geologia , na flora e nas tradições da região, mas também se refere a fauna como um dos aspectos curiosos da serra. Para além do papa-figos, da águia, da raposa e do saca-rabos, a Serra do Caldeirão terá em breve uma população de linces, que bem poderão ser um dos seus principais atractivos.
«Considerado um habitat prioritário para esta espécie, a Serra mantém características adequadas para a sua presença ou susceptíveis de serem optimizadas, de forma a promover a sua recuperação ou reintrodução», refere ainda a brochura.
Esta promoção é já o resultado na decisão governativa de instalar o Centro de Reprodução do Lince Ibérico em Silves, no Algarve, bem como a ideia de que a Serra do Caldeirão será o primeiro habitat a reintroduzir a espécie.
Tudo isto surge em detrimento da Serra da Malcata, cuja reserva natural foi criada para proteger o lince, que apenas ali existia. O logótipo da reserva é mesmo a imagem dum lince, numa simbologia elucidativa da importância da espécie para a serra, que abarca os concelhos do Sabugal e de Penamacor. São agora claros os sinais de que a Malcata ficou de facto a perder, restando-lhe aceitar um papel secundário ou desaparecer de cena.
plb

Tal como manda a tradição, muitos são os conterrâneos que não dispensam o regresso às origens, ainda para mais, numa ocasião como esta, onde as famílias se reúnem na ceia de Natal, passando alguns dias de férias na nossa Aldeia. O mesmo se passa nas outras Aldeias pois os sentimentos da quadra natalícia são idênticos.

Esteves Carreirinha - Ecos da AldeiaAs nossas Aldeias são inundadas pelos que estão mais próximos e também uns poucos emigrantes, que apesar de estarem lá longe, não dispensam a visita à sua terra natal, principalmente nesta época. Também há quem saia da Aldeia e vá passar esta quadra com os familiares, o estar junto em família, lá se justifica, mas não são muitos os que têm de optar por esta via.
Degustada a Ceia de Natal na consoada, pela meia-noite, tem lugar a missa do Galo com o beijar do Menino, pelo final. Terminada esta, as pessoas têm logo, ali ao lado, a Fogueira de Natal que a todos aquece mais um pouco, pois as noites costumam ser bem frias nesta época.
Em Aldeia da Ponte, cabe aos Mordomos de Santo António a tarefa de organizar a Fogueira, bem como os petiscos, que há uns anos bem largos se têm verificado, passando-se, praticamente a noite de Natal em redor do quentinho, com os resistentes, a malta mais nova, a aguentar firme, pela noite dentro.
Fogueira de NatalLocalizada no Largo do Sagrado, bem ao lado da Igreja, a fogueira serve para animar, muitas vezes, uma noite fria, amenizada pelo calor das brasas que vão saindo dos fortes trocos de carvalho, servindo para os diversos assados, que normalmente são postos à disposição, acompanhados das várias bebidas, como não podia deixar de ser, com a particularidade de também existir, no mesmo largo, jorrando do chafariz, água bem fresquinha, para aqueles que a não dispensam, e bem boa é, disso podem estar seguros. Alternativas não faltam, a água cristalina pronta a servir, considerada uma das melhores do mundo, sem desprestigio nenhum para um tal néctar de «Baco» ou para as bjecas, por demais conhecidas, mas cada um lá saberá de si e, dias não são dias, assim como noites não são noites, como soe dizer-se.
Uma semana depois, eis-nos na passagem do ano, também com tradição na nossa Aldeia, ultimamente organizada pela «AJP – Associação da Juventude Pontense» nos balneários do Vale, onde todos se juntam e desejam as melhores venturas para o Ano que agora se aproxima, comendo-se as 12 passas de uva pela meia-noite, seguindo-se o champanhe a jorrar pelas gargantas abaixo.
Também aqui se segue a habitual tradição, que já vem desde a década de 1970, quando teve início este acontecimento nas Escolas Velhas, vindo mais tarde este edifício a transformar-se no Bar das Escolas, que hoje em dia se apresenta, com mais ou menos transformações.
A todos desejamos um bom Natal e começo de Ano Novo de 2008 ainda melhor. Façam o favor de tentarem ser felizes e passarem umas Boas Festas.
«Ecos da Aldeia», opinião de Esteves Carreirinha

estevescarreirinha@gmail.com

Castanhas assadas embrulhadas em páginas de listas telefónicas, bolas de Berlim na praia, colheres de pau ou facas de cores diferentes para cada tipo de alimento nas cozinhas dos restaurantes são alguns dos mitos que começaram a circular na opinião pública e que a ASAE se viu na obrigação de clarificar ou desmentir em comunicado emitido pelo Gabinete do Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor.

Venda ambulante de castanhas assadas embrulhadas em páginas de listas telefónicasTem vindo a sentir-se um crescente mal-estar entre a população e os agentes económicos e de restauração em resultado da actuação das brigadas de fiscalização da ASAE que têm provocado as mais variadas reacções. Um abaixo-assinado anónimo na Internet endereçado ao Ministério da Económica e Inovação da República Portuguesa já reuniu (até 20 de Dezembro) mais de 14 mil assinaturas «contra as novas medidas de higiene alimentar da ASAE».
A Autoridade da Segurança Alimentar e Económica (ASAE), através do Gabinete do Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, sentiu-se na obrigação de esclarecer em comunicado aquilo que considera «mitos e contra-informação relacionada com a actividade de fiscalização dos seus inspectores».
A «Informação à Imprensa» divulgada no dia 19 de Dezembro insurge-se contra a campanha que «nas últimas semanas tem proliferado nos meios de comunicação social com artigos de opinião que visam denegrir e até ridicularizar a actividade fiscalizadora da ASAE» e denuncia a petição anónima que surgiu na Internet «que nada tem a ver com a real prática da ASAE, pautada pela transparência e pelo estrito cumprimento da legislação existente».
A venda de bolas de Berlim nas praias, a utilização de colheres de pau na confecção de alimentos, copos de plástico para o café, castanhas assadas embrulhadas em páginas de listas telefónicas, facas de cor diferente para cada género alimentício, azeite em galheteiro, bolo-rei com brinde, guardar pão para fazer açorda e o fabrico caseiro de rissóis e outro salgados são agora desmistificadas em comunicado. Para ver mais clique em…
Comunicado do Governo: Esclarecimento sobre a actividade da ASAE
Petição anónima: Abaixo-assinado na Internet contra a ASAE

Em primeiro lugar sou alérgico a tudo o que é anónimo, seja sob a forma de assinatura, seja sob a forma de denúncia, seja sob a forma de abaixo-assinados (com publicidade a bancos e seguradoras) ou seja sob a forma de fiscais encapuzados anti-terrorismo. Considero, contudo, que a ASAE faz falta em Portugal. O presidente da ASAE, António Nunes, defendeu na SIC-Notícias que os inspectores antes de actuarem têm mais de 700 leis para aprender. E assim sendo, como efectivamente parece que é, os inspectores da ASAE limitam-se a verificar e fazer cumprir a Lei. O problema parece estar, e está, nos nossos iluminados legisladores que não sabem parir as leis porque vivem num mundo do faz-de-conta viajando nas nuvens entre Lisboa e Bruxelas e desconhecem, por exemplo, onde ficam os Fóios. (Escolhi os Fóios porque considero aquela terra um exemplo a seguir no aproveitamento optimizado da tradicional gastronomia raiana.) Mas… não podemos ser mais papistas que o Papa. E os senhores da ASAE estão a fazer mais mal que bem aos pacíficos portugueses. Ponto final parágrafo.
jcl

A Câmara Municipal do Sabugal está incluída numa lista de sete autarquias que pagam as dívidas das obras públicas em menos de dois meses como está legalmente estabelecido. Os dados do inquérito divulgado esta semana analisam 283 autarquias e destacam a câmara lisboeta como uma das piores pagadoras.

Câmara Municipal do SabugalA câmara sabugalense voltou a ficar bem na fotografia. O relatório semestral de Outono de 2007 da Federação Portuguesa dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (Fepicop) analisa 283 autarquias (92 por cento do total) e conclui que apenas cinco por cento (sete no total) pagam a menos de dois meses cumprindo o legalmente estabelecido.
O Sabugal está acompanhado por Albufeira, Lagos, Lagoa, Alcácer do Sal, Castelo de Vide e Pampilhosa da Serra referindo também o relatório que apenas 38 câmaras cumprem os seus compromissos financeiros num prazo inferior a três meses.
Ainda segundo a Fepicop cerca de metade das autarquias portuguesas paga num prazo superior a seis meses. A lista dos maus pagadores é encabeçada com as câmaras de Lisboa, Cabeceiras de Basto, Castelo de Paiva, Figueira da Foz, Santa Maria da Feira e São Pedro do Sul que demoram mais de 15 meses a acertar as contas com as empresas de construção.
Verificou-se, no entanto, pela primeira vez desde a Primavera de 2005 uma redução de 15 dias nos prazos médios declarados na liquidação das dívidas às construtoras.

As notícias são para se dar. As más e as boas. A opinião crítica negativa sempre foi mais fácil de emitir mas… nos tempos que correm até já o cumprimento de acordos e prazos deixou de ser «o normal» para se transformar em destaque pela positiva. E é bom falar do nosso concelho pela positiva. No entanto (defendem uns) as boas notícias «já não vendem». No entanto (defendem outros) as más notícias «não são para se dar». Sinais dos tempos.
jcl

Se a percentagem de idosos atinge hoje 40 por centro da população concelhia, os mesmos devem merecer uma atenção especial, devendo adoptar-se estratégias que conduzam a um aumento da qualidade de vida dos nossos «mais velhos».

Ramiro Matos - «Sabugal Melhor»Iniciarei esta semana um conjunto de pequenas crónicas com algumas propostas que considero essenciais para se garantir uma real melhoria da qualidade de vida dos nossos idosos, colocando a questão da saúde como a primeira de todas.
O Concelho possui um Centro de Saúde localizado na cidade do Sabugal e com extensões em Aldeia da Ponte, Aldeia Velha, Alfaiates, Bendada, Bismula, Casteleiro, Cerdeira do Côa, Fóios, Quadrazais, Santo Estêvão, Seixo do Côa, Soito e Vale de Espinho.
Por outro lado o Concelho possui quatro farmácias – Sabugal, Soito e Cerdeira do Côa –, com extensões em Aldeia do Bispo, Aldeia da Ponte, Alfaiates, Aldeia Velha e Vale de Espinho.
Tem-se assim que as populações de 26 freguesias têm de se deslocar ao Centro de Saúde para terem uma consulta médica, situação ainda mais gravosa no que diz respeito à aquisição de medicamentos. Claro que se trata, sobretudo, de pessoas idosas, habitando em lugares sem transportes públicos, deslocando-se ao Sabugal em táxi ou utilizando outro tipo de transporte privado.
Lar de idososFoi a pensar nesta populações de aldeias distantes da sede de concelho, que mais têm sofrido com os fenómenos da desertificação e do envelhecimento, que nos últimos anos, concelhos como o Fundão, Cabeceiras de Basto, Nisa, Mortágua, Celorico de Bastos, Vouzela, entre outros, decidiram estabelecer protocolos com as Administrações Regionais de Saúde e os Centros de Saúde concelhios criando Unidades Móveis de Saúde, possibilitando deste modo o acesso a serviços de enfermagem e cuidados primários com maior facilidade, sem terem de se deslocar aos centros ou extensões de saúde.
Estas Unidades estão contidas em viaturas, permitindo a sua deslocação às freguesias de acordo com um calendário pré-estabelecido.
Os protocolos estabelecidos, vão desde a aquisição da Unidade pelo Ministério da Saúde garantindo a autarquia a sua operacionalidade, até à aquisição e operação da mesma pela Autarquia, competindo ao Centro de Saúde a garantia de equipas médicas e de enfermagem necessárias.
E não se pense que se está a falar de investimentos muito avultados – A Unidade Móvel de Saúde adquirida pela Câmara Municipal de Celorico de Bastos teve um custo de cerca de 45.000 euros!
Não merecerão os nossos «mais velhos» um acesso mais fácil aos cuidados de saúde?
«Sabugal Melhor»
opinião de Ramiro Matos

ramiro.matos@netcabo.pt

O Ministro da Administração Interna, Rui Pereira, anunciou hoje na Guarda o reforço das forças de segurança no próximo ano, coma entrada de mais 2.280 novos efectivos.

Rui PereiraO Ministro reuniu na Guarda com todos os governadores civis do país e no final declarou aos jornalistas que a PSP e a GNR serão reforçadas com a entrada de mais efectivos em 2008.
Segundo Rui Pereira, entrarão mais mil efectivos para PSP e 1.280 para a GNR, o que garantirá um real reforço na segurança.
No encontro mensal com os representantes do Governo nos distritos do país, foram analisados e discutidos assuntos ligados com a segurança interna e a protecção civil. Rui pereira destacou o papel que os governos civis estão a fazer no plano da sensibilização da população, sendo também relevante a criação de observatórios de segurança rodoviária nos vários distritos.
Confrontado com o aumento do número de mortos nas estradas portuguesas (que este ano já vai em 823) Rui Pereira observou que o número é ligeiramente superior ao do ano passado, mas de qualquer forma está confiante que se vai chegar ao fim do ano abaixo da «barreira psicológica» dos mil mortos. «Pela primeira vez, no ano passado, tivemos menos de mil mortos e até menos de 900 mortos», disse o governante, que garantiu ainda que essa meta estava apenas prevista para o ano 2009.
Para reforçar a sua ideia o ministro lembrou que em meados da década de oitenta morriam mais de 2.500 pessoas por ano nas estradas portuguesas, número de que estamos hoje muito longe.
plb

FESTA DE NATAL – 13 DE DEZEMBRO DE 2007
O descanso dos camelos dos Reis Magos Crianças das escolas passam junto à Câmara Municipal do Sabugal Desfile das crianças do Sabugal
Comitiva de acompanhamento dos Reis Magos Reis Magos a caminho do Castelo do Sabugal Comitiva dos Reis Magos
Crianças das escolas com os presentes de Natal Crianças das escolas com os presentes de Natal Crianças recebem presentes na tenda
Executivo camarário «equipado» a rigor António Robalo (vereador), Manuel Rito (presidente) e Ernesto Cunha (vereador) Tenda das animações
Comedores de fogo Saltimbancos Domadora de serpentes
Clique nas imagens para ampliar

O Sabugal tem um novo espaço de divulgação das suas potencialidades, no qual se expõem vestígios históricos, artesanato, velharias e peças evocativas dos monumentos e das tradições da região.

Casa do CasteloFoi inaugurada na zona histórica do Sabugal, junto ao castelo das cinco quinas, a «Casa do Castelo», a qual pretende contribuir para a promoção do concelho, especialmente junto dos muitos visitantes que o castelo tem ao longo de todo o ano.
O novo espaço, formalmente aberto no passado dia 8 de Dezembro, pertence a Romeu e Natália Bispo, um casal de sabugalenses apostados em contribuir para o despertar do Sabugal através do aproveitamento de um espaço singular, erguido a partir de uma casa antiga, que foi completamente recuperada.
A Casa contará em breve com um restaurante, que acrescerá à loja de produtos regionais que já ali funciona e onde também se vendem doces conventuais.
Durante as obras de recuperação foi descoberta uma ara romana, que agora está exposta no local. Este achado é uma das atracções do novo espaço, dado o seu valor histórico e a sua riqueza decorativa, com um conjunto de figuras que representam um touro e diversos instrumentos de sacrifício.
Outras das atracções é um altar judaico que também ali foi descoberto, o que indicia que a casa terá pertencido a cristãos novos, que à socapa praticavam o judaísmo. Este achado tem um significado muito especial, pois calculava-se que este tipo de vestígios não existia no Sabugal.
O Capeia Arraiana, deseja os maiores sucessos para a «Casa do Castelo» e para os seus proprietários, cujo exemplo de abnegação e dedicação à terra natal merece ser enaltecida.
plb

O Grupo Territorial da Guarda Nacional Republicana (GNR) da Guarda, no período de 10 a 16 de Dezembro, efectuou oito detenções por flagrante delito e registou 63 ocorrências criminais em toda a área de actuação, tendo ainda intervido em acidente de trabalho com uma vítima mortal e em vários acidentes de viação.

GNRSegundo comunicado hoje divulgado, a GNR deteve naquele período três indivíduos por condução sob o efeito do álcool, três por condução ilegal, um por injúrias a militar da Guarda e outro por desobediência (recusa do teste de alcoolémia).
No total a Guarda registou 51 ocorrências criminais, das quais se destacam: 12 crimes de ofensas à integridade física, dois de ameaças, três de difamação e injúrias, cinco de violência doméstica, dois de furto de veículo, dois de furto em veículo, seis de dano, um de incêndio em edifício, dois de incêndio florestal, um de desobediência, cinco de condução sob o efeito do álcool e três por condução sem habilitação legal.
Na área do Posto Territorial da Guarda, ocorreu um acidente de trabalho com a queda de uma torre de medição de vento, resultando do mesmo uma vítima mortal, de 36 anos, e um ferido ligeiro, de 26 anos.
Registaram-se no mesmo período 29 acidentes de viação, sendo 19 por colisão, nove por despistes e um por atropelamento. Dos acidentes resultaram quatro feridos leves.
plb

A Câmara Municipal de Trancoso interpôs uma providência cautelar contra o Estado como forma de evitar o corte nas receitas de 2008 devido ao excesso de endividamento.

Trancoso ultrapassou limite de endividamentoO município não aceita os cálculos do Ministério das Finanças, que o coloca dentro das autarquias com endividamento excessivo, facto que, segundo a lei vigente, ditará um corte de 10 por cento nas verbas mensais a transferir para a câmara em 2008.
O presidente da Câmara, Júlio Sarmento, resolver «esticar a corda», ciente de que as contas estão erradas e que importa repor a legalidade. Nesse sentido interpôs ontem uma providência cautelar, que deu entrada no tribunal de Castelo Branco.
Numa primeira fase, após reclamação, o Município de Trancoso viu reduzido pelo Ministério das Finanças em mais de 328 mil euros o endividamento excessivo inicialmente considerado, mas ainda assim a autarquia não se deu por satisfeita, apresentando novo recurso. Face ao indeferimento desse recurso, a autarquia não se conformou, decidindo agora uma medida extrema que evite o corte de verbas.
plb

O Grupo Desportivo do Sameiro e o INATEL, organizam, no próximo dia 6 de Janeiro, um conjunto de corridas de atletismo denominadas «8.º Corta-mato dos Reis», a disputar nos terrenos anexos ao Parque de Campismo da Relva da Reboleira, no Sameiro, concelho de Manteigas.

corta-matoA iniciativa conta com a colaboração da Câmara de Manteigas, Junta de Freguesia do Sameiro, Associação de Atletismo da Guarda e SkiParque, e prevê a realização de diferentes provas, onde poderão participar atletas masculinos e femininos, e de diversos escalões etários.
As corridas vão iniciar-se às 10:30, com a disputa entre atletas infantis, seguindo-se depois as demais provas. A principal prova, para atletas juniores, seniores e veteranos masculinos, inicia-se às 11.30 e será disputada numa distância de seis quilómetros.
O vencedor absoluto ganhará um prémio de meia libra em ouro e haverá taças ou troféus para os cinco primeiros seniores masculinos e 3 femininos, bem como para os três primeiros das restantes provas. Haverá ainda medalhas para os classificados até ao décimo lugar em cada escalão e taças para as primeiras sete equipas.
A organização pagará um subsídio de deslocação às equipas com cinco ou mais atletas.
plb

Foi inaugurada ontem, 17 de Dezembro, em Odivelas, a primeira loja do cidadão de segunda geração, com novos modelos de atendimento e uma nova imagem. Nos próximos dois anos criar-se-á uma ampla rede nacional destas lojas, que incluirá a Guarda, Aguiar da Beira, Seia e Pinhel.

Loja da Cidadão 2.0 em OdivelasA maior novidade da nova loja do cidadão é o balcão multiserviços, que permite a realização de diversos serviços simples com diferentes entidades. Outras inovações são a Loja da Empresa, destinada a empresários, e o Balcão «Perdi a Carteira», voltado para quem extraviou documentos e necessita de novas emissões.
A moderna Loja do Cidadão foi inaugurada pelo primeiro-ministro, José Sócrates, que afirmou: «O que aqui está foi feito por funcionários públicos, dando assim uma nova imagem da administração pública portuguesa». Para José Sócrates, a nova loja é alicerçada num melhor funcionamento e numa melhor qualidade do serviço público
O ministro da presidência, Pedro Silva Pereira, também presente, considerou que as novas lojas representam uma «revolução cultural», por irem de encontro às verdadeiras necessidades dos cidadãos, juntando diversos serviços públicos e modernizando esses serviços, no espírito do plano tecnológico e do programa Simplex.
O novo espaço de atendimento está no centro comercial Odivelas Parque, facto que poderá proporcionar economia de tempo e melhor acessibilidade aos interessados.
Esta é a primeira de um conjunto de novas lojas do cidadão que o governo tem por objectivo criar a médio prazo em todos os concelhos.
Porém, dentro do plano governamental, verifica-se que o Sabugal não está incluído no plano de expansão para 2008 e 2009. No que toca ao distrito da Guarda, no próximo ano serão criadas as lojas da Guarda e Aguiar da Beira, e em 2009 as lojas do cidadão chegarão a Seia e a Pinhel.
plb

O Sporting Clube do Sabugal sucumbiu no domingo perante a equipa de Vila Cortez do Mondego, sofrendo dois golos sem resposta, resultado que atirou o clube raiano da segunda para a quarta posição da tabela classificativa.

DesportoO clube sabugalense averbou a primeira derrota do campeonato distrital de futebol, o que refreou uma campanha fulgurante que levara o clube à segunda posição. Já o líder, Fornos de Algodres, goleou a equipa guardense do NDS por seis a zero, cimentando assim a liderança, agora a quatro pontos do Aguiar da Beira e do Guveia e a cinco do Sabugal.
O Aguiar da Beira conseguiu o resultado mais expressivo ao golear a equipa de Açores por dez a zero, resultado pouco visto nos dias que correm. A jornada proporcionou um total de 35 golos, sendo ainda de referir a goleada por cinco golos que o Trancoso infligiu ao Mileu.
Os jogadores sabugalenses, comandados por Asdrúbal, têm agora que regressar às vitórias após a quadra natalícia, para que o Sabugal continue em alta no futebol distrital.
plb

JOAQUIM SAPINHO

DESTE LADO DA RESSURREIÇÃO
Em exibição nos cinemas UCI

Deste Lado da Ressurreição - Joaquim Sapinho - 2012 Clique para ampliar

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 836 outros seguidores

PUBLICIDADE

CARACOL REAL
Produtos Alimentares


Caracol Real - Produtos Alimentares - Cerdeira - Sabugal - Portugal Clique para visitar a Caracol Real


PUBLICIDADE

DOISPONTOCINCO
Vinhos de Belmonte


doispontocinco - vinhos de belmonte Clique para visitar Vinhos de Belmonte


CAPEIA ARRAIANA

PRÉMIO LITERÁRIO 2011
Blogue Capeia Arraiana
Agrupamento Escolas Sabugal

Prémio Literário Capeia Arraiana / Agrupamento Escolas Sabugal - 2011 Clique para ampliar

BIG MAT SABUGAL

BigMat - Sabugal

ELECTROCÔA

Electrocôa - Sabugal

TALHO MINIPREÇO

Talho Minipreço - Sabugal



FACEBOOK – CAPEIA ARRAIANA

Blogue Capeia Arraiana no Facebook Clique para ver a página

Já estamos no Facebook


31 Maio 2011: 5000 Amigos.


ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ASSOCIAÇÃO FUTEBOL GUARDA

ESCOLHAS CAPEIA ARRAIANA

Livros em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Memórias do Rock Português - 2.º Volume - João Aristides Duarte

Autor: João Aristides Duarte
Edição: Autor
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)
e: akapunkrural@gmail.com
Apoio: Capeia Arraiana



Guia Turístico Aldeias Históricas de Portugal

Autor: Susana Falhas
Edição: Olho de Turista
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



Música em Destaque - Escolha Capeia Arraiana
Cicatrizando

Autor: Américo Rodrigues
Capa: Cicatrizando
Tema: Acção Poética e Sonora
Venda: Casa do Castelo (Sabugal)



SABUGAL – BARES

BRAVO'S BAR
Tó de Ruivós

Bravo's Bar - Sabugal - Tó de Ruivós

LA CABAÑA
Bino de Alfaiates

La Cabaña - Alfaiates - Sabugal


AGÊNCIA VIAGENS ON-LINE

CERCAL – MILFONTES



FPCG – ACTIVIDADES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA
CONFRARIAS GASTRONÓMICAS


FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas - Destaques
FPCG-Federação Portuguesa Confrarias Gastronómicas Clique para visitar

SABUGAL

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO
II Capítulo
e Cerimónia de Entronização
5 de Março de 2011


Confraria do Bucho Raiano  Sabugal Clique aqui
para ler os artigos relacionados

Contacto
confrariabuchoraiano@gmail.com


VILA NOVA DE POIARES

CONFRARIA DA CHANFANA

Confraria da Chanfana - Vila Nova de Poiares Clique para visitar



OLIVEIRA DO HOSPITAL

CONFRARIA DO QUEIJO
SERRA DA ESTRELA


Confraria do Queijo Serra da Estrela - Oliveira do Hospital - Coimbra Clique para visitar



CÃO RAÇA SERRA DA ESTRELA

APCSE
Associação Cão Serra da Estrela

Clique para visitar a página oficial


SORTELHA
Confraria Cão Serra da Estrela

Confraria do Cão da Serra da Estrela - Sortelha - Guarda Clique para ampliar



SABUGAL

CASA DO CASTELO
Largo do Castelo do Sabugal


Casa do Castelo


CALENDÁRIO

Dezembro 2007
S T Q Q S S D
« Nov   Jan »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

CATEGORIAS

VISITANTES ON-LINE

Hits - Estatísticas

  • 3.165.450 páginas lidas

PAGERANK – CAPEIA ARRAIANA

BLOGOSFERA

CALENDÁRIO CAPEIAS 2012

BLOGUES – BANDAS MÚSICA

SOC. FILARM. BENDADENSE
Bendada - Sabugal

BANDA FILARM. CASEGUENSE
Casegas - Covilhã


BLOGUES – DESPORTO

SPORTING CLUBE SABUGAL
Presidente: Carlos Janela

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Gomes

KARATE GUARDA
Rui Jerónimo

BLOGUES RECOMENDADOS

A DONA DE CASA PERFEITA
Mónica Duarte

31 DA ARMADA
Rodrigo Moita de Deus

A PÁGINA DO ZÉ DA GUARDA
Crespo de Carvalho

ALVEITE GRANDE
Luís Ferreira

ARRASTÃO
Daniel Oliveira

CAFÉ PORTUGAL
Rui Dias José

CICLISMO SERRA ESTRELA
Sérgio Paulo Gomes

FANFARRA SACABUXA
Castanheira (Guarda)

GENTES DE BELMONTE
Investigador J.P.

CAFÉ MONDEGO
Américo Rodrigues

CCSR BAIRRO DA LUZ
Alexandre Pires

CORREIO DA GUARDA
Hélder Sequeira

CRÓNICAS DO ROCHEDO
Carlos Barbosa de Oliveira

GUARDA NOCTURNA
António Godinho Gil

JOGO DE SOMBRAS
Rui Isidro

MARMELEIRO
Francisco Barbeira

NA ROTA DAS PEDRAS
Célio Rolinho

O EGITANIENSE
Manuel Ramos (vários)

PADRE CÉSAR CRUZ
Religião Raiana

PEDRO AFONSO
Fotografia

PENAMACOR... SEMPRE!
Júlio Romão Machado

POR TERRAS DE RIBACÔA
Paulo Damasceno

PORTUGAL E OS JUDEUS
Jorge Martins

PORTUGAL NOTÁVEL
Carlos Castela

REGIONALIZAÇÃO
António Felizes/Afonso Miguel

ROCK EM PORTUGAL
Aristides Duarte

SOBRE O RISCO
Manuel Poppe

TMG
Teatro Municipal da Guarda

TUTATUX
Joaquim Tomé (fotografia)

ROTA DO CONTRABANDO
Vale da Mula


ENCONTRO DE BLOGUES NA BEIRA

ALDEIA DA MINHA VIDA
Susana Falhas

ALDEIA DE CABEÇA - SEIA
José Pinto

CARVALHAL DO SAPO
Acácio Moreira

CORTECEGA
Eugénia Santa Cruz

DOUROFOTOS
Fernando Peneiras

O ESPAÇO DO PINHAS
Nuno Pinheiro

OCEANO DE PALAVRAS
Luís Silva

PASSADO DE PEDRA
Graça Ferreira



FACEBOOK – BLOGUES