Sortelha acolheu a cerimónia de escritura pública de constituição da Associação de Casas Históricas de Riba Côa, que tem por objectivo a defesa e a divulgação do património histórico da região.

Sortelha recebeu fundadores da associaçãoA escritura foi celebrada na casa da Viscondessa de São Sebastião, Luísa Charters, pelas 11 horas, do passado dia 5 de Outubro.
Trata-se de uma associação constituída por proprietários de casas antigas, ou solares, que pretendem ver esse património defendido e valorizado, dada a sua importância histórica no contexto regional. As casas que integram a Associação de Casas Históricas de Riba Côa localizam-se na região. Mais em concreto, fundaram a colectividade os proprietários de casas históricas de Sortelha (Viscondessa de São Sebastião), Ruvina (Natália Correia Guedes), Vilar Maior (José António Rebocho e Pina), Freineda (Fausto Lages Proença Garcia), Castelo Bom (João Moutinho dos Santos), Almeida (Augusto José Moutinho Borges e António José de Sousa Júnior), Reigada (José de Castro e Solla), Pinhel (Metello e Nápoles), Mata de Lobos (Magalhães Crespo e Manuel Braga da Cruz), Castelo Rodrigo (Galhardo Simões), Almendra (Celso Madeira e Alexandra Caldeira).
A nova associação ficou com os corpos sociais definidos, presidindo à direcção Miguel Esperança Pina, ao conselho fiscal Fausto Lages Proença Garcia e à mesa da assembleia geral Luísa Charters (a Viscondessa de São Sebastião). Existe ainda um órgão consultivo da agremiação, de que fazem parte Braga da Cruz, Natália Correia Guedes, Marinho dos Santos, Jorge Brito e Abreu, Francisco Proença Garcia, João Moutinho Borges e Madalena Kleisseles de Albuquerque.
plb