Um estudo da Direcção-Geral de Veterinária (DGV) reconhece os bovinos jarmelistas como raça autóctone da Beira Interior.

Vaca JarmelistaA raça bovina jarmelista que existe exclusivamente no concelho da Guarda foi confirmada por um estudo da DGV divulgado na sede da Associação de Criadores de Ruminantes do Concelho da Guarda (Acriguarda) que fica responsável, a partir de agora, pelo seu registo zootécnico.
Décadas de preseverança dos produtores (actualmente estão 12 registados) e dos autarcas da freguesia de São Pedro do Jarmelo e em especial do actual presidente da Junta, Agostinho da Silva, permitiu o reconhecimento da jarmelista como raça autóctone da Beira Interior.
Fátima Sobral, veterinária da DGV, explicou que a jarmelista é distinta da mirandesa da qual tem sido considerada, erradamente, uma subespécie.
«Estas vacas são diferentes de todas as outras mas para reforçar o resultado deste estudo morfológico com uma análise genética seria necessário mais do que os 30 animais identificados porque é pouca população para validar os resultados oficiais», esclareceu a veterinária.
O objectivo agora é uma rápida procriação através da inseminação artificial que permita alcançar cerca das três centenas e validar definitivamente o direito à diferença destes bovinos autóctones descendentes de animais que sempre habitaram a Beira Alta ou como se diz agora Beira Interior Norte.
jcl