Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) indicam que, em 2006, 30 mil portugueses sairam do País. Mas a Igreja Católica e os sindicatos apontam para mais de 100 mil cidadãos que procuraram emprego e melhor sorte além-fronteiras. Os dados agora divulgados apresentam um aumento de 20 por cento em relação a 2005.

SuiçaPara além da Suíça, para onde emigraram cerca de 15 mil portugueses no último ano, a Espanha dá trabalho a milhares de portugueses na construção civil com contratos sazonais ou que vão ao domingo à noite e voltam na sexta-feira.
O Canadá continua a ser, para os cidadãos açorianos, um destino de eleição superando mesmo os Estados Unidos.
O padre Rui da Silva Pedro, responsável pela Obra Católica Portuguesa das Migrações (OCPM), aponta que só para o Reino Unido sairam cerca de 40 mil compatriotas com a comunidade lusa a ultrapassar já as 400 mil pessoas. «O aumento do desemprego e o excessivo endividamento das famílias obriga a que a emigração volte a fazer parte dos planos de vida de muitos jovens portugueses», adiantou o religioso reforçando que «os nossos governantes, que vivem tão preocupados, e bem, a criar condições de integração aos imigrantes que nos procuram, estão a abandonar os seus cidadãos que procuram melhor vida no estrangeiro».
A Obra Católica Portuguesa das Migrações regista 4,8 milhões de portugueses em 121 países do Mundo, que anualmente enviam para o nosso País mais de dois mil milhões de euros.
aps