No ano em que a GNR duplica os efectivos do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) e em que se alarga a sua área de intervenção, o distrito da Guarda continua fora dessa abrangência.

GIPS da GNRO GIPS terá este ano 700 elementos preparados para o combate aos fogos florestais e socorro às populações. O sucesso da sua acção em 2006, expresso nas 890 operações a que foram chamados e na extinção de 848 incêndios por sua conta, levaram ao reforço de efectivos e de meios.
Também a área geográfica do GIPS será alargada. Em 2006 abrangia apenas cinco distritos (Vila Real, Viseu, Coimbra, Leiria e Faro) mas este ano passará também a intervir em Viana do Castelo, Braga, Porto e Aveiro.
De fora da área operativa do GIPS continua o distrito da Guarda, mau grado ser um dos distritos mais fustigados pelos incêndios. O mesmo sucede com Castelo Branco, que também não esta abrangido pela actuação permanente do GIPS.
plb

Anúncios